Obras elevarão a 90% a coleta e o tratamento de esgoto em Jundiapeba

A Prefeitura iniciou a preparação do terreno para construção de uma nova Estação Elevatória de Esgotos na Vila Nova Jundiapeba. É o início das obras de esgotamento sanitário no bairro, que além da estação, incluirão assentamento de 15 quilômetros de redes, 1.760 metros de coletor-tronco e 1.240 metros de linha de recalque (bombeamento). O investimento será de R$ 9.534.043,37, com recursos do Governo Federal. O projeto representará um aumento de 6,9% no volume de esgoto tratado na cidade, passando dos atuais 61% para 67,9%. Especificamente em Jundiapeba e Nova Jundiapeba, o índice será superior a 90%, tanto coleta quanto tratamento. A previsão é concluir os trabalhos em 2021.

No ano 2000, o município tratava apenas 0,5% do esgoto coletado. Isso passou a mudar a partir de 2008, com a inauguração da Estação de Tratamento Leste, em Cezar de Souza. Desde então, alcançamos avanços históricos e chegamos aos atuais 61%, índice que será ampliado com as novas obras”, afirma o prefeito Marcus Melo.

Investimento é de R$ 9,5 milhões para construção de estação elevatória, assentamento de redes coletoras e de bombeamento e coletor-tronco. Foto: Divulgação

Os 15 quilômetros de redes vão abranger 26 vias. A população atendida será de 8 mil pessoas.

Além dessa obra, a Prefeitura e o Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) investem em outras frentes para ampliar os índices de coleta e tratamento na cidade. Está em fase final a implantação de um sistema de coleta, condução e tratamento de esgoto em Sabaúna.

O investimento é de R$ 3,2 milhões na construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto, rede e três estações de bombeamento, todas na Vila Andrade, área central do Distrito. A capacidade de tratamento é de 9 litros por segundo para atender uma população de 4.000 pessoas.

A autarquia também está investindo mais de R$ 3 milhões na reforma e modernização da Estação Elevatória de Esgoto Indonésia. Serão feitas readequações estruturais, obras civis e melhorias nos sistemas elétrico, hidráulico e mecânico.

Como já adotado em outras três elevatórias recém-modernizadas, o Semae passará a utilizar uma tecnologia inovadora para o bombeamento de efluentes, até a estação de tratamento, com bombas que ficam na superfície, facilitando a operação e a manutenção, e um triturador para evitar que materiais sólidos lançados irregularmente na rede comprometam a operação. A Indonésia é a principal estação de bombeamento de esgotos de Jundiapeba.

A autarquia também está elaborando projetos executivos para sistemas de esgotamento sanitário em núcleos isolados: Biritiba Ussu, Chácara Guanabara, Jardim Nove de Julho, Parque São Martinho, Parque Varinhas, Quatinga, Taiaçupeba e Vila Mathias (Sabaúna). O investimento nos projetos é de R$ 5,7 milhões. Após a conclusão, o Semae buscará recursos para as obras.

Já as obras de esgotamento sanitário do Botujuru e Cezar de Souza chegam a 60% de execução e devem ser concluídas em 2020. É a maior obra de coleta e tratamento de esgoto em andamento na cidade, com um investimento de R$ 26 milhões. No total, serão implantados 45 quilômetros de redes de esgoto, 2.760 ligações prediais, 3.500 novas ligações prediais ao término da obra, 6 Estações Elevatórias de Esgoto (EEE), 4.000 metros de linhas de recalque (bombeamento) e 4.500 metros de coletores-tronco.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Novos reservatórios atenderão 61 mil pessoas em Jundiapeba e região da Vila Oroxó

O prefeito Marcus Melo vistoriou, na manhã desta quinta-feira, 24/10/2019, as obras de instalação dos reservatórios que irão compor o Sistema de Abastecimento de Água (SAA) Vila Oroxó. São duas caixas d’água com capacidade para 2 milhões de litros cada, erguidas na Via Benedito Ferreira Lopes e que atenderão 16 mil moradores. Os bairros beneficiados são a Vila Oroxó, Jardim Maricá, Rodeio, Bella Cittá, Residencial Itapeti, Jardim Aracy, Ponte Grande e Jardim Náutico. Também participaram da vistoria o vice-prefeito Juliano Abe e o diretor-geral do Semae, Glauco Luiz Silva.

A obra faz parte de um pacote de investimentos que inclui o Sistema de Abastecimento Jundiapeba, que terá um reservatório de 7 milhões de litros, numa área entre as avenidas Anchieta e Francisco Ferreira Lopes, no bairro Vila Cardoso, em Braz Cubas, onde a Prefeitura e o Semae estão construindo a base do reservatório. Serão 45 mil pessoas beneficiadas (em Jundiapeba e Nova Jundiapeba).

Os complexos atenderão, juntos, 61 mil pessoas. O investimento na primeira e segunda etapas é de R$ 9,8 milhões, sendo R$ 7,6 milhões nos reservatórios (R$ 4,1 milhões no Oroxó e R$ 3,5 milhões em Jundiapeba) e R$ 2,2 milhões para a construção das bases. As próximas etapas estão em fase de projeto.

A construção destes dois sistemas integram o Plano Municipal de Abastecimento de Água. Os reservatórios funcionarão como ‘pulmões’. Eles permanecerão cheios, principalmente no período noturno, quando o consumo diminui. Em situações em que houver necessidade de paralisações no fornecimento de água, para alguma manutenção, por exemplo, o abastecimento pode prosseguir com o uso dos reservatórios”, explicou o prefeito.

Os bairros beneficiados com os novos sistemas já são atendidos atualmente com abastecimento de água. Além da melhoria do serviço, o objetivo das obras é ter uma estrutura preparada para o crescimento populacional da cidade.

Além da demanda atual, os dois sistemas estarão prontos para abastecer uma população de até 145 mil pessoas (previsão para 2046), sendo 52 mil pelo SAA Jundiapeba e 93 mil pelo SAA Oroxó.

Muitas pessoas hoje procuram morar em Mogi das Cruzes pela estrutura que a cidade oferece em educação, saúde, segurança, e na qualidade de vida como um todo. Com essas obras, vamos suprir também a demanda futura”, conclui o prefeito.

A previsão é concluir as estruturas do Oroxó e de Jundiapeba no primeiro semestre de 2020.

Na área de abastecimento de água, também estão em andamento a construção do Centro de Reservação da Vila Moraes, Sistema Chácara Guanabara, reforma e modernização da Estação de Captação e construção de estação elevatória e rede de bombeamento no Botujuru.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Semae fará parada no abastecimento para manutenção nesta terça, 13/08/2019

Para manter a qualidade da água distribuída à população mogiana, o Serviço Municipal de Água e Esgotos (Semae) informa que nesta terça-feira, 13/08/2019, a partir das 3h00 da madrugada, fará uma paralisação no sistema de captação, tratamento e distribuição da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Mogi das Cruzes. A parada acontecerá para a realização de trabalhos de manutenção, limpeza e desinfecção do sistema.

A distribuição de água será retomada por volta das 18h00 do mesmo dia, porém a normalização do abastecimento ocorrerá de forma gradativa, no decorrer da madrugada de terça para quarta-feira, 14/08.

Serão feitos limpeza e desinfecção do reservatório baixo da ETA Centro, manutenção na válvula de retenção da bomba BB02 da Estação de Captação e Recalque – ECR-2, manutenção preventiva das cabines de energia elétrica da ETA Centro, da ECR-2 e do Reservatório Base (RB1), além de manutenção na rede e no hidrante da rua São João.

A recomendação é para que os moradores utilizem água de forma racional, reduzindo o tempo de banho, evitando lavar carros e quintais e combatendo o desperdício.

A recomendação é para que os moradores utilizem água de forma racional, reduzindo o tempo de banho, evitando lavar carros e quintais e combatendo o desperdício ao executar as tarefas domésticas indispensáveis, como a lavagem de louças e roupas.

Quem tem caixa d’água não sentirá os efeitos da paralisação. Ter um reservatório em casa é fundamental para evitar transtornos durante os trabalhos de manutenção da rede ou outras intervenções que exigem a interrupção do fornecimento de água, principalmente nos locais mais altos ou que trabalham por redes bombeadas, onde é necessário mais tempo para que o abastecimento seja normalizado.

A reservação de 200 litros diários para cada morador é suficiente. Assim, uma casa com cinco pessoas deve ter uma caixa com capacidade para ao menos mil litros. Isso garante o abastecimento da residência por até 24 horas, mesmo sem fornecimento de água da rua.

Serão afetados os seguintes bairros, totalizando cerca de 80 mil ligações:

Alto da Boa Vista;
Alto do Ipiranga;
Alto da Glória;
Botujuru;
Caixa d’Água Velha;
Caminho do Mar;
Centro;
Chácara das Flores;
Cidade Jardim;
Conjunto Habitacional Estância dos Reis;
Conjunto Habitacional Nova Bertioga;
Conjunto Habitacional São Sebastião;
Conjunto Habitacional Seki;
Conjunto Habitacional Thaysa;
Conjunto Habitacinal Vereador Jefferson da Silva;
Conjunto Residencial Vila da Prata;
Jardim Aracy;
Jardim Armênia;
Jardim Avenida;
Jardim Bela Vista;
Jardim Camila;
Jardim Cíntia;
Jardim das Bandeiras;
Jardim Juliana;
Jardim Jussara;
Jardim Maricá;
Jardim Mogi;
Jardim Nair;
Jardim Nathalie;
Jardim Náutico;
Jardim Paulista;
Jardim Ponte Grande;
Jardim Primavera;
Jardim Rodeio;
Jardim Rubi;
Jardim Santa Carolina;
Jardim Santista;
Jardim São Francisco;
Jardim São Pedro;
Jardim Veneza;
Jardim do Paraíso;
Loteamento João Villanova;
Loteamento Alvorada;
Loteamento Nova Mogilar;
Loteamento Rio Acima;
Morada do Sol;
Nova Estância;
Parque Monte Líbano;
Parque Morumbi;
Parque Ponte Grande;
Parque Residencial Itapeti;
Real Park Jardim do Colégio;
Real Park Mogi;
Real Park Tietê;
Residencial Algarve;
Residencial Fazenda Rodeio;
Residencial Granja Anita;
Residencial Nair;
Residencial Veredas;
Sabaúna;
Socorro;
Vila Andrade;
Vila Áurea Maria;
Vila Avignon;
Vila Brasileira;
Vila Caputera;
Vila Celeste;
Vila Cidinha;
Vila Flávio;
Vila Horizonte;
Vila Jafet;
Vila Mathias;
Vila Melchizedec;
Vila Mogi Moderno;
Vila Mogilar;
Vila Nancy;
Vila Natal;
Vila Nova Aparecida;
Vila Nova União;
Vila Oliveira;
Vila Oroxó;
Vila Partênio;
Vila Paulicéia;
Vila Pomar;
Vila Ressaca;
Vila Rubens;
Vila São Francisco;
Vila São João;
Vila São Paulo;
Vila São Sebastião;
Vila Sarah Avignon;
Vila Socorro Velho;
Vila Suíssa;
Vila Victória.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Vereador questiona aumentos de serviços do Semae que ultrapassam 300%

A Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou, por unanimidade, na sessão ordinária desta quarta-feira, 10/07/2019, o Requerimento 147/2019, de autoria do vereador Caio Cunha, que pede à Prefeitura informações acerca do valor/preço dos serviços do Semae, entre os anos de 2016 e 2019.

O vereador Caio Cunha, autor do Requerimento, explicou que pediu, via Lei de Acesso à Informação, os valores dos serviços prestados pela Autarquia e constatou aumento de praticamente 100% no valor total dos serviços com preços fixos do Semae.

Transfigura-se urgente e necessário, que seja explicado ao povo mogiano os motivos que nortearam tais alterações. Trata-se de um assunto transversal. As elucidações serão fundamentais, haja vista que a Administração Municipal certamente deve conter os porquês, extirpando, por conseguinte, qualquer dúvida”, argumentou Cunha, no Requerimento apresentado ao Plenário.

Câmara Municipal de Mogi das Cruzes

No documento apresentado Cunha cita também o serviço de “ligação de água (grandes consumidores)” como exemplo. Embora esteja com um nome diferente na tabela de 2019 (Ligação de Água 3” x.1.100 m³/dia) o parlamentar entende que os serviços possuem características iguais. “Obteve um salto de R$ 1.510,02 para R$6.153,91”. Ou seja, um aumento de 307,53% entre os anos de 2018 e 2019”, afirmou.

No requerimento, o parlamentar pergunta ao prefeito Marcus Melo se a Prefeitura realizou ações para expor à população as razões dos aumentos nos serviços e se houve estudos por parte do Executivo que justifiquem as alterações nos preços dos serviços. Cunha ainda pediu ainda possíveis Leis Municipais que autorizem as alterações nos preços.

Fonte: Câmara Municipal de Mogi das Cruzes

Conta de água do Semae vai ficar 4,72% mais cara a partir de agosto/2019

As contas do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) com vencimento a partir de agosto de 2019 terão um reajuste de 4,7242% na tarifa. A autarquia repassará o índice de correção que já foi aplicado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) em maio e que foi aprovado pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), conforme deliberação 859, de 10 de abril de 2019. Mesmo com o repasse, a tarifa residencial paga pelos mogianos na primeira faixa de consumo, que vai até 10 mil litros de água por mês, é cerca de 39% menor que a cobrada em outras cidades do Alto Tietê, também no consumo residencial.

Em Mogi das Cruzes, o valor será de R$ 37,63 (R$ 20,91 de água e R$ 16,72 de esgoto), enquanto nas demais cidades da região a tarifa passou a ser de R$ 52,36 (R$ 26,18 de água e R$ 26,18 de esgoto).

O realinhamento das tarifas em Mogi das Cruzes é feito com base no decreto 18.348/2019 e aplica-se às tarifas relativas ao consumo de água e utilização da rede de esgotos sanitários por metro cúbico. O reajuste repassado pela autarquia a partir da conta referência agosto é para o consumo medido a partir de 1 de julho de 2019.

Para residências com consumo de até 10m³/mês, o valor será de R$ 37,63 (incluindo água e esgoto)

De acordo com a deliberação da Arsesp, o reajuste é composto por variação da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no período de março de 2018 a março de 2019, que totalizou 4,5754%; aplicação do fator de eficiência (fator X) de 0,6920%, e ajuste compensatório de 0,8408%.

O Semae vem trabalhando para melhorar continuamente o abastecimento de água na cidade, em obras como o Centro de Reservação Vila Moraes; Sistema Chácara Guanabara; Sistemas de Abastecimento de Água Jundiapeba e Oroxó; reforma e modernização da Estação de Captação, no rio Tietê; ampliação da capacidade de bombeamento da Estação de Tratamento de Água (ETA) Leste e construção de estação elevatória de água tratada e rede de recalque no Botujuru.

A autarquia fornece água a 98% do território urbano de Mogi das Cruzes. O sistema é composto por estação de captação, duas estações de tratamento (ETA Centro e ETA Leste), 30 reservatórios, 26 estações elevatórias e 1.200 quilômetros de redes de distribuição.

A cidade conta ainda com as estruturas de abastecimento de núcleos isolados, que contam com poços artesianos, casa de química para tratamento da água, sistema de bombeamento, reservatórios e rede de distribuição.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes