🏀 Liga Sul-Americana de Basquete 2016 – final – jogo 3

O Mogi das Cruzes/Helbor é o campeão da Liga Sul-Americana 2016. Na noite desta quarta-feira, 30/11/2016, na Argentina, a equipe mogiana conseguiu uma incrível virada no último quarto, segurou a pressão do Weber Bahía Blanca (ARG) e levou a melhor, de maneira dramática, por 84 a 81. Com isso, fechou a série final em 3 a 0 e conquistou o título inédito.

Depois de voltar a ganhar um troféu após quase 20 anos ao faturar o Campeonato Paulista 2016, o Mogi conquistou o primeiro título internacional de sua história. Em 2014, os mogianos foram vice-campeões da Sul-Americana perdendo para o Bauru, de Guerrinha e Larry Taylor, hoje heróis de Mogi das Cruzes.

Com 21 pontos e um papel decisivo na virada da vitória do título, o norte-americano Shamell foi eleito o MVP da Final da Liga Sul-Americana 2016. Nos dois últimos jogos, o capitão do Mogi foi crucial para os triunfos no Hugo Ramos e teve sua importância coroada com o troféu de Jogador Mais Valioso da série.

O troféu de MVP da final poderia ter sido tranquilamente dado a Tyrone. O ala/pivô norte-americano fez uma partida espetacular na Argentina e foi o grande líder da equipe em quadra, principalmente no momento da virada no último quarto. No total, o camisa 0 fez 23 pontos, pegou nove rebotes e totalizou 27 de eficiência.

Somente os cinco titulares do Mogi pontuaram no jogo do título. Além dos 21 pontos de Shamell e os 23 de Tyrone, a equipe mogiana contou com 14 pontos de Caio Torres e Jimmy, que também pegaram sete rebotes cada, e 12 de Larry Taylor, que ainda deu seis assistências.

Dois momentos: O primeiro tempo teve dois momentos distintos. O período inicial foi de superioridade do Mogi, que estava afiado nas bolas de 3 pontos, principalmente os norte-americanos Tyrone e Shamell, e chegou a ter seis pontos de frente. Depois, no segundo quarto, o Bahia Blanca cresceu, roubou diversas bolas com sua forte defesa e não só virou o jogo, como ainda abriu oito pontos (34 a 26).

Depois de ver o Bahia Blanca abrir 11 pontos no início do terceiro quarto, o Mogi mudou a postura e foi pra cima dos donos da casa. Com Tyrone e Shamell pra lá de inspirados, a equipe mogiana melhorou na defesa, foi tirando a diferença aos poucos e voltou para o jogo. Com diferença em três pontos, o time brasileiro foi para o último quarto querendo a virada, perdendo por apenas 65 a 62. Os comandados do técnico Guerrinha finalmente conseguiram a vantagem. Com bola de 3 de Jimmy, os mogianos passaram à frente em 76 a 73 e tornou a se aproximar do título. No entanto, os argentinos rapidamente recuperaram a ponta do placar (79 a 76) e exigiram uma rápida reação brasileira.

Com linda falta e cesta em cima do norte-americano Anthony Johnson, Caio Torres ainda converteu o lance livre de bonificação e empatou o duelo (79 a 79). Na sequência, a equipe brasileira segurou os donos da casa na defesa e passou à frente após linda bola de 3 pontos de Shamell, restando pouco mais de um minuto para acabar (82 a 79).

Restando 25 segundos para o fim, o Mogi vencia por 82 a 81, quando Larry Taylor foi para a linha dos lances livres. Errou o primeiro, mas acertou o segundo (83 a 81). Em sua posse, o Bahia Blanca buscou a infiltração, mas o principal nome da equipe, Lucio Redivo, perdeu a bola restando 12 segundos.

Na saída, Tyrone sofreu rápida falta e foi para a linha dos tiros livres. Assim como Larry, errou o primeiro e converteu o segundo (84 a 81). Os argentinos erraram o arremesso novamente e a bola ficou com Jimmy, que também foi para o lance livre. Com 4,2 segundos no relógio, o camisa 18 desperdiçou as duas tentativas, mas Vaulet chutou do meio da quadra, a bola quase caiu, e o título ficou com o Mogi das Cruzes.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios

🏀 Liga Sul-Americana de Basquete 2016 – final – jogo 2

Foi uma virada de tirar o fôlego e o Mogi das Cruzes/Helbor abriu 2 a 0 de frente na finalíssima da Liga Sul-Americana 2016. Após ficar o tempo todo em desvantagem, o time brasileiro virou para cima do Weber Bahia Basket (ARG) nos segundos finais e venceu o duelo realizado na noite desta quinta-feira, 24/11/2016, no Ginásio “Professor Hugo Ramos”, por 80 a 77.

O terceiro jogo da decisão da Liga Sul-Americana, disputada em uma melhor de cinco, acontece na próxima quarta-feira, 30/11, desta vez na Argentina. Caso saia vencedor, Mogi garantirá o inédito título continental. Já em caso de vitória do Bahia Basket, a quarta partida acontecerá no dia seguinte, também no país vizinho.

Restando pouco mais de um minuto, Mogi empatou o jogo após bola de três pontos convertida por Jimmy (75 a 75). Na sequência, o jogo virou uma “batalha de xadrez” e o time brasileiro contou com a precisão de Shamell nos lances livres para virar o jogo.

Soubemos fechar o jogo mais uma vez. Hoje não fizemos uma grande partida, mas temos que saber ganhar jogando mal também. Nosso grande mérito foi não desistir e todo mundo manteve a tranquilidade. Eles fizeram um grande jogo, mas nosso time teve muita garra para buscar a virada”, analisou o técnico Guerrinha.

Diferente do Jogo 1, Shamell não teve grande atuação, mas ainda assim foi decisivo para a vitória mogiana. O norte-americano foi à linha dos lances livres três vezes no minuto final, converteu cinco dos seis arremessos e decretou a virada da equipe paulista.

Outro norte-americano da equipe, Tyrone foi o grande nome do Mogi nesta quinta. Em quadra por mais de 39 minutos, o camisa 0 foi o cestinha da partida, com 23 pontos, e ainda acumulou nove rebotes. O jogador mostrou alto aproveitamento nos arremessos para construir sua pontuação – 5/7 nos dois pontos (71%) e 4/8 nos dois pontos (50%).

Caio Torres voltou a ser crucial para a vitória mogiana. Também com ótimo aproveitamento, o pivô marcou 18 pontos e ainda apanhou oito rebotes. No Jogo 1, o jogador teve um duplo-duplo de 15 pontos e 11 rebotes.

Não começamos bem, sentimos um pouco o jogo. Mas após a pausa do intervalo mudamos nossa postura e lutamos até o fim. Conversamos muito no vestiário e tanto o Guerrinha como os líderes do time passaram uma energia muito grande. Estou feliz demais pela vitória e mais ainda pela maneira como foi”, exaltou Caio Torres.

Moonstro! Autor da cesta que empatou o jogo, Jimmy ainda marcou outros dois pontos especiais na construção da virada mogiana. O jogador cruzou a quadra e deu uma linda enterrada “na cabeça” de Jamaal Levy. Após o lance e uma encarada do brasileiro para cima do rival, a torcida mogiana fez muito barulho no Ginásio Hugo Ramos e empurrou o time ainda no terceiro quarto.

O time argentino iniciou a partida com tudo e abriu grande vantagem no placar logo nos minutos iniciais. Com um ritmo intenso na defesa, o Bahia Basket forçou o Mogi a seguidos erros, pontuou nos contra-ataques e abriu 15 a 7 de frente.

Durante o segundo quarto, Mogi melhorou seu desempenho, mas os argentinos seguraram a liderança com certa folga. Só que no estouro do cronômetro, o garoto Vithor Lersch converteu bola de três pontos e cortou a vantagem dos visitantes para seis pontos (37 a 31).

Durante todo o segundo tempo, Mogi se manteve próximo dos argentinos no placar. Com pouco mais de quatro minutos para o fim, o Bahia Basket vencia por cinco pontos (72 a 67) e a partir de então os mogianos aceleraram o ritmo para garantir a dramática vitória.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Liga Sul-Americana de Basquete 2016 – final – jogo 1

O Mogi das Cruzes/Helbor saiu na frente na briga pelo título da Liga Sul-Americana 2016. Em um confronto bastante nervoso e decidido apenas nos minutos finais, a equipe brasileira segurou o Weber Bahia Basket (ARG) e venceu o jogo realizado na noite desta quarta-feira, 23/11/2016, no Ginásio “Professor Hugo Ramos”, pelo placar de 77 a 72.

As equipes chegaram ao último quarto empatadas em 61 a 61 e os dez minutos finais foram de arrepiar. Após algumas trocas de liderança, o time brasileiro foi mais eficiente nos minutos finais e garantiu a vitória no duelo inicial do playoff melhor de cinco jogos.

O ala Shamell teve uma grande atuação e foi um dos destaques do Mogi na partida. Com direito a cinco bolas convertidas da linha de três pontos, o norte-americano comandou o ataque brasileiro e foi o cestinha do jogo, com 25 pontos. Larry Taylor foi outro personagem importante para a vitória mogiana, principalmente no último quarto. O camisa 4 deixou a quadra com 18 pontos, sendo nove deles na parcial final, e ainda garantiu um duplo-duplo ao apanhar dez rebotes. Para completar a grande noite, o “Alienígena” distribuiu seis assistências.

O pivô Caio Torres também teve alta contribuição para o êxito dos brasileiros. Mesmo atuando com fortes dores no joelho, o jogador foi dono de grande performance e deixou a quadra com um duplo-duplo de 15 pontos e 11 rebotes na conta.

Liga Sul-Americana de Basquete 2016
Foto: Gaspar Nóbrega/ FIBA

E agora? O segundo jogo da decisão acontece já nesta quinta-feira, 24/11, novamente no Ginásio Hugo Ramos, às 20h15, ao vivo no SporTV 3. Na próxima semana, nos dias 30/11 e 01/12, acontecerão os Jogos 3 e 4, este último caso necessário.

Durante a partida, Mogi cometeu um total de 17 erros em seu ataque, contra apenas dez dos rivais. A partir dos desperdícios de bola dos brasileiros, o time argentino garantiu 26 pontos em contra-ataques.

O importante é a vitória, claro, mas não fizemos um bom jogo. Se não tivéssemos cometido 17 erros, talvez nossa vitória viesse com mais tranquilidade. Nossa defesa foi bem e sofremos apenas 72 pontos. Sabemos que podemos jogar melhor e tenho certeza que amanhã entraremos mais ligados”, disse o técnico mogiano Guerrinha.

O Ginásio Hugo Ramos esteve lindo nesta quarta-feira. Com ótima presença, a torcida local cantou e empurrou o time durante todo o jogo, fazendo “pulsar” o caldeirão mogiano.

Do lado do Bahia Basket, dois jogadores tiveram atuações destacadas. Com muita força no garrafão, o pivô norte-americano Anthony Johnson marcou 18 pontos, mesma quantidade do jovem ala/armador Lucio Redivo.

O jogo: Mogi iniciou a partida com tudo e abriu boa vantagem logo de cara. Com rápidos contra-ataques, a equipe paulista aproveitou muito bem os erros dos rivais e colocou 11 a 2 de frente em pouco mais de dois minutos jogados.

Após o meteórico início, Mogi manteve a liderança até o fim do primeiro tempo. Com bastante regularidade ofensiva, a equipe conseguiu chegou a abrir 12 pontos e segurou sempre uma confortável vantagem, mesmo com a melhora dos argentinos na partida.

Tudo se encaminhava para o time brasileiro levar sete pontos de frente para os vestiários, mas o Bahia Basket contou com um arremesso de Lucio Redivo no estouro do cronômetro para cortar a diferença no placar para quatro pontos antes da pausa para o intervalo.

Durante todo o terceiro quarto, Mogi soube lidar com a pressão do Bahia Basket e manteve a liderança. No entanto, um novo vacilo no último lance da parcial deixou tudo igual. Tyrone errou na saída de bola e “deu um presente” para Jansen converter bola de três pontos e empatar o marcador em 61 a 61.

Logo no início da parcial final, o Bahia Basket assumiu a liderança pela primeira vez na partida. Depois disso, as equipes se revezaram na liderança em quatro oportunidades, até que Mogi melhorou sua defesa, contou com boas jogadas individuais de Larry e abriu boa diferença para confirmar a vitória.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Liga Sul-Americana de Basquete 2016 – semifinal – rodada 3

O Mogi das Cruzes/Helbor está na finalíssima da Liga Sul-Americana. Na noite desta quarta-feira, 09/11/2016, em Maldonado, no Uruguai, o time brasileiro dominou o anfitrião Hebraica Maccabi do início ao fim, venceu com tranquilidade por 82 a 69 e carimbou seu passaporte rumo à decisão do torneio continental.

Com a vitória arrasadora sobre os uruguaios, a equipe mogiana fechou o Grupo F com três vitórias em três jogos e agora enfrentará na Final o Weber Bahia Basket (ARG), classificado do Grupo E. A decisão será disputada em uma melhor de cinco jogos, entre os dias 23 de novembro e 07 de dezembro. Os dois primeiros jogos acontecerão em Mogi das Cruzes, nos dias 23 e 24 de novembro. O terceiro jogo será na Argentina, no dia 30/11. Se necessária, a quarta partida acontecerá no dia seguinte, 01/12, também em solo argentino.

Invicto também na primeira fase, com três vitórias no Grupo A, o Mogi teve a melhor campanha e terá a vantagem de decidir o playoff final no Ginásio “Professor Hugo Ramos”, em um possível quinto jogo, agendado para o dia 07 de dezembro.

Jogamos bem nas outras duas partidas, mas nesta fomos ainda melhor. Nós soubemos controlar o jogo e não demos chances a eles”, disse Shamell, que já projetou a decisão.

Agora teremos o Bahia Blanca pela frente. Se trata que tem um treinador muito bom com jogadores jovens e fortes. Já nós somos um time mais experiente. Vai ser uma grande série”, completou o camisa 24.

Esta não é a primeira vez em que o Mogi atinge a final da Liga Sul-Americana. Em 2014, a equipe do Alto do Tietê venceu o Boca Juniors em uma das semifinais – naquele ano o torneio foi disputado em outro formato –, mas acabou derrotado pelo Gocil/Bauru Basket na decisão.

Do início ao fim: Apesar de se tratar de uma decisão, já que ambos os times venceram as duas primeiras partidas na chave, o Mogi não deu chances ao Hebraica Maccabi. Com ótima atuação, o time brasileiro conseguiu abrir 11 pontos de frente logo no primeiro quarto (26 a 15) e depois disso só aumentou sua vantagem, que diversas vezes chegou na casa dos 20 pontos.

A equipe cumpriu à risca tudo o que combinamos e isso foi a grande chave do nosso sucesso. Estou muito feliz em levar Mogi das Cruzes a mais uma final e em poder ajudar um grupo que é tão unido e deseja muito trazer tantas alegrias para a cidade”, comemorou o técnico Guerrinha, que foi campeão com Bauru e também chega à segunda vez à final da Sul-Americana.

Três jogadores comandaram o largo triunfo brasileiro. Com 21 e 20 pontos, Larry Taylor e Shamell comandaram o ataque mogiano durante todo o jogo e foram os cestinhas da equipe. Por sua vez, o pivô Caio Torres cravou um duplo-duplo de 13 pontos e 15 rebotes.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Liga Sul-Americana de Basquete 2016 – semifinal – rodada 2

Em duelo de brasileiros na fase semifinal da Liga Sul-Americana 2016, melhor para o Mogi das Cruzes/Helbor. O elenco comandado pelo técnico Guerrinha fez mais um grande jogo e bateu o Paulistano/Corpore, por 80 a 59. O time mogiano segue brigando pela vaga na final da competição, já o da capital paulista está eliminado após sua segunda derrota no Grupo F.

Com a vitória, o Mogi chegou a dois resultados positivos em dois jogos e decidirá sua classificação à série final da Liga Sul-Americana na última rodada do Grupo F. Já o Paulistano chegou à segunda derrota na chave e está eliminado da competição.

Cestinha mogiano na partida, com 18 pontos, o ala/pivô Tyrone também foi importante pegando rebotes, com sete, e passando a bola, com cinco assistências. Shamell também pontuou bem, com 16 tentos, e ainda somou mais quatro sobras e três assistências. Outros dois atletas também foram fundamentais para mais um triunfo mogiano. Larry Taylor anotou 12 pontos, pegou sete rebotes, distribuiu seis assistências e recuperou três bolas, enquanto Filipin, que saiu do banco de reservas, foi responsável por mais 15 pontos e outros três roubos.

Liga Sul-Americana 2016
Caio Torres, do Mogi. Foto: Jose Jimenez Tirado/ FIBA

Momento chave: Muito equilibrada até o fim do terceiro quarto, a partida tomou os rumos do Mogi na parcial final. Empurrados por seu quinteto titular, os mogianos logo abriram mais de um dígito de vantagem e não perderam mais controle do jogo.

Apesar da derrota, o Paulistano contou com a inspiração de dois de seus jovens talentos. Lucas Dias terminou a partida com um duplo-duplo, ao anotar 20 pontos (cestinha do jogo) e pegar 11 rebotes. Já Mogi teve uma de suas atuações de maior destaque no basquete adulto, ao fazer 14 pontos e pegar quatro rebotes.

Nesta quarta-feira, 09/11, as duas equipes brasileiras fecharão suas participações no Grupo F. Vivo na briga, o Mogi encara o Hebraica Macabi (URU), anfitrião da chave, às 22h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV, para decidir sua classificação. Já o Paulistano cumprirá tabela, às 20h15, diante do Gimnasia Comodoro (ARG).

Fonte: Liga Nacional de Basquete