🏀 Novo Basquete Brasil 2017/2018 – Final – jogo 4

O Paulistano/Corpore é o grande campeão do NBB CAIXA 2017/2018. Neste sábado, 02/06/2018, em pleno Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes, a equipe da capital paulista venceu o Jogo 4 das Finais contra o Mogi das Cruzes/Helbor, por 82 a 76, e fechou a série em 3 a 1.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, LG, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

Pela terceira vez nas Finais, o Paulistano conquistou seu primeiro título do NBB CAIXA. A equipe é a quarta diferente a se sagrar campeã do maior campeonato de basquete do país – Flamengo tem cinco troféus, Brasília três e Bauru um.

Nenhum jogador do Paulistano tinha o título do NBB CAIXA no currículo e sete deles fizeram parte do vice-campeonato na temporada passada. Para o técnico Gustavo De Conti, a conquista é a primeira de âmbito nacional em sua carreira.

O sentimento é de felicidade e de agradecimento ao clube Paulistano por tudo que nos proporciona. Todos os times merecem ser campeões, mas fomos muito regulares durante toda a temporada, com direito a vitórias com grandes diferenças no placar e também com um certo nível de dominância”, exaltou De Conti.

Tentou de tudo: Do lado mogiano, o grande destaque ficou por conta do ala Jimmy. Cestinha do jogo, com 28 pontos, o camisa 18 teve atuação espetacular e cravou seu novo recorde pessoal no NBB CAIXA, com direito a 63,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra (12 acertos em 19 tentativas). Além disso, ainda apanhou nove rebotes e totalizou 30 de eficiência.

Estamos muito frustrados por termos perdido em casa, mas muito honrados por conseguirmos chegar ao segundo lugar do NBB, que é muito difícil. O Paulistano teve todo o mérito de sair com o título. Foi a terceira vez que eles chegaram à final e essa foi a nossa primeira. Queríamos o topo, claro, mas infelizmente não conseguimos. Nunca faltou entrega e nem dedicação para a nossa equipe. Saímos orgulhosos”, disse o comandante mogiano Guerrinha.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios

🏀 Novo Basquete Brasil 2017/2018 – Final – jogo 3

O Paulistano/Corpore está novamente em vantagem nas Finais do NBB CAIXA. Neste sábado, 26/05/2018, no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo, o clube da capital paulista venceu o Jogo 3 contra o Mogi das Cruzes/Helbor, por 88 a 84, e abriu 2 a 1 na série que definirá o grande campeão da temporada 17/18.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

E agora? O Jogo 4 das Finais acontece no próximo sábado, 02/06, às 14h00, no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes, com transmissões ao vivo de Band e SporTV. Se vencer, o Paulistano fica com o título. Já o Mogi precisa da vitória para forçar o Jogo 5.

Shamell, do Mogi, e Fuller, do Paulistano. Foto: LNB

Tivemos coragem para jogar com pressão depois de perder um jogo em que não vimos a cor da bola. Tivemos coragem para atacar da mesma forma e buscar o que fizemos a temporada inteira. Tivemos disposição para pegar os rebotes, porque em Finais tem muito mais erros do que acertos, então é importante ter as segundas bolas”, disse Gustavo De Conti.

Podemos analisar o último quarto por dois ângulos. Me incomodaram as bolas que perdemos na saída de bola, mas tivemos sangue frio. Não é fácil segurar uma pressão dessas dentro de casa, você às vezes fica até mais pressionado, mas conseguimos segurar. Prefiro valorizar isso. Convertemos lances livres com Nesbitt e Lucas, Yago soube bater para dentro e achar o Deryk fora, fomos bem no fim. Agora prefiro valorizar esse lado positivo, mas durante a semana com certeza vamos tocar nos erros que cometemos”, completou o treinador do Paulistano.

Eles tentaram: Do lado mogiano, a pontuação ficou concentrada na dupla Tyrone e Shamell. O ala/pivô foi o cestinha do jogo, com 20 pontos, enquanto que o camisa 24 marcou 19. Fundamental na reação da equipe, Larry Taylor marcou dez pontos (oito no último quarto).

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Novo Basquete Brasil 2017/2018 – Final – jogo 2

O troco veio “na mesma moeda” e o Mogi das Cruzes/Helbor foi imponente para deixar tudo igual nas Finais do NBB CAIXA. Depois de ver o Paulistano/Corpore dominar e vencer o Jogo 1, a equipe do técnico Guerrinha triunfou no Jogo 2, por 84 a 70, com o mesmo roteiro na noite desta quinta, 24/05/2018: primeiro quarto arrasador (21 a 10) e liderança do início ao fim.

Com uma mudança no quinteto inicial – saiu Wesley e entrou Fabrício –, Mogi ganhou mais versatilidade para o começo do jogo e deu certo, principalmente na defesa. Sem dar espaços, o time do Alto do Tietê forçou os rivais a um baixo aproveitamento nos arremessos de quadra (4/19) e sofreu apenas dez pontos no primeiro quarto.

A gente pensou a semana inteira que deixamos o Jogo 1 ser decidido no primeiro quarto e falamos que hoje isso não iria acontecer. Falamos que iríamos entrar com intensidade, que todos fariam aquilo que fosse preciso. Um cansa, é substituído, o outro entra e mantém a mesma coisa. A gente conseguiu começar o jogo com uma pegada diferente do Jogo 1 e, com isso, abrimos vantagem e não deixamos escapar”, disse Larry.

Acho que vários fatores mudaram nossa defesa. A intensidade. Nós conversamos todos os dias desde sábado sobre isso, intensidade, intensidade. A gente sabe que quando joga com esta ‘pegada’, assim como jogamos contra o Flamengo, a gente consegue defender melhor. Hoje a gente mostrou isso. Também o fato de mais jogadores entrarem, vindo bem, descansou todo mundo um pouco mais”, completou o jogador autor de 12 pontos e nove rebotes nesta quinta.

Mogi ficou à frente do placar durante os 40 minutos e venceu com propriedade para empatar as Finais. Foto: João Pires/LNB

Já no ataque, os mogianos tiveram ótimo aproveitamento (9/16) e marcaram 21 pontos no primeiro quarto. Sem errar nada, o trio Tyrone, Caio Torres e Jimmy combinou para 15 pontos e liderou o ótimo desempenho da equipe nos dez minutos iniciais.

Os times são bem parecidos, então quem começa bem no primeiro quarto tem grandes chances de ganhar o jogo. Nós conversamos durante a semana e entramos na partida de hoje como se ela fosse a última. Essa disposição foi fundamental para a nossa vitória”, disse Tyrone, que deixou a quadra com 18 pontos, seis rebotes e seis assistências.

A partir do segundo quarto, o Paulistano passou a equilibrar mais as ações, só que em nenhum momento conseguiu desbancar a soberania dos rivais no comando do placar. Isso porque o Mogi contou com uma boa atuação coletiva e mostrou muita tranquilidade para esfriar todas as tentativas de reação do clube da capital.

A gente sabe que têm um quinteto muito forte, e quem vem do banco precisa entrar e manter o nível, as vezes até melhorar. Hoje quem veio do banco entrou muito concentrado. Conseguimos reduzir o ataque deles para 70 pontos, mas é isso aí, eles ganharam na nossa casa, nós na deles e está tudo igual”, disse Vithinho Lersch.

No segundo quarto, a diferença chegou a cair para quatro pontos, mas a resposta mogiana foi rápida e, poucos minutos depois, a vantagem já era de 13 pontos. No começo do terceiro período, o Paulistano tentou uma nova reação e baixou o prejuízo para seis pontos. Só que Tyrone chamou a responsabilidade e manteve Mogi confortável na liderança. Depois, a equipe abriu 17 pontos e “matou” o jogo.

O Paulistano havia feito uma primeira partida incrível em todos os sentidos e hoje foi a nossa vez. Sabíamos da qualidade do adversário e entramos muito focados, tanto na defesa quanto no ataque. A partir disso conseguimos uma vitória muito importante, que nos coloca matematicamente e mentalmente de volta na série”, comentou o comandante Guerrinha.

Com a série empatada em 1 a 1, as equipes fazem o Jogo 3 das Finais neste sábado, 26/05, às 12h35, novamente no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo. Já o Jogo 4 acontecerá na semana seguinte, 02/06, às 14h00, no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes. As duas partidas terão transmissões ao vivo de Band e SporTV.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Novo Basquete Brasil 2017/2018 – Final – jogo 1

O Paulistano/Corpore venceu o Jogo 1 com propriedade e largou na frente nas Finais do NBB CAIXA. Neste sábado, 19/05/2018, em pleno Ginásio Hugo Ramos, a equipe abriu grande vantagem logo no início da partida e superou o Mogi das Cruzes/Helbor, pelo placar de 99 a 82.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

Para vencer de maneira imponente, o Paulistano teve um primeiro quarto praticamente perfeito e abriu 16 pontos de frente (30 a 14). Depois disso, a equipe ditou o ritmo do jogo, segurou sempre uma boa diferença no placar e venceu com tranquilidade nos minutos finais.

O jogo coletivo imperou no time da capital paulista e dez atletas diferentes pontuaram. Os cestinhas foram Deryk Ramos e Kyle Fuller, com 23 e 20 pontos, respectivamente. Autor de 15 pontos, Lucas Dias foi outro a ter boa produção, assim como Elinho e Jhonatan, que marcaram dez cada.

O Mogi não é esse time que jogou o primeiro quarto. Eles tiveram uma infelicidade com o aproveitamento no primeiro quarto e nós estávamos em um bom dia, tanto no ataque quanto na defesa. Se a gente quisesse sair daqui com a vitória hoje precisávamos de uma defesa muito forte e isso ocorreu”, explicou.

Fuller, do Paulistano, e Tyrone, do Mogi. Foto: LNB

O Fuller foi fundamental principalmente no início, mas em cada momento do jogo foi um jogador diferente que apareceu, Elinho, Deryk principalmente no último quarto. Mas acho que o Mogi não é essa equipe. Na próxima partida tenho certeza que eles vão entrar diferente. Nós precisamos nos ajustar a isso e evitar alguns erros que tivemos hoje”, completou o atleta do Paulistano que mais atuou neste sábado (34:30 minutos).

Eles tentaram: Com 24 pontos, Tyrone comandou o ataque do Mogi e foi o cestinha da partida. Responsáveis por 14 e 13 pontos, respectivamente, Larry Taylor e Shamell tiveram alguns bons momentos no jogo. Quem também apareceu bem foi o pivô Caio, autor de 11 pontos – todos no segundo tempo – em pouco mais de 13 minutos em quadra.

Nós começamos devagar. Contra o Paulistano você não pode começar devagar. O Guerrinha já havia falado para a gente que eles viriam com tudo no primeiro quarto e, de vez em quando você não acredita até acontecer. Na sequência da partida, eles precisaram apenas administrar”, disse.

Nós tínhamos bons lances, tentávamos voltar pro jogo, mas sabe aquelas partidas em que tudo dá errado? Nós tivemos oportunidades de abaixar tanto no segundo quanto no terceiro quarto, mas quando era a hora de chegar, nós desperdiçávamos ataques. Nada contra o Paulistano, mérito deles. Nós não jogamos o nosso melhor basquete, mas temos que aprender com isso. Não tem nada perdido, vamos para o Jogo 2”, completou.

E agora? As duas próximas partidas serão disputadas no Ginásio Wlamir Marques (Corinthians), em São Paulo. O Jogo 2 acontece na quinta-feira, 24/05, às 19h30, ao vivo no SporTV. Dois dias depois, no sábado, 26/05, as equipes fazem o Jogo 3, às 12h35, com transmissões de Band e SporTV.

Hugão lotado: Com uma atmosfera incrível, o Ginásio Hugo Ramos contou com a presença de 5.207 pessoas e teve um de seus maiores públicos na história.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Novo Basquete Brasil 2017/2018 – semifinal – jogo 4

Sábado, 12/05/2018, um dia que ficará marcado na história da cidade de Mogi das Cruzes (SP). Diante de um Hugo Ramos completamente lotado, o Mogi/Helbor venceu o Flamengo, por 89 a 72, fechou a série semifinal em 3 a 1 e conquistou a inédita vaga para a Final do NBB CAIXA.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

O dono da festa certamente foi Shamell. Depois de fazer apenas seis pontos na derrota no Jogo 3, o camisa 24 do Mogi estava literalmente impossível e registrou inacreditáveis 40 pontos, com 6/9 nas bolas de 3 pontos (66,7% de aproveitamento), o recorde de sua carreira no NBB CAIXA, de toda a atual temporada e da história das semifinais do NBB CAIXA.

Hoje vim com uma energia diferente. Antes do jogo falei com os meus ‘neguinhos’ (os filhos Shamell Jr. e Jordan), eles falaram para mim ‘papai, você vai ganhar, acreditamos nisso’. Aí vim com uma energia diferente. Tive energia durante o jogo inteiro, chamando a torcida o tempo inteiro e acho que isso fez a diferença”, disse Shamell.

Shamell, do Mogi e Ramon, do Flamengo. Foto: Luiz Pires/LNB

Xô, fantasma: Foram três participações do Mogi na semifinal do NBB CAIXA, nenhuma com êxito. Ainda por cima, por duas vezes a equipe viveu situação idêntica à atual, em que foi para o Jogo 4 em casa podendo fechar a série para ir à final – uma delas contra o Flamengo, em 2015/2016. De quebra, no Campeonato Paulista 2017, os mogianos tiveram duas chances de fechar a semifinal contra o Paulistano no Hugão, mas falhou em ambas e acabou eliminado. Agora, o “fantasma do Jogo 4” foi devidamente exorcizado.

Classificado às Finais, o Mogi agora aguardará a definição da série semifinal entre Paulistano/Corpore e Sendi/Bauru Basket, empatados em 2 a 2. para conhecer seu adversário. O Jogo 5 entre essas duas equipes será nesta segunda-feira, 14/05, às 19h30, com transmissão ao vivo dos canais SporTV. A série melhor de cinco da decisão começará no sábado, 19/05, às 14h00, ao vivo na Band e no SporTV.

Não temos que ficar comparando com coisas que aconteceram antes, a não ser se fosse o mesmo time, mesmo técnico. Mas se eu pudesse resumir esse time em uma palavra só eu diria ‘comprometimento’. Todos os jogadores, diretoria, patrocinadores, comissão, todos são muito comprometidos com o time e com certeza isso fez total diferença para irmos à final”, declarou o técnico Guerrinha.

Mesmo diante da atuação antológica de Shamell, o Mogi contou com grandes contribuições do armador Larry Taylor, autor de 12 pontos, oito rebotes, seis assistências e quatro roubos de bola (22 de eficiência). Também com 12 pontos (5/7 nos arremessos de quadra), o “cachorro louco” mogiano Jimmy também foi peça importante, assim como o ala/pivô Fabrício, que saiu do banco e totalizou 11 pontos (3/5 nas bolas de 3).

Era isso que a gente queria. Desde que cheguei ao Brasil, há seis anos, eu quero isso. Shamell também queria, Larry também, Jimmy, Caio foi o único campeão aqui. Tínhamos uma meta de ganhar a Liga das Américas e o NBB. Fomos vice da Liga das Américas, agora temos chances de ganhar o NBB. Vamos fazer de tudo para dar esse título para essa cidade. Essa cidade tem muito amor pelo basquete, não só nós, mas essa cidade merece muito esse título”, declarou Tyrone.

O adeus de Marcelinho: Com a eliminação do Flamengo, o ídolo Marcelinho Machado fez sua última partida como jogador profissional. O jogador havia anunciado que se aposentaria ao final da temporada e teve sua carreira encerrada na tarde deste sábado, 12/05. Marcelinho se despediu do basquete aos 43 anos com cinco títulos do NBB CAIXA, uma da Liga das Américas e um da Copa Intercontinental.

Com a eliminação nas semifinais, o Flamengo fechou a décima edição do NBB CAIXA na terceira colocação e está garantido na próxima Liga Sul-Americana.

Foi um jogo muito trabalhado e a diferença não reflete o que foi o jogo. Soubemos no terceiro quarto em diante ir encaminhando a vitória. Com o Fabrício em quadra o time ficou mais leve e isso nos deu vantagem mais uma vez. As coisas foram acontecendo e fomos construindo o placar. O Flamengo foi um adversário duro na série, apesar das diferenças de alguns jogos, não reflete o que foi o jogo em si. Os dois lados brigaram muito para ir à final”, disse o técnico Guerrinha.

Fonte: Liga Nacional de Basquete