SP recomenda prevenção em grandes eventos para combater avanço da COVID-19

O Governador João Doria anunciou, nesta quarta-feira, 12/01/2022, nova recomendação do Governo de SP para enfrentamento da pandemia do coronavírus. A medida recomenda que eventos, shows e atividades esportivas devem seguir medidas rígidas de controle sanitário. Não haverá restrições de funcionamento para estabelecimentos dos setores de comércio e serviços.

O Governo do Estado reforça recomendações para evitar a disseminação do coronavírus. Após a constatação de uma alta elevação no número de casos do coronavírus em São Paulo e deliberação dos médicos que compõe o Comitê Científico do Estado de SP, o Governo decidiu recomendar que organizadores de eventos públicos, especialmente os musicais e esportivos, para que reforcem medidas preventivas para evitar a disseminação da COVID”, destacou Doria.

O Governo de SP reforça que eventos em geral devem disponibilizar álcool em geral e exigir o uso de máscaras dos participantes. A recomendação ainda prevê que os organizadores exijam do público a apresentação de comprovante de esquema vacinal completo (com as duas doses da vacina ou uma do imunizante de dose única).

Ações de proteção devem ser reforçadas, com medidas sanitárias e apresentação de comprovante do esquema vacinal completo. Foto por Nataliya Vaitkevich em Pexels.com

Há ainda recomendação específica para que as prefeituras de todo Estado reduzam em 30% a capacidade de público em eventos esportivos, musicais e atividades em geral que possam provocar aglomerações. Cada município possui autonomia para editar regras de restrição, de acordo com a realidade local.

As recomendações foram amparadas em orientação científica do Centro de Contingência do Coronavírus e são necessárias para contenção da evolução das taxas de contaminação do coronavírus, provocada especialmente pela variante ômicron que é considerada mais transmissível.

Em relação a eventos, shows e atividades esportivas, nós vamos continuar com a recomendação das medidas não farmacológicas, de uso obrigatório de máscaras e álcool gel. Todos os eventos devem exigir o comprovante da vacina completa e, se possível, testes. E recomendamos para as prefeituras que reduzam as taxas de ocupação desses eventos”, destacou o coordenador do Centro de Contingência, João Gabbardo.

População em geral

O Governo de SP também reforçou as recomendações para que a população em geral mantenha as medidas de segurança sanitária. As indicações são para que as pessoas façam o uso obrigatório de máscaras, higienização de mãos e álcool em gel, além de que completem o esquema vacinal e tomem as doses de reforço.

João Gabbardo informou que o Estado registrou aumento de 58% das internações em leitos de UTI e de 99% nas enfermarias, nas duas últimas semanas. Apesar do número de pacientes em unidades de tratamento intensivo ser duas vezes menor do que o registrado no começo de 2021, os números atuais mostram aceleração das internações.

Baseados nessas informações, o Comitê Científico reforça a necessidade do uso de máscaras em todos os ambientes. A recomendação para que a gente continue e aprimore todos os cuidados não farmacológicos de higienização das mãos, uso de álcool gel e, o mais importante de tudo, completar o esquema vacinal”, destacou Gabbardo.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Governo de SP convoca 3,4 milhões de faltosos da 2ª dose da vacina de Covid-19

O Estado de São Paulo está convocando 3,4 milhões de pessoas que ainda não tomaram a segunda dose da vacina de Covid-19 busquem os postos para se imunizar até sexta-feira, 10/12/2021, durante a mobilização especial organizada pelo Governo de SP para que as pessoas concluam esquemas vacinais antes do Natal e Ano Novo.

O balanço desta segunda-feira, 06, contabiliza 806,7 mil pessoas que ainda precisam completar o esquema vacinal com o imunizante do Butantan/Coronavac, outras 845,3 da Fiocruz/AstraZeneca/Oxford e 1,7 milhão da Pfizer/BioNTech.

Mobilização especial acontece até sexta-feira, 10, para incentivar população a completar o esquema vacinal antes das festas de final de ano. Foto: Pixabay

Para completar o esquema vacinal contra COVID-19, são necessárias duas doses para a vacina do Butantan (intervalo de 28 dias), da Fiocruz (8 semanas) e Pfizer (21 dias). Caso o prazo seja ultrapassado, é fundamental que o cidadão procure um posto assim que possível para orientações e para completar a imunização. O esquema vacinal da Janssen prevê apenas uma dose.

Desde o dia 1º de dezembro, o Governo de SP está intensificando a comunicação pra incentivar a população a completar o esquema vacinal e também tomar a dose adicional antes das festas de final de ano.

As Prefeituras são responsáveis pela busca ativa dos vacinados, mas o Governo de SP apoia a ação com o envio de mensagem via SMS e por e-mail à população para lembrar a data da segunda dose conforme pré-cadastro realizado no site Vacina Já ou no momento da aplicação da vacina.

Dose adicional

Toda a população adulta deve se vacinar com a dose adicional de COVID-19. A nova orientação do Plano Estadual de Imunização (PEI) segue a diretriz do Programa Nacional de Imunização (PNI) e vale para todas as pessoas que tomaram as duas doses da Coronavac, Astrazeneca e Pfizer há pelo menos quatro meses, conforme redução de intervalo anunciada na última semana pelo Governo de SP.

Quem tomou a vacina da Janssen, de dose única na primeira etapa da campanha, poderá receber a dose adicional do mesmo imunizante com intervalo a partir de dois meses. No entanto, na ausência da vacina da Janssen, que é o que acontece com estado de São Paulo já que o Ministério não disponibilizou doses adicionais deste imunizante, é possível ser administrada uma dose adicional da Pfizer (vacina de RNA mensageiro).

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Estado anuncia retomada obrigatória às aulas presenciais a partir de 18 de outubro

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 13/10/2021, a retomada obrigatória dos estudantes às aulas presenciais para as redes estadual, municipais e privada vinculadas ao Conselho Estadual de Educação a partir de 18 de outubro. Todos os protocolos sanitários serão mantidos até o final de outubro, assim como o esquema de revezamento planejado por cada escola, de acordo com sua capacidade física.

Tenho certeza que, como eu, pai de três adolescentes, todos aqueles que são mães e pais estão felizes com a possibilidade de seus filhos retomarem as aulas. Para garantir a segurança do retorno às aulas presenciais, todos os protocolos sanitários, como o distanciamento de um metro entre os alunos, uso obrigatório de máscara e álcool em gel, serão mantidos até o final de outubro”, afirmou Doria.

Distanciamento de um metro com revezamento entre os alunos, conforme a capacidade física das escolas, será mantido até o fim do mês

A partir de 3 de novembro, novas mudanças passarão a ser implementadas, como a não obrigatoriedade do distanciamento de um metro e, por consequência, a descontinuidade do revezamento entre os alunos nas aulas presenciais. A medida vai ampliar o acesso e a frequência dos estudantes da educação básica à unidade escolar para 100% dos estudantes presentes simultaneamente.

A imunização de 97% dos profissionais da educação, com esquema vacinal completo, garante maior segurança para a retomada por completo das aulas. Além disso, 90% dos adolescentes de 12 a 17 anos já tomaram a primeira dose da vacina contra a COVID-19.

A educação precisa ser prioridade da sociedade. Fizemos todos os investimentos necessários para o cumprimento dos protocolos e essa volta tem total respaldo do Comitê Científico do Estado”, destacou o Secretário da Educação, Rossieli Soares.

Linha do tempo

Desde o início da pandemia, o Governo de SP e a Seduc-SP vêm se empenhando para promover o avanço na retomada das atividades presenciais nas escolas de forma segura e assertiva.

Em 8 de setembro de 2020, as escolas foram abertas para atividades presenciais e no dia 3 de novembro foram autorizadas aulas regulares para Ensino Médio (EM) e Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Em janeiro de 2021, a recuperação aconteceu de forma presencial e facultativa e em 8 de fevereiro ocorreu a abertura das escolas para o ano letivo de 2021.

Em março, durante a fase emergencial do Plano São Paulo, as escolas abriram só para os estudantes mais vulneráveis, de acordo com o CadÚnico. No mês seguinte, em 14 de abril, já na fase vermelha do Plano São Paulo, a presença permitida era de até 35% dos alunos. Em julho também houve recuperação presencial.

No último dia 2 de agosto foi dado início ao segundo semestre letivo presencial e, hoje, anunciado o retorno total dos estudantes, com presença obrigatória em sala de aula, que antecede o último avanço na escalada para a retomada das atividades presenciais na educação – o retorno, sem revezamento, de todos os estudantes.

Exceção à obrigatoriedade

Poderão permanecer em atividade remota os seguintes grupos:

– Jovens pertencentes ao grupo de risco, com mais de 12 anos, que não tenham completado seu ciclo vacinal contra COVID-19;

– Jovens gestantes e puérperas;

– Crianças menores de 12 anos pertencentes ao grupo de risco para COVID-19 para as quais não há vacina contra a doença aprovada no país;

– Jovens com mais de 12 anos com comorbidades e que não tenham completado o ciclo vacinal contra COVID-19;

– Estudantes com condição de saúde de maior fragilidade à COVID-19, mesmo com o ciclo vacinal completo, comprovada com prescrição médica para permanecer em atividades remotas.

O resumo com as informações anunciadas pelo Governo de São Paulo está disponível na página
https://issuu.com/governosp/docs/coletiva_retomada_integral_da_educac_a_o_ba_sica_-_13.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

😷 Repescagem para aplicação de segunda dose em atraso acontece no sábado, 25/09/2021

Mogi das Cruzes promove neste sábado, 25/09/2021, das 9h00 às 15h00, uma ação especial de repescagem para aplicação da segunda dose contra a Covid-19 em munícipes faltantes. Não será necessário realizar agendamento prévio, bastando comparecer às unidades relacionadas abaixo munido de documento pessoal com foto, comprovante de endereço e comprovante da primeira dose.

Posto de Saúde Braz Cubas está entre as unidades de atendimento neste sábado, 25/09. Foto: PMMC

Para receber atendimento em livre demanda no sábado, os mogianos precisam estar em atraso com a segunda dose. Serão atendidas pessoas vacinadas com primeira dose de Coronavac/Butantan/Sinovac há mais de 28 dias (receberão a D2 com Coronavac); vacinadas com a 1ª dose de Pfizer há mais de 12 semanas (receberão a D2 com Pfizer); vacinados com a 1ª dose de AstraZeneca há mais de 12 semanas (neste momento, devido à indisponibilidade, o Governo do Estado liberou estoque do imunizante Pfizer para segunda dose em atraso). 

Não serão atendidas pessoas que ainda não completaram os prazos descritos acima. 

Próximos agendamentos 

As agendas para aplicação da segunda dose que ainda irão completar os prazos continuarão sendo abertas no site www.cliquevacina.com.br . Nesta sexta-feira, 24/09, às 16h00, serão liberadas vagas de segunda dose do imunizante Pfizer (para quem tomou a primeira até 02/08) e AstraZeneca (para quem tomou a primeira até 05/07). 

Adiantamento

Nesta semana, o Governo do Estado confirmou adiantamento da segunda dose do imunizante Pfizer de 12 para 8 semanas e a Secretaria Municipal de Saúde está se organizando para iniciar essa estratégia na próxima semana. Os interessados devem se manter atentos às novas liberações e instruções no site oficial. 

Repescagem para 2ª dose em atraso sem agendamento:

Pró-Hiper

  • Atendimento drive-thru para veículos (entrada na Av. Cívica)  
  • Atendimento para pedestres (entrada na avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes)

Escola Municipal Álvaro de Campos

  • Rua Pedro Paulo dos Santos, 855, Nova Jundiapeba

11 Unidades Básicas de Saúde

  • Vila Nova Aparecida – rua Aloísio de Azevedo, 53
  • Mineração – rua Aprígio de Oliveira, 262
  • Vila da Prata – rua Joaquim Cardoso, 200
  • Nova Jundiapeba – rua Vereador Nito Sona, 1.745
  • Santa Tereza – rua Kazumo Sumizono, 1.181
  • Ponte Grande – av. Lothar Waldemar Hohene, 70
  • Braz Cubas – rua Padre Álvaro Quinones Zuniga, 340
  • Sabaúna – av. Francisco Rodrigues Mathias, 90
  • Botujuru – rua Frei Bonifácio Harink, 313
  • Vila Natal – rua Cel. Cardoso Siqueira, 2.650
  • Biritiba Ussu – rua Thiago Silvestre Furtado, 90

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

😷 Governo de SP irá vacinar com Pfizer quem tem 2ª dose de AstraZeneca atrasada

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo anunciou nesta sexta-feira, 10/09/2021, que a partir da próxima semana quem estiver com a 2ª dose da vacina Astrazeneca atrasada poderá se vacinar com Pfizer

A medida é para garantir o esquema vacinal completo de muitos brasileiros de São Paulo diante do apagão do Ministério da Saúde, que deixou de enviar quase 1 milhão de doses ao Estado em setembro. Poderão se vacinar quem estiver com a dose de Astrazeneca vencida entre os dias 1 e 15 de setembro.

Durante o final de semana, o Governo de SP vai entregar aos municípios 400 mil doses de Pfizer extras que chegaram nos últimos dias ao estado e serão remanejadas para a aplicação desta segunda dose. Os municípios também poderão aplicar vacinas da Pfizer que eventualmente tiverem em seu estoque.

Medida emergencial pactuada com o Cosems é para quem precisa se vacinar entre 1 e 15 de setembro. Foto: Governo do Estado de São Paulo

A medida emergencial do Governo de SP visa amenizar os transtornos causados pelo não envio das doses de Astrazeneca por parte do Ministério da Saúde e vale apenas para quem teve a segunda dose vencida nestes 15 dias. A expectativa da saúde estadual é que nos próximos dias o órgão federal possa mandar mais doses ao estado, regularizando a situação.

O não envio destas doses pelo Ministério da Saúde descumpre uma obrigação do órgão federal em disponibilizar vacinas necessárias à imunização complementar das pessoas que já tomaram a primeira dose da vacina.

Fizemos um grande movimento no dia de hoje, remanejamos nossos estoques e disponibilizamos todas as doses da Pfizer existentes para amenizar a situação. Aguardamos o envio imediato de mais imunizantes da Astrazeneca ou mais doses da Pfizer para que possamos vacinar a totalidade da população que aguarda a segunda dose”, destaca Regiane de Paula, coordenadora do Plano Estadual de Imunização (PEI).

A intercambialidade destas vacinas foi chancelada pelo Comitê Científico do Governo do Estado e pelo PEI, que embasaram a decisão em estudos da Organização Mundial de Saúde e orientações do próprio Ministério da Saúde. A decisão também foi aprovada em deliberação bipartite com o Conselho dos Secretario Municipais de Saúde de São Paulo (Cosems).

Fonte: Governo do Estado de São Paulo