😷 Governo de SP irá vacinar com Pfizer quem tem 2ª dose de AstraZeneca atrasada

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo anunciou nesta sexta-feira, 10/09/2021, que a partir da próxima semana quem estiver com a 2ª dose da vacina Astrazeneca atrasada poderá se vacinar com Pfizer

A medida é para garantir o esquema vacinal completo de muitos brasileiros de São Paulo diante do apagão do Ministério da Saúde, que deixou de enviar quase 1 milhão de doses ao Estado em setembro. Poderão se vacinar quem estiver com a dose de Astrazeneca vencida entre os dias 1 e 15 de setembro.

Durante o final de semana, o Governo de SP vai entregar aos municípios 400 mil doses de Pfizer extras que chegaram nos últimos dias ao estado e serão remanejadas para a aplicação desta segunda dose. Os municípios também poderão aplicar vacinas da Pfizer que eventualmente tiverem em seu estoque.

Medida emergencial pactuada com o Cosems é para quem precisa se vacinar entre 1 e 15 de setembro. Foto: Governo do Estado de São Paulo

A medida emergencial do Governo de SP visa amenizar os transtornos causados pelo não envio das doses de Astrazeneca por parte do Ministério da Saúde e vale apenas para quem teve a segunda dose vencida nestes 15 dias. A expectativa da saúde estadual é que nos próximos dias o órgão federal possa mandar mais doses ao estado, regularizando a situação.

O não envio destas doses pelo Ministério da Saúde descumpre uma obrigação do órgão federal em disponibilizar vacinas necessárias à imunização complementar das pessoas que já tomaram a primeira dose da vacina.

Fizemos um grande movimento no dia de hoje, remanejamos nossos estoques e disponibilizamos todas as doses da Pfizer existentes para amenizar a situação. Aguardamos o envio imediato de mais imunizantes da Astrazeneca ou mais doses da Pfizer para que possamos vacinar a totalidade da população que aguarda a segunda dose”, destaca Regiane de Paula, coordenadora do Plano Estadual de Imunização (PEI).

A intercambialidade destas vacinas foi chancelada pelo Comitê Científico do Governo do Estado e pelo PEI, que embasaram a decisão em estudos da Organização Mundial de Saúde e orientações do próprio Ministério da Saúde. A decisão também foi aprovada em deliberação bipartite com o Conselho dos Secretario Municipais de Saúde de São Paulo (Cosems).

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

😷 SP vai aplicar dose adicional contra COVID-19 em idosos e imunossuprimidos

O Governador João Doria apresentou nesta quarta-feira, 01/09/2021, o calendário de aplicação da dose adicional de vacinas contra COVID-19 nos idosos e adultos imunossuprimidos, que começam a receber o imunizante na próxima segunda-feira, 06. Ao todo, 7,2 milhões de pessoas poderão ter a dose de reforço no decorrer da campanha, sendo 1 milhão destes alcançados já nesta primeira fase que vai até 10 de outubro.

A vacinação de quem tem entre 60 e 69 anos é um diferencial do Estado de São Paulo e uma decisão do Governo de São Paulo fundamentada na decisão do nosso Comitê Científico. Diferentemente daquilo que o Governo Federal decidiu, acima de 70 anos, São Paulo decidiu fazer essa dose adicional para pessoas acima de 60 anos”, afirmou Doria.

Esta primeira fase, que começa no dia 06, é focada na imunização de quem tem 60 anos ou mais e que tomou a segunda dose há mais de seis meses, ou seja, em fevereiro e março. Além disso, serão imunizados imunossuprimidos, a partir de 18 anos. Os dois públicos desta fase somam 1 milhão de pessoas.

Os grupos serão escalonados por faixas etárias e priorização dos mais velhos. Neste mês de setembro, entre os dias 6 e 12, receberão a dose adicional quem tem 90 anos ou mais, totalizando 148,7 mil pessoas. Dando sequência ao reforço da vacinação, entre 13 e 19 de setembro, serão alcançados mais 231,7 mil idosos na faixa etária de 85 a 89 anos.

Com início dia 6, calendário do PEI terá escalonamento por faixas etárias e a previsão é que 7,2 milhões de pessoas recebam dose de reforço

Entre os dias 20 e 26, as doses estarão disponíveis para os que têm de 80 a 84 anos. Também estão inclusos neste período os adultos imunossuprimidos, como pacientes em tratamento de hemodiálise, quimioterapia, Aids, transplantados, entre outras pessoas em alto grau de imunossupressão. Neste caso, a dose adicional será aplicada pelo menos 28 dias após a data da conclusão do esquema vacinal, seja pela segunda dose (Coronavac, Astrazeneca ou Pfizer) ou por dose única (Janssen). Juntos, estes grupos totalizam 280 mil pessoas.

A partir do dia 27, até 3 de outubro, serão contempladas 242,8 mil pessoas na faixa de 70 a 79 anos. Concluindo esta fase ainda no mês de outubro, serão alcançados os idosos de 60 a 69 anos entre os dias 4 e 10, totalizando mais 103,9 mil imunizados.

Queremos deixar a população mais vulnerável em segurança. Essa é uma estratégia que foi alinhada com o Comitê Científico e discutida no Plano Estadual de Imunização, para que a gente possa, frente à variante Delta, ter essa segurança que essa população receberá a dose adicional”, destaca a Coordenadora do Plano Estadual de Imunização (PEI), Regiane de Paula.

No total são 7,2 milhões de pessoas que tomaram suas vacinas em momentos diferentes da campanha, e receberão suas doses adicionais quando completarem os intervalos de tempo mínimos após a segunda dose ou conclusão do esquema vacinal – de pelo menos seis meses para quem tem 60 anos ou mais, e ao menos 28 dias para os adultos com imunossupressão.

A decisão de São Paulo de incluir o grupo de 60 a 69 anos foi embasada em recomendação do Comitê Científico após análise de trabalhos e as experiências ao redor do mundo dos indicadores da pandemia, especialmente entre idosos, que ainda figuram entre as principais vítimas fatais da COVID-19. Embora representem atualmente 15,2% do total de casos na pandemia, eles prevalecem entre aqueles que desenvolvem quadros graves e evoluem à óbito, com 66,76% do total. A maior proporção de óbitos afeta justamente na faixa etária de 60 a 69, com 24,3% do total geral.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Coronavírus: SP mantém fase de transição até 31 de maio e inicia nova etapa do Plano SP em junho

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 19/05/2021, a prorrogação da fase de transição do Plano São Paulo para todo o Estado até o próximo dia 31. A partir de 1º de junho, o Governo de São Paulo vai iniciar uma nova fase de gestão da pandemia, com ampliação do horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais até as 22h00 e a testagem rápida de pessoas sintomáticas.

A partir do dia 1º de junho, entraremos em uma nova fase do Plano São Paulo, com ampliação do horário de funcionamento das atividades econômicas até as 22h e 60% de ocupação dos locais. Vamos também iniciar um amplo programa de testagem rápida de pessoas sintomáticas nos municípios em todo o Estado de São Paulo”, afirmou Doria. “Estamos avançando, mas com cautela, com prudência e recomendando às pessoas que continuem a usar máscara, a fazer distanciamento social, a fazer uso de álcool em gel e a lavar as mãos com frequência”, completou o Governador.

Até o dia 31, estabelecimentos comerciais, galerias e shoppings podem funcionar das 6h00 às 21h00. O mesmo expediente é seguido por serviços como restaurantes e similares, salões de beleza, barbearias, academias, clubes e espaços culturais como cinemas, teatros e museus. A partir do dia 1º, o horário permitido será das 6h00 às 22h00.

Para evitar aglomerações, a capacidade máxima de ocupação nos estabelecimentos liberados será limitada em 40% a partir do dia 24. Já no dia 1º de junho, a capacidade máxima passa a ser de 60%. Continuam liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social.

O toque de recolher continua nas 645 cidades do Estado, das 21h00 às 5h00, assim como a recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores do comércio, serviços e indústrias. A partir do dia 1º, o toque de recolher será das 22h00 às 5h00.

Segundo a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, o modelo da testagem rápida para sintomáticos nos municípios foi recomendado pelo Centro de Contingência do coronavírus. “Hoje já temos disponível um novo modelo de teste antígeno, que permite um trabalho de controle maior da pandemia e que é fundamental, já que houve tantos atrasos no cronograma nacional de vacinação”, disse ela.

Toda a frente de testagem e monitoramento da transmissão vai incluir essa estratégia de distribuição de testes rápidos para prefeituras e metas de testagem. E os municípios deverão ter a estratégia de monitoramento de contatos atualizada e a testagem em ambientes privados. Teremos reunião com o Governador no início da semana que vem para que possamos lançar oficialmente essa nova etapa”, completou a Secretária.

Nesta quarta-feira, a taxa de ocupação de UTIs por pacientes graves com COVID-19 está em 79% no Estado e em 76,9% na Grande São Paulo. O total de internados em UTIs era de 10.129 em todo o Estado, com outros 11.983 pacientes em vagas de enfermaria.

Fonte: Portal do Governo de São Paulo

Coronavírus: SP prorroga fase de transição com horário estendido para comércio e serviços

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 28/04/2021, a prorrogação da fase de transição do Plano São Paulo para todo o estado por mais uma semana, até o dia 9 de maio. Com o recuo gradual de indicadores de casos, internações e mortes por COVID-19, o Estado fixou horário estendido das 6h00 às 20h00 para atendimento presencial limitado a 25% de capacidade em comércios e serviços não essenciais.

Damos assim a continuidade gradual e segura de abertura da economia do estado de São Paulo para recuperar empregos e dar oportunidades aos brasileiros de nosso estado de terem acesso a renda, salário e dignidade em suas vidas”, afirmou o Governador. “Estamos evoluindo, mas não liberando. Siga as regras sanitárias para proteger as suas vidas e de seus familiares”, acrescentou Doria

O horário estendido das 6h00 às 20h00 vale a partir do próximo sábado (1) para estabelecimentos comerciais, galerias e shoppings. O mesmo expediente poderá ser seguido por serviços como restaurantes e similares, salões de beleza, barbearias, academias, clubes e espaços culturais como cinemas, teatros e museus. Até sexta (30), porém, continua a vigorar o horário atual das 11h00 às 19h00.

A fase de transição mantém liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social. Parques estaduais e municipais também poderão ficar abertos, mas com horário das 6h00 às 18h00.

Para evitar aglomerações, a capacidade máxima de ocupação nos estabelecimentos liberados está mantida em 25%. O toque de recolher continua nas 645 cidades do estado, das 20h00 às 5h00, assim como a recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores do comércio, serviços e indústrias.

É muito importante respeitar a capacidade de ocupação de 25% e o toque de recolher, que é um ponto que os especialistas em saúde têm defendido muito. Quando nós conseguimos reduzir a circulação das 20h00 às 5h00, nós conseguimos ter uma redução muito importante da taxa de transmissão. Nós estamos tendo uma redução de leitos de UTI ocupados de cerca de 1% por semana”, afirmou a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen.

Nesta quarta, a taxa de ocupação de UTIs por pacientes graves com COVID-19 está em 80% no estado e em 78,4% na Grande São Paulo. O total de internados em UTIs era de 10.426 em todo o estado, com outros 11.686 pacientes em vagas de enfermaria.

Fonte: Portal do Governo de São Paulo

Coronavírus: São Paulo entra na fase de transição para retomada gradativa da economia

O Vice-Governador Rodrigo Garcia anunciou nesta sexta-feira, 16/04/2021, a atualização do Plano São Paulo, com início da fase de transição para todo Estado até o dia 2 de maio. Nas últimas semanas, os indicadores da saúde apresentaram uma redução progressiva, com queda nas internações e diminuição da ocupação hospitalar, o que permitiu o avanço para retomada gradativa e consciente das atividades não essenciais.

As medidas mais rígidas de restrição da fase vermelha, o avanço na vacinação e a expansão de leitos hospitalares resultaram em decréscimo de 1,4% ao dia em novas internações e de 0,8% ao dia em UTIs para pacientes moderados e graves com coronavírus.

A fase de transição é necessária para que possamos dar passos seguros adiante sem o risco de retroceder. O apoio da população nesse novo momento da pandemia continua sendo fundamental. Não é hora de baixarmos a guarda”, afirmou o Vice-Governador e Secretário de Governo Rodrigo Garcia.

A nova fase inicia no próximo domingo, 18, e está dividida em dois períodos. Na primeira semana, de 18 a 23 de abril, a flexibilização acontecerá para o setor do comércio, incluindo lojas de shopping, com funcionamento permitido das 11h00 às 19h00. Nesse período, também será permitida a realização de cerimônias e cultos religiosos com restrições, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social.

No período de 24 a 30 de abril, além dos estabelecimentos comerciais, poderão voltar a funcionar as atividades ligadas ao setor de serviços como restaurantes e similares (lanchonetes, casas de sucos, bares com função de restaurante), salões de beleza e barbearias, atividades culturais, parques, clubes e academias. O horário de funcionamento será das 11h00 às 19h00, com exceção das academias, que poderão abrir das 7h00 às 11h00 e das 15h00 às 19h00.

A fim de evitar aglomerações, a capacidade de ocupação permitida nos estabelecimentos na fase de transição será de 25%. O toque de recolher continua em vigência em todo o Estado, das 20h00 às 5h00, assim como a orientação para o teletrabalho para as atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horário na entrada e saída das atividades do comércio, serviços e indústrias. A próxima atualização do Plano SP acontecerá a partir do dia 1 de maio.

Fonte: Portal do Governo de São Paulo