Obras das feiras de Jundiapeba e Braz Cubas tiveram início

Começaram as obras de cobertura dos pátios das feiras de Jundiapeba e Braz Cubas. Os espaços também receberão área para administração, sanitários e fechamento com alambrado. Os novos espaços trarão mais conforto e segurança para feirantes e frequentadores. O investimento total é de R$ 3.865.277,48.

O objetivo da Secretaria de Agricultura é viabilizar um espaço melhor para os feirantes e os consumidores, que terão um local mais seguro para fazer suas compras”, disse o secretário de Agricultura, Felipe Almeida. Serão beneficiados 217 feirantes com as obras.

Este é o terceiro pátio que receberá os serviços na cidade, como na Vila Nova Aparecida e Jundiapeba. Foto: Divulgação/PMMC

Além das feiras, os pátios poderão ser usados para outras atividades junto à comunidade dos bairros. “A partir dessa cobertura, os espaços poderão ter outras finalidades. As feiras ocorrem em duas datas por semana e a Prefeitura junto à comunidade pode ocupar esses espaços com outras ações”, completou o secretário.

Devido ao início das obras, as feiras foram deslocadas dos pátios para as ruas próximas e a programação continuará a mesma. As obras estão em andamento e deverão seguir o cronograma de trabalho. O varejão é realizado às quartas-feiras em Jundiapeba e às sextas-feiras em Braz Cubas. Aos domingos, os dois locais recebem a feira.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

EDP substituirá 514 pontos de iluminação pública em Mogi das Cruzes

A EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê inicia 2021 com obras de modernização da iluminação de Mogi das Cruzes. Com um investimento de aproximadamente R$ 742,5 mil serão substituídos ao todo, 514 pontos de iluminação pública na cidade.

A ação da Companhia beneficiará seis importantes vias da cidade, sendo elas: Lothar Waldemar Hoehne, José Meloni, Manoel de Oliveira, Carlos Baratino, Yoshiteru Onishi e prefeito Carlos Ferreira Lopes. Além da melhor qualidade na iluminação, a iniciativa possibilitará uma economia de 553 MWh/ano, o equivalente ao consumo anual de 230 residências, além de diminuir também os custos de manutenção, uma vez que a durabilidade da luminária LED é muito superior ao sistema utilizado anteriormente.

Com a economia gerada por meio das lâmpadas LED na iluminação pública, o município de Mogi das Cruzes tem a possibilidade de redirecionar os recursos em prol da própria população. Além disso, uma melhor eficiência na iluminação das vias impacta positivamente na segurança pública da região”, destaca Thiago Lafalce, gestor Operacional de Eficiência Energética e Consumo Sustentável da EDP.

Com investimento de mais de R$ 742,5 mil, ação foi contemplada na Chamada Pública de Eficiência Energética e beneficiará seis importantes avenidas da cidade. Foto por Francesco Ungaro em Pexels.com

O projeto de substituição das luminárias de maior consumo por LED da iluminação pública de Mogi das Cruzes foi contemplado na Chamada Pública de Projetos – CPP 001/2019 do Programa de Eficiência Energética da EDP, que é regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL.

Realizar projetos que resultem em eficiência energética é uma ação que reafirma o compromisso da EDP com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – plano de ação global definido pelas Nações Unidas (ONU) para alcançar o desenvolvimento sustentável até 2030, e que está incorporado à agenda estratégica da Companhia para crescer gerando impactos positivos junto à sociedade e ao meio ambiente.

Sobre a EDP no Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia, e possui seis unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,5 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo, além de ser a principal acionista da Celesc, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 14 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Jundiapeba recebe prédio da segunda unidade do Restaurante Popular na cidade

O prefeito Marcus Melo entregou nesta terça-feira, 22/12/2020, o prédio da segunda unidade do Restaurante Popular de Mogi das Cruzes. O novo equipamento está instalado na esquina da Avenida João de Souza Branco com a Rua Dr. Francisco Soares Marialva, ao lado da nova Unidade de Pronto de Atendimento 24 horas de Jundiapeba.

Trata-se de um importante investimento da Prefeitura para garantir segurança alimentar para uma região populosa e com muitas famílias em situação de vulnerabilidade social”, explicou a secretária Neusa Marialva.

O novo restaurante tem 300 metros quadrados de área construída, com amplo salão para 200 lugares. O objetivo é ampliar a rede de atendimento social já existente em Jundiapeba para atender às demandas da população local. O investimento da Prefeitura na obra foi de R$ 1.033.666,60. Com o prédio pronto, o próximo passo será a montagem e instalação do restaurante em parceria com o Governo do Estado.

Pandemia

Durante a pandemia, o Restaurante Bom Prato, localizado na área central, tem sido um importante aliado da população. Com a quarentena e os inevitáveis impactos no orçamento dos cidadãos, as unidades de todo o Estado passaram a servir também jantar, além de funcionar nos finais de semana e feriados. As refeições são servidas em embalagens descartáveis, já que não é possível se alimentar nas unidades.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Parque Municipal receberá investimento em modernização e infraestrutura

A Câmara de Compensação Ambiental da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) aprovou, durante reunião por videoconferência realizada na segunda-feira, 14/12/2020, o Plano de Trabalho da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente que prevê investimento de R$ 193.816,54 na modernização da Infraestrutura do Parque Municipal Francisco Affonso de Mello – “Chiquinho Veríssimo”.

O projeto de melhoria no Parque Municipal tem como objetivo proteger os recursos naturais, assegurando a integridade dos ecossistemas. O secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima, explica que a aprovação foi muito importante: “Nosso plano de trabalho vai promover a segurança da unidade de conservação, permitindo a visitação de forma segura, tanto para o ambiente quanto para o visitante”, explica.

Com área de 352,3 hectares, o local é hoje ponto de referência para a comunidade científica e um referencial para a comunidade, que participa de visitas monitoradas. Foto: PMMC

O parque receberá sistema de cabos de energia elétrica subterrâneo, sistema de segurança por monitoramento remoto, além da manutenção e substituição da tubulação de água que abastece as edificações. O diretor da Secretaria do Verde, André Miragaia, e o engenheiro Emerson Mochizuki, que participaram da elaboração do Plano de Trabalho e da videoconferência, apontaram os benefícios para o parque:

É uma ação que pode deixar o Parque Municipal muito mais seguro e atrativo para uso dos espaços e trazer novas parcerias. O parque tem várias estruturas de imóveis que podem ser usadas para desenvolvimento de pesquisas científicas, museu sobre a história do abastecimento de água de Mogi, e tudo isso apresentado como novos atrativos para os visitantes. O turismo natural é uma das mais promissoras atividades econômicas para a cidade. O Parque, assim como a Ilha Marabá, são fontes inesgotáveis de atrativos naturais, informação para conscientização e integração entre o poder público e a sociedade”, disse Miragaia.

Para Mochizuki, o projeto contribuirá para melhorar a pontuação da cidade nas futuras edições. A cidade conquistou duas certificações do programa, em 2019 e 2020, além de três Prêmios André Franco Montoro.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Sesc apresenta projeto de instalação da unidade provisória em Mogi

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo, participou nesta quinta-feira, 13/08/2020, de uma reunião online com o diretor do Sesc SP, Danilo Miranda, para a apresentação do projeto de instalação da unidade provisória do Sesc em Mogi das Cruzes. Apesar da pandemia, os trabalhos para viabilizar a implantação da unidade do Sesc em Mogi das Cruzes prosseguiram com vigor e a expectativa é que as atividades tenham início a partir do primeiro semestre de 2021.

Todos estamos com uma grande expectativa em torno da instalação da unidade do Sesc na cidade e é muito bom ver que o projeto já está em estágio avançado. Isso é resultado de uma ampla articulação, que iniciamos em 2017 e contou com a participação de toda a população. É uma grande conquista para a cidade”, pontuou o prefeito, Marcus Melo.

Durante o encontro, Miranda apresentou o projeto arquitetônico da unidade provisória, com projeções de como deve ficar cada espaço. Na primeira etapa, a ideia do Sesc é aproveitar as estruturas que já existem no Centro Esportivo do Socorro, como alguns prédios, campo de futebol, quadras e piscina e reformá-las, adequando-as às atividades do Sesc.

Essa ocupação inicial não amplia nenhuma área construída. Vamos fazer acomodações, com arruamento, refazimento de instalações elétricas, execução de rede lógica e adequações nas instalações da piscina. É uma adaptação daquilo que já está lá, com a implantação de espaços leves e provisórios para podermos iniciar nossas operações”, explicou o diretor do Sesc SP.

A entrada principal para o Sesc de Mogi das Cruzes continuará sendo pela rua Rogério Tacola e, no acesso das pessoas, o Sesc projetou a instalação de uma escadaria. Os espaços esportivos serão em uma sua maioria mantidos, para a mesma destinação.

Nas edificações ao lado da piscina, o Sesc planeja implantar um galpão multiuso e um espaço de convivência, de leitura, bem como uma loja Sesc. Já nos prédios à esquerda da entrada principal, a ideia é instalar um espaço de tecnologia e artes, uma oficina de artes, uma central de relacionamento e também uma área administrativa.

Nos espaços abertos, o projeto prevê a implantação de um bosque central, de um quiosque com oficinas de educação ambiental e de espaços de brincar. Também está previsto um espaço fechado para as crianças desenvolverem suas habilidades e imaginação.

A primeira fase do projeto prevê ainda pista de caminhada, sala de ginástica, vestiários, praça de eventos, praça recreativa, salas multifuncionais, além de espaços destinados à administração e apoio operacional. Já na segunda fase, também prevista para 2021, o Sesc projeta algumas instalações complementares, como um espaço para café, uma carreta odontológica e também um campo de grama sintética.

A unidade provisória já deve trazer à população do município e de toda a região uma ampla gama de atividades e programações do Sesc, nas áreas cultural, esportiva, educacional, de lazer, recreação e cidadania.  “Estamos trabalhando com muito empenho e já temos um encaminhamento muito sólido e definido do que deve acontecer. Esta primeira etapa já traz consigo um propósito comunitário, portanto será aberto a toda a comunidade”, destacou Danilo Miranda.

A entrega das chaves do Centro Esportivo do Socorro aconteceu no dia 1º de julho, porém a doação já havia sido oficializada em 11 de março deste ano, durante reunião entre o prefeito Marcus Melo e o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Abram Szajman, mais o diretor regional do Sesc em São Paulo, Danilo Miranda, na sede da Federação, na capital paulista.

Desde então, a equipe técnica do Sesc já se mobilizou em torno de medições, estudos e levantamentos, o que garantiu a condição avançada do projeto de instalação da unidade de Mogi das Cruzes. A Prefeitura de Mogi, por sua vez, cuidou da transferência de todas as atividades que lá aconteciam para outros espaços municipais.

Segundo a lei que autoriza a doação da área, a partir da entrega do imóvel, o Sesc tem 18 meses para o início das atividades de ocupação, mais três anos para a apresentação do projeto arquitetônico referente à instalação da unidade permanente e cinco anos após aprovação do projeto pela Prefeitura para sua edificação.

Apresentação do Projeto Sesc Mogi das Cruzes

Estudos feitos pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo apontam que a vinda de um Sesc para Mogi das Cruzes fará com que o número de pessoas atendidas na área do Centro Esportivo do Socorro salte de 1.200/mês para 30 mil/mês, com mais de 700 atividades disponibilizadas não só para pessoas ligadas ao ramo do comércio, como a população de uma forma geral.

Além disso, a unidade tem o potencial de gerar cerca de 500 empregos diretos e indiretos, movimentando a economia da cidade e da região. O investimento para a instalação da unidade parte inteiramente do Sesc, não havendo emprego de verba pública no projeto.

A reunião online contou com a participação de quase 60 pessoas, entre elas o secretário chefe de Gabinete da Prefeitura, Romildo Campello, o secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori, a coordenadora da assessoria jurídica do Sesc, Carla Bertucci Barbieri, o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, o presidente da Câmara Municipal, Sadao Sakai e também o vereador José Antonio Cuco Pereira. A imprensa também participou do encontro e pôde fazer questionamentos ao final.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes