🏀 Campeonato Paulista de Basquete 2017 – rodada 3

A equipe do Mogi/Helbor estreou na temporada no ginásio municipal Professor Hugo Ramos, neste domingo, 13/08, e não deu nenhuma chance ao América/UNIRP/Rodobens/SMEL/3m, com uma fácil vitória por 101 a 56 (45 a 18 no primeiro tempo). A vitória foi válida pela terceira rodada do primeiro turno da fase de classificação do Campeonato Paulista de Basquete.

O jogo encaminhou para uma situação que não precisava dos outros jogadores que vão jogar mais tempo futuramente. Achei que os meninos fizeram valer e é bom para o público ir conhecendo também. Eles não vão decidir jogos lá na frente, mas vão ajudar o time a treinar e a melhorar. Existe um trabalho de um puxar o outro. Acho legal o revezamento e os meninos estavam bem e os mantivemos em quadra”, avaliou o técnico Guerrinha sobre a vitória contra o América.

Mogi/Helbor, do ala Filipin, vence fácil o América. Foto: Antonio Penedo/ Mogi Helbor

Depois da segunda vitória neste domingo pelo Campeonato Paulista, o Mogi/Helbor volta a jogar na próxima quarta-feira, 16/08, às 19h30, quando irá enfrentar o Pinheiros, na Capital. Depois, no sábado, 19, às 19h00, encara a Liga Sorocabana, novamente no ginásio Hugo Ramos, em Mogi.

O armador Vitinho Lersch e os alas/pivôs Fabrício de Oliveira e Zé Carlos, foram os cestinhas do Mogi e da partida, ambos com 16 pontos. Vitinho ainda deu sete assistências e apanhou cinco rebotes. Igor Vianna, com 10 rebotes e cinco pontos e Felipe Souza, com oito pontos e cinco assistências, foram os destaques do América, que sofreu sua terceira derrota do América.

Fonte: Federação Paulista de Basketball

🏀 Campeonato Paulista de Basquete 2017 – rodada 1

A Federação Paulista de Basketball abriu nesta sexta feira, 04/08/2017, o campeonato da divisão especial A1 masculino. Em partida realizada no Ginásio Pedrocão, a equipe de Franca venceu o atual campeão Paulista Mogi das Cruzes/Helbor por 85 a 77. A torcida francana comemorou a vitória e a chegada dos novos reforços como Léo Mendl e Jeferson William, atuais campeões brasileiros.

Franca e Mogi fizeram a partida de abertura do Paulista 2017. Foto: Antonio Penedo

Em jogo muito equilibrado nos dois primeiros quartos, o intervalo mostrava Franca 2 pontos à frente. Já no terceiro quarto, o time da casa abriu ótima vantagem que garantiu a vitória no final por 8 pontos. Hélinho ficou satisfeito com a festa e o resultado. Já Guerrinha disse que, apesar da derrota, Mogi tem todas as condições para devolver o resultado na partida de volta e brigar para obter vantagens na fase de playoff: “Conseguimos pelo menos diminuir a diferença no final e podemos reverter jogando em Mogi, para terminarmos melhor no confronto direto. Não foi nossa noite, mas certamente iremos ajustar a equipe”, comentou o técnico campeão Paulista e escolhido o melhor de 2016.

O próximo compromisso do Mogi das Cruzes/Helbor será contra o Basquete Osasco, na quinta-feira, 10/08, às 19h30, em Osasco.

Fonte: Federação Paulista de Basketball

🏀 Novo Basquete Brasil 2016/2017 – quartas de final – jogo 5

Mais um feito épico aconteceu na edição 2016/2017 do NBB CAIXA. Na tarde deste sábado, 06/05/2017, o Universo/Vitória se impôs em pleno Hugo Ramos lotado, venceu o Jogo 5 sobre o vice-líder Mogi das Cruzes/Helbor de maneira incrível, por 95 a 85, e conquistou a inédita e histórica classificação às semifinais do NBB CAIXA ao fechar o confronto quartas de final em 3 a 2.

O rubro-negro baiano mostrou que é gigante também no basquete. Em sua segunda temporada no NBB CAIXA, a equipe de Salvador se garantiu entre os quatro primeiros colocados pela primeira vez. Agora, o adversário do time do técnico Régis Marrelli será o Paulistano/Corpore, e o Jogo 1 da série será no Ginásio de Cajazeiras, em Salvador (BA), nesta terça-feira, 09/05, às 19h30, com transmissão ao vivo do SporTV.

Para sair de quadra com a incrível classificação, os baianos apresentaram um excelente jogo coletivo. Todos os atletas que entraram em ação pontuaram, sendo que quatro deles pontuaram em dígitos duplos e outros dois fizeram oito (André Coimbra e Douglas Kurtz). Além disso, a equipe deu um total de 21 assistências, contra 16 dos mogianos.

Com 18 pontos, sendo quatro deles importantíssimos na reta final do duelo, Arthur Belchor foi o maior anotador do Vitória, com direito a um aproveitamento de 75% nas bolas de 3 (3/4). Outro com mão quente foi o norte-americano Keyron, responsável por três bolas de 3 pontos em seis tentadas (50% de aproveitamento) e 17 pontos e oito assistências. Já Renato Scholz teve atuação “perfeita” e deixou a quadra com 13 pontos em 13 tentados.

A dupla norte-americana Kenny Dawkins e Chris Hayes também foi mais do que crucial para o triunfo baiano. O armador totalizou dez pontos e quatro assistências, enquanto que o ala/pivô registrou nove de seus 15 pontos no último quarto, com direito a uma bola de 3 “matadora” nos minutos finais do duelo.

Renato Scholz, do Vitória, e Fabrício, do Mogi. Foto: Antonio Penedo/ Mogi Helbor

Ainda estou em choque, foi um teste muito duro, Mogi é um time muito bom e muito experiente. Agora temos a chance de ir até a final. Acreditamos muito no grupo. Jogamos como uma equipe, defendemos bem e pegamos rebotes o jogo inteiro e isso nos deu a chance de vencer e conquistar essa vaga”, disse Chris Hayes, um dos heróis do Leão.

Perdemos o primeiro jogo da série em casa para Mogi e a partir daí entendi que precisava mudar as coisas. Fizemos uma alteração e deixei um pivô fixo no garrafão, tanto que o Caio chutou várias bolas de 3 livre. Com isso ganhamos uma boa cobertura do lado oposto no spot up deles, o Shamell gosta de bater pra dentro, servindo e criando. Arriscamos essa estratégia para congestionar o garrafão quando Shamell e Tyrone batiam para dentro. Deu certo. O time executou muito bem e estamos de parabéns”, declarou Régis Marrelli, técnico do Vitória.

O NBB CAIXA foi muito disputado e tem mostrado que várias equipes que estão acima na classificação perderam o playoff. Isso mostra uma evolução e uma tendência que às vezes você classifica em segundo e não tem nada garantido. Lógico que quem classificou acima fez um campeonato melhor, mas playoff é um momento da equipe. O jogo de hoje foi decidido no terceiro quarto. Jamais a gente poderia tomar 95 pontos querendo ir para a final, jamais poderia ter tomado 30 no terceiro quarto. Deficiência nossa e mérito do adversário”, lamentou o técnico Guerrinha, do Mogi.

Moralmente e psicologicamente o segundo jogo aqui a gente não devia ter perdido. Tinha que ter feito o fator quadra. Diante disso, corremos atrás e viemos para o quinto jogo. A torcida de hoje está de parabéns, o tempo todo vibrando com o time. Mas faz parte. Nossa temporada terminou hoje, lógico que não como a gente queria, mas conquistamos dois títulos dentro da temporada. O NBB foi bom, mas não soubemos fechá-lo”, finalizou Guerrinha.

Com o desfecho de mais um Jogo 5, as semifinais do NBB CAIXA serão compostas são compostas por quatro equipes de pior campanha na fase de classificação, que venceram suas séries quartas de final mesmo sem ter o mando de quadra: Bauru (5º), que bateu Brasília (3º), Pinheiros (8º) que virou sobre o líder Flamengo (1º), Paulistano (6º), que venceu o Franca (3º), e Vitória (7º) eliminando o Mogi (2º).

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Novo Basquete Brasil 2016/2017 – quartas de final – jogo 4

Foi um jogo dramático e com um final alucinante. A decisão veio com o cronômetro zerado na prorrogação e o Universo/Vitória forçou a realização do Jogo 5. Com dois lances livres de André Goés, a equipe baiana venceu o Mogi das Cruzes/Helbor, por 82 a 80, nesta terça-feira, 02/05/2017, e empatou a série válida pelas quartas de final do NBB CAIXA 2016/2017 em 2 a 2.

O jogo estava empatado em 80 a 80 e Mogi das Cruzes/Helbor tinha a bola nas mãos. Só que Keyron roubou a bola de Shamell, esticou o passe de André Goés, que sofreu falta de Tyrone exatamente no estouro do cronômetro. Já com o tempo zerado e com mais ninguém a seu lado, o camisa 40 não se intimidou, converteu os dois lances livres e garantiu o triunfo do time baiano.

Esse é um momento mágico que vou guardar para sempre na minha carreira. Muitos jogadores nunca tiveram a oportunidade de decidir uma partida, e eu fiz de novo. Estou muito feliz e empolgado com tudo isso, mas nada disso surtirá efeito se não vencermos a série. Temos mais um jogo e agora vamos com tudo para Mogi”, disse o herói André, que também foi decisivo no triunfo baiano no Jogo 2 da série anterior, contra Campo Mourão.

Tyrone, do Mogi. Foto: Raul Spinassé/LNB

O Vitória teve uma grande atuação coletiva e seis atletas atingiram dígitos duplos na pontuação. Dawkins foi o cestinha com 17 pontos, seguido por Renato (13), André (12), Arthur (12), Kurtz (11) e Edu Mariano (10).

Não somos um ‘supertime’, mas temos uma união muito forte e mostramos mais uma vez isso hoje. Começamos o jogo muito bem, mas eles nos massacraram no terceiro quarto, mas conseguimos reagir no último período”, disse Renato, fundamental na reação do Vitória na parcial final.

Vamos entrar ainda mais ligados lá em Mogi. Eles são muito fortes atuando em casa e precisamos jogar com muita intensidade para vencer. Temos que aproveitar essa vibração por conta da maneira que foi esse jogo para ir com tudo no Jogo 5”, completou.

Vindo do banco de reservas, Filipin foi o cestinha do Mogi, com 18 pontos, seguido por Tyrone, que marcou 15 pontos e ainda pegou nove rebotes. Outro bom nome do time paulista no jogo foi o ala/pivô Fabrício, autor de 12 pontos, cinco rebotes e quatro assistências.

Principal cestinha do Mogi na temporada, Shamell teve uma atuação apagada. O norte-americano marcou apenas quatro pontos em 26 tentados (0/6 nos arremessos de três pontos) e ainda contabilizou três erros, sendo um deles decisivo para o revés do time paulista.

E agora? A quinta e decisiva partida acontecerá neste sábado, 06/05, às 14h00, com transmissão ao vivo da Band. Por ter feito melhor campanha na fase de classificação, o Mogi atuará em casa, no Ginásio “Professor Hugo Ramos”.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Novo Basquete Brasil 2016/2017 – quartas de final – jogo 3

Para voltar a ficar em vantagem e dar um passo importante na briga por um lugar nas semifinais, o Mogi das Cruzes/Helbor foi dominante. Sem dar chances ao Universo/Vitória, a equipe do técnico Guerrinha teve grande atuação desde os minutos inicias e triunfou com tranquilidade ao lado de sua torcida, por 19 pontos de diferença (88 a 69).

Com a derrota no Jogo 2, também disputado no Ginásio “Professor Hugo Ramos”, o time mogiano viu o Vitória empatar a série e o jogo deste sábado se tornou ainda mais importante. Uma derrota poderia deixar o clube baiano com a chance de fechar a série em casa na próxima partida, mas o esquadrão do Alto do Tietê não sentiu a pressão.

Tínhamos que vencer de qualquer maneira e uma derrota hoje poderia nos complicar. Não poderíamos atuar de outro jeito, a não ser se entregando ao máximo. Conversamos bastante depois da derrota de quinta e acertamos os erros para hoje. Foi uma grande atuação da nossa equipe”, disse o ala Jimmy, um dos destaques da vitória mogiana.

Dono de um desempenho praticamente impecável, Mogi teve o controle do jogo o tempo todo e conquistou um triunfo tranquilo para abrir 2 a 1 na série. Agora, a equipe terá a chance de garantir seu lugar nas semifinais no Jogo 4, nesta terça-feira, 02/05, às 21h30, em Salvador.

Foi uma excelente vitória. Analisamos e mostramos os erros cometidos no jogo passado e hoje tudo deu certo. Os jogadores entraram em quadra com muita vontade e isso fez a diferença. Agora vamos para fechar a série lá em Salvador”, disse o técnico mogiano Guerrinha.

Com um grande início, Mogi abriu dez pontos de frente (16 a 06) logo de cara e não diminuiu o ritmo em nenhum momento. Um dos grandes trunfos para tal domínio se deve ao ótimo desempenho defensivo da equipe. Dono da segunda melhor defesa da fase de classificação, o time teve sua melhor atuação defensiva na série e pela primeira vez deixou o Vitória abaixo da casa dos 80 pontos.

No jogo passado eles pegaram 13 rebotes e fizeram 22 pontos de segunda chance. Hoje foi diferente e jogamos com muito mais vontade na defesa. Jogamos com pegada desde o começo e a torcida acompanhou o time. Então, eu acho que foi uma sequência de coisas boas que fez nossa equipe ser dominante hoje”, elogiou o técnico Guerrinha.

Mas não foi só a defesa que funcionou muito bem. Com chance de pontuar diversas vezes em transição, o time paulista teve ótimo desempenho ofensivo durante todo o jogo. Uma prova disso é o alto aproveitamento nas bolas de dois pontos, com 62% – 24 acertos em 39 tentativas. No garrafão foram 17 bolas convertidas em 27 tentativas (63%) e 34 pontos anotados.

Conseguimos abaixar o volume de jogo do Vitória. Não demos segunda chance e conseguimos dominar o rebote na nossa defesa. Isso, com certeza, fez muita diferença na queda da pontuação do time deles em relação ao Jogo 2. E quando você defende bem, o ataque flui mais naturalmente”, concluiu Jimmy, que deixou a quadra com 11 pontos e oito rebotes.

Fonte: Liga Nacional de Basquete