Prefeito entrega ao Governo do Estado documento contra pedágio na Mogi-Dutra

O prefeito Marcus Melo reafirmou seu posicionamento contrário à implantação de uma praça de pedágio no quilômetro 45 da rodovia Mogi-Dutra. O ofício ao Governo do Estado foi protocolado na tarde desta quarta-feira, 23/10/2019, junto à Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), em São Paulo, e elenca diversas razões para que o município seja contrário à medida.

O documento reitera o posicionamento do prefeito sobre a questão. Em junho, ele já havia manifestado oficialmente ao Governo do Estado ser contrário à praça de cobrança na rodovia, que é a principal ligação entre Mogi das Cruzes e as rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra.

A Mogi-Dutra é utilizada diariamente por milhares de mogianos e cidadãos das cidades vizinhas que trabalham ou estudam na Capital ou Vale do Paraíba. Eles seriam penalizados com a cobrança, apesar do desconto por utilização proposto no projeto de Parceria Público-Privada, sendo um ônus demasiadamente pesado para todos. Pior ainda para quem mora nos bairros e loteamentos mais afastados, próximos à divisa com outras cidades que, absurdamente, teriam que pagar pedágio para vir ao centro da cidade”, destacou Marcus Melo no documento protocolado.

Prefeito Marcus Melo reiterou seu posicionamento contrário à implantação de pedágio na rodovia Mogi-Dutra e destacou que medida traria prejuízos para a cidade. Foto: Ney Sarmento/PMMC

O prefeito lembra que o trecho da rodovia Mogi-Dutra entre a cidade e a rodovia Ayrton Senna já possui estrutura consolidada, tendo tido a sua duplicação entregue em 2005. “Assim, a nosso ver, não existe justificativa técnica para a implantação de uma praça de pedágio na rodovia”, pontua.

O documento protocolado pontua ainda que a medida poderia trazer prejuízos econômicos para a cidade, uma vez que a rodovia é utilizada pelas indústrias da região para receber matéria-prima e para o escoamento de produtos. “É importante considerar ainda que, diariamente, centenas de pequenos produtores rurais utilizam a rodovia Mogi-Dutra para levar hortaliças, verduras e frutas para abastecer o Ceagesp e, assim, boa parte do Estado de São Paulo. A cobrança, então, representaria um aumento nos custos, o que pode ter reflexos no valor final dos produtos aos consumidores, inclusive paulistanos”, argumentou.

Sobre a rodovia Mogi-Bertioga, o prefeito lembra que a estrada foi construída nas décadas de 1970 e 1980, com recursos municipais. Com o tempo, ela se transformou em uma importante ligação da Região Metropolitana de São Paulo com o Litoral e atualmente se encontra saturada, principalmente pelo tráfego vindo da Zona Leste de São Paulo, e apresentando sérios problemas de fluidez aos finais de semana e feriados, além de questões estruturais, como deslizamentos.

Entendo que as melhorias que a estrada necessita só serão possíveis de serem executadas com a participação da iniciativa privada. Mas, isso não pode penalizar Mogi das Cruzes e as cidades vizinhas com um pedágio na Mogi-Dutra. Seria contraditório exigir que os mogianos paguem esta conta, enquanto quem mora na Zona Leste, que utiliza e congestiona as nossas vias para chegar a Mogi-Bertioga, fique isento da tarifa. Não é justo que os mogianos e os moradores do Alto Tietê sejam onerados pelas obras na Mogi-Bertioga, que foi construída com o suor dos mogianos”, afirma o documento.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Secretário estadual garante a vereadores novas obras para segurança na Mogi-Bertioga

A fim de garantir mais segurança aos usuários da Rodovia Mogi-Bertioga (SP-98) a Secretaria de Estado de Logística e Transportes decidiu realizar mais obras de contenção na Serra no Mar, às margens da rodovia, principal acesso dos mogianos e paulistas ao litoral. As obras emergenciais devem ocorrer nas próximas semanas, segundo anunciou o secretário-adjunto do Estado de Logística e Transportes, José Luiz Eroles Freire, aos vereadores Francimário Vieira, o Farofa e Antônio Lino da Silva – membros da Comissão Especial de Vereadores (CEV) da Câmara de Mogi das Cruzes, que estuda melhorias de tráfego e segurança na SP-98.

Na reunião de trabalho, realizada na capital na manhã desta terça-feira, 23/10/2018, os parlamentares de Mogi das Cruzes tinham por objetivo definir junto ao Governo do Estado uma nova data para vistoria na Mogi-Bertioga (SP-98), além de alinhar ações e medidas de benfeitorias na estrada dentre as quais a realização de uma audiência pública na Câmara de Mogi das Cruzes.

A Secretaria (de Logística e Transportes) está totalmente empenhada em resolver esta questão de segurança na Mogi-Bertioga. As obras estão acontecendo há alguns meses no trecho onde houve deslizamento de terra e pedras no primeiro semestre, com um monitoramento constante dos técnicos e geólogos”, afirmou Freire, admitindo que o incidente – deslizamento de uma pedra – no último feriado, chamou ainda mais a atenção dele e secretário estadual Mário Mondolfo.

Trabalhos na encosta do quilômetro 89 da rodovia continuarão. Foto: Junior Lago/PMMC

É bem preocupante a situação da Mogi-Bertioga”, reforçou José Luiz Eroles Freire. “Requer, inclusive, uma atenção especial e diferenciada. Tanto, que estamos com obras em andamento e prestes de contratar um estudo geológico específico para a Serra do Mar, onde está a Mogi-Bertioga, a fim de entender esses incidentes e tentar antecipar na aplicação de medidas que garantam de vez por todas a segurança na Serra”, completou. Segundo o secretário-adjunto, a concorrência pública deve ser aberta nos próximos dias.

Enquanto isso, segundo Freire, as obras de construção de um muro de arrimo no km 89 (onde caiu a rocha de 200 toneladas, em abril deste ano) seguem ininterruptas. Além disso, segundo ele, novas obras de contenção de encosta no trecho de serra da Mogi-Bertioga (SP-98) devem ocorrer, nos km: 83 e 87. “Vamos construir muros de arrimo nestes dois pontos também já que durante vistorias e um pré-estudo, foi possível identificar risco de deslizamento nestas regiões, em razão da grande concentração de umidade”, explicou

O presidente da CEV da Mogi-Bertioga, Francimário Vieira, o Farofa, aprovou a medida paliativa anunciada pela Secretaria de Estado de Logística e Transportes e ainda assim propôs a realização de uma nova vistoria na SP-98 com a presença dos secretários estaduais e técnicos da pasta, além do Instituto Geológico. “É importante avaliar ‘in loco’ toda a situação atual da Serra e definir prazos para a obra e orientação aos motoristas”, ponderou. Outro pleito do parlamentar republicano foi a realização de Operações especiais no período de fim de ano (novembro – dezembro). “Criar um canal de comunicação direta com o usuário e verificar rotas alternativas para os moradores de bairros às margens da Mogi-Bertioga como Biritiba Ussu, por exemplo, é essencial”, reforçou.

O relator da CEV, vereador Antonio Lino da Silva concordou e propôs a realização e obras de duplicação no trecho que antecede a Serra, chamado de planalto. “É onde hoje ocorre o maior gargalo de trânsito” argumentou. “Até lá poderiam ser feitas operações especiais em conjunto com Prefeitura e Policia Rodoviária; Descida – liberando de duas a três faixas no sentido Litoral por um tempo determinado; e no retorno de feriados, a operação subida”, sugere.

Fonte: Câmara Municipal de Mogi das Cruzes

Rodovia Mogi-Bertioga é liberada para o trânsito de veículos

A rodovia Mogi-Bertioga foi liberada ao tráfego na tarde desta quarta-feira, 02/05/2018. O anúncio foi feito durante vistoria do governador Márcio França ao quilômetro 89 da via. O prefeito Marcus Melo acompanhou a visita.

Foi feito todo o trabalho com calma para não ter problema e agora que a Defesa Civil e o Instituto Geológico fizeram a análise nós vamos liberar a pista. As pedras principais foram retiradas e será construído um muro de contenção. A gente espera que isso seja suficiente e o mais importante é a segurança do usuário”, afirmou o governador, ao lado do secretário estadual de Logística e Transportes, Mário Mondolfo.

As obras do DER no quilômetro 89 da rodovia continuarão a ser feitas durante a semana, mas serão interrompidas nos finais de semana, quando a movimentação de veículos é maior. A expectativa é que os serviços sejam concluídos em até quatro meses e, além das intervenções na encosta e a construção do novo muro, que ficará entre o atual muro de gabião e a pista, também estão previstas melhorias na curva existente no local.

O governador lembrou ainda que o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) manterá, durante o período de obras, um monitoramento das condições climáticas na região. Quando o índice de chuvas chegar a 40 milímetros, as equipes ficarão em alerta e, caso haja chuvas superiores a 80 milímetros, o trânsito poderá ser interrompido por medida de precaução.

Tráfego de veículos na rodovia Mogi-Bertioga foi liberado na tarde desta quarta-feira. Trabalhos na encosta do quilômetro 89 da rodovia continuarão. Foto: Junior Lago/PMMC

Precisa ter um monitoramento e um acompanhamento diário, com atenção especial nos dias de chuva para saber como está este material que encontra-se acima do gabião. É preciso a construção deste muro de concreto. É importante que a segurança dos usuários esteja em primeiro lugar. Nós, dos municípios de Mogi das Cruzes e Bertioga, estaremos acompanhando”, disse o prefeito Marcus Melo.

Ele destacou ainda que a reabertura da estrada será benéfica para os municípios, não só pela normalização do trânsito, mas pelo comércio existentes às margens da rodovia e a circulação de estudantes e trabalhadores entre o Alto Tietê e o Litoral.

Para o trabalho de acompanhamento das condições das Serra do Mar, o DER contratou um estudo que fará a análise de encostas de rodovias no Litoral e Grande São Paulo, no valor de cerca de R$ 3 milhões e financiamento pelo Banco Mundial. O trabalho será coordenado pelo Instituto Geológico.

A rodovia foi interditada no dia 11 de abril devido a um grande deslizamento que bloqueou a pista na altura do quilômetro 89. Equipes do DER trabalharam na limpeza do local, mas as fortes chuvas que atingiram a região nos dias 14 e 15 causaram novos desabamentos. Desde então, os funcionários trabalharam na limpeza das pistas, na reconstrução do muro de gabião e na contenção da encosta.

Também participaram da vistoria o superintendente do DER, Ricardo Volpi, o diretor técnico do DER, Deni Loretti Filho, os deputados estaduais Luiz Carlos Gondim Teixeira e André do Prado, e vereadores de Mogi das Cruzes, além de técnicos do Instituto Geológico e da Defesa Civil do Estado.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Vistoria define a liberação do trânsito na rodovia Mogi-Bertioga

Uma vistoria nesta quinta-feira, 26/04/2018, às 10h00, deverá decidir sobre a liberação da rodovia Mogi-Bertioga para o trânsito de veículos. A definição foi tomada na manhã desta quarta-feira, 25/04, em São Paulo, durante uma reunião do secretário estadual de Logística e Transportes, Mário Mondolfo, com o prefeito Marcus Melo, que também teve a presença do deputado estadual Marcos Damásio e de vereadores.

Nosso pedido é para a liberação imediata da rodovia Mogi-Bertioga, desde que haja certeza absoluta que não há nenhum risco para os motoristas. Combinamos uma vistoria no local onde aconteceu o deslizamento e onde está sendo construído o muro para que seja feita uma análise com o Departamento de Estradas de Rodagem, o Instituto Geológico e a Defesa Civil do Estado para verificar a possibilidade de liberação já para este final de semana”, disse o prefeito Marcus Melo.

Reunião com o secretário estadual de Transportes discutiu a situação da rodovia Mogi-Bertioga e vistoria no local será realizada nesta quinta-feira. Foto: Guilherme Berti/PMMC

O prefeito lembrou que o fechamento da rodovia, que está interditada há cerca de duas semanas por causa da queda de barreira e pedras, vem trazendo problemas para a região, principalmente para os moradores, comerciantes e estudantes que necessitam se locomover entre Mogi das Cruzes e o litoral.

O secretário estadual destacou que o DER vem realizando obras para a retirada do material que desceu para a pista e o que ficou solto na serra, além de ações para contenção da encosta. Neste caso, o trecho está recebendo a reconstrução do muro de gabião que protege a rodovia.

O DER continua trabalhando para a liberação das pistas, as obras estão bastante adiantadas e dependendo do resultado destas vistorias vamos liberar o tráfego, voltando a frisar que só vamos liberar o tráfego quando a gente tiver risco zero de ocorrer qualquer tipo de problema lá”, afirmou Moldolfo, lembrando que o departamento contratou um estudo para análise da Serra do Mar. “Estamos trabalhando emergencialmente nos locais onde houve os deslizamentos, esta é a ação de curto prazo. E a médio prazo, o DER já contratou um programa que vistoria a geologia da região da Serra do Mar da Mogi-Bertioga. E a partir deste estudo, vão ser detectados pontos críticos que serão atacados para que não ocorram mais problemas”, completou.

Outras solicitações

Durante a reunião, o prefeito Marcus Melo também apresentou a Mondolfo demandas de Mogi das Cruzes junto à Secretaria Estadual de Transportes. Entre eles estão os trechos restantes da via Perimetral, que ligarão as rodovias Mogi-Bertioga e Mogi Salesópolis e Mogi-Salesópolis e Mogi-Guararema.  A Prefeitura já vem buscando recursos para atualização dos projetos existentes para os trechos, uma vez que eles foram feitos em um cenário bem diferente do atual no que se refere a frota de veículos da cidade e população.

Outro assunto discutido foi a construção de uma rotatória na rodovia Mogi-Salesópolis, próximo à empresa Kimberly Clark. A intervenção melhoraria o acesso na região, contribuindo para maior segurança na via. A solicitação para melhorias na pavimentação da região do Taboão também foi apresentada. A intenção é melhorar as condições logísticas e de acesso às empresas do distrito.

Também participaram da reunião os vereadores Vereador José Francimário Vieira de Macedo, o Farofa, Antônio Lino e Sadao Sakai, além do secretário municipal de Obras, Walter Zago.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Atualização (26/04/2018):

A rodovia Mogi-Bertioga permanecerá interditada por, pelo menos, mais cinco dias por conta da identificação de risco de novas quedas de rochas de grande porte da encosta sobre a pista no quilômetro 89. A informação foi passada pelo superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Ricardo Volpi, durante vistoria realizada na manhã desta quinta-feira, 26/04.

De acordo com o órgão estadual, levantamentos realizados na encosta da rodovia, com a participação de técnicos do Instituto Geológico (IG), identificaram o risco de deslizamento de rochas de grande porte, uma delas com peso estimado de cerca de 500 toneladas.

O que ocorreu é um desastre natural. A rodovia está em perfeitas condições, bem conservada, mas a serra ainda está instável e foram detectados pontos em que rochas de grande porte que estão nesta área instável. Nossas ações são compartilhadas com a Defesa Civil, o Instituto Geológico e a Defesa Civil de Bertioga e as decisões precisam ser unânimes. Não podemos deixar nenhuma dúvida que outro problema possa ocorrer”, explicou Volpi.

Ao todo, são seis grandes rochas que estão com problemas. Nesta quinta e sexta-feira, 26 e 27/04, o DER pretende implodir as pedras, fragmentando-as em pedaços menores. Após este trabalho, será feita uma nova análise da encosta e iniciados serviços para fazer as bernas, que são cortes no talude. O muro de gabião que protege a estrada e foi danificado durante os últimos deslizamentos já foi recuperado.

Prefeitos e DER vistoriam trecho da Rodovia Mogi-Bertioga que permanece interditado

O prefeito Marcus Melo participou, na manhã desta segunda-feira, 16/04/2018, de uma vistoria no quilômetro 89 da rodovia Mogi-Bertioga, que está interditada devido à queda de uma barreira. Ao lado de representantes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), do vice-prefeito Juliano Abe, do prefeito de Bertioga, Caio Matheus, e vereadores ele acompanhou os trabalhos que estão sendo desenvolvidos pelo órgão estadual no trecho. Não há previsão para a liberação da via.

O trecho foi interditado na última quarta-feira, 11/04, devido a um grande deslizamento que bloqueou a pista. Equipes do DER trabalharam durante os últimos dias e a expectativa era de que a estrada pudesse ter sido liberada nesta segunda-feira, 16/04, mas as fortes chuvas que atingiram a região neste final de semana causaram novos desabamentos, o que exigirá mais tempo de trabalho.

A rodovia não é importante apenas para Mogi das Cruzes e Bertioga, mas para toda a Grande São Paulo, que a utiliza para chegar ao litoral, os estudantes, comerciantes e pessoas que moram em uma região e trabalham na outra. Então, a interdição atrapalha bastante. Tínhamos expectativa sobre a liberação da rodovia, mas as chuvas do final de semana fizeram com que mais pedras e lama descessem da encosta. Nossa preocupação é que a estrada seja liberada o mais rápido possível, mas que o trabalho seja feito com segurança para os operários que estão aqui”, afirmou Marcus Melo.

Trecho da Rodovia Mogi-Bertioga teve novos deslizamentos neste final de semana e o DER deverá continuar trabalhando no local durante toda a semana. Foto: Ney Sarmento/PMMC

O prefeito lembrou ainda que a Prefeitura está acompanhando o andamento dos trabalhos e as providências que estão sendo adotadas pelo órgão estadual e que a união de Mogi das Cruzes e Bertioga é importante neste momento. “A Prefeitura também está à disposição para auxiliar o DER no que for possível”, disse.

O novo deslizamento deste final de semana levou para rodovia Mogi-Bertioga cerca de 1.000 metros cúbicos de materiais, o que equivale a cerca de 1,5 mil toneladas. Uma rocha de cerca de 200 toneladas também desceu para a pista. Neste final de semana, a região da Serra do Mar entre Mogi das Cruzes e Bertioga registrou cerca de 137 milímetros de chuva, quase o triplo do que era previsto.

Já estávamos trabalhando com a necessidade de remoção de materiais que estavam soltos e próximos à estrada. Com a chuva, que foi muito maior que a prevista, ocorreu este novo deslizamento e a retirada que seria forçada se tornou natural. Com certeza, durante toda esta semana continuaremos trabalhando”, afirmou o diretor técnico do DER, Deni Loretti Filho.

Ele explicou ainda que a maior dificuldade para a realização dos trabalhos está nas características apresentadas pela Serra do Mar nesta região. “A serra não é nem rocha nem apenas solo. Existem muitas infiltrações, fissuras e um volume grande de água descendo. Neste trecho, temos muitas nascentes e a mata fechada dificulta a visualização de um risco iminente”, explicou Loretti Filho.

A rodovia Mogi-Bertioga está interditada entre os quilômetros 68, nas proximidades de Biritiba Ussú, e 98, no encontro com a rodovia Rio-Santos. As opções de desvios para os motoristas são as rodovias Imigrantes, Anchieta, Tamoios e Oswaldo Cruz.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes