🏀 Novo Basquete Brasil 2018/2019 – rodada 4

O Mogi das Cruzes/Helbor deu um passo à frente na tabela de classificação do NBB CAIXA. Na noite desta sexta-feira, 26/10/2018, no Ginásio Hugo Ramos, a equipe do técnico Guerrinha bateu o Universo/CAIXA/Brasília, por 97 a 82, e subiu da quarta para a terceira colocação da competição.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios de INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL e Açúcar Guarani.

Esta foi a segunda vitória seguida do time mogiano, que agora tem campanha de três vitórias em quatro oportunidades no NBB CAIXA (75% de aproveitamento) – mesma campanha do Paulistano/Corpore, que fica atrás pelo confronto direto. Já o Brasília segue sem vencer no campeonato brasileiro e contabiliza quatro derrotas em quatro jogos.

Um dos atrativos do confronto desta sexta-feira era o duelo entre dois dos maiores cestinhas do NBB CAIXA: JP Batista (Mogi) e Zach Graham (Brasília). No final, quem levou a melhor foi o pivô mogiano, que anotou 24 pontos (10/16 nas bolas de 2) e sete rebotes (28 de eficiência). Enquanto isso, o gringo do time candango fez 15 pontos.

Guerrinha e a equipe do Mogi. Foto: LNB

Por que não? (ser o MVP). Não é algo que eu peso muito, minha mentalidade é sempre ter um bom desempenho, seja pontuando, pegando rebotes ou defendendo. Estou com um volume alto aqui em Mogi, estou conseguindo ter um desempenho positivo até esse momento e vou seguir trabalhando para continuar evoluindo”, declarou o pivô do Mogi.

Também pelo Mogi, quem também se sobressaiu no triunfo foi o ala Gui Deodato, autor de 22 pontos, o armador argentino Enzo Cafferata, com 15 pontos, e o ala/pivô Luis Gruber, com 12. Pelo Brasília, o ala Pedro Mendonça foi o maior anotador do time ao lado de Graham, com os mesmos 15 pontos.

O Mogi ficou em vantagem durante praticamente todos os 40 minutos da partida – Brasília passou à frente somente uma vez, no final do primeiro quarto. A vantagem mogiana ficou na casa dos dez pontos durante todo o confronto e chegou a 19 nos minutos finais.

O mais importante é o resultado final. Foi um resultado bem positivo para o time, uma vitória importante para as nossas pretensões no campeonato. Vamos seguir trabalhando firme para continuar crescendo cada vez mais na competição”, finalizou JP Batista, do Mogi.

Próxima parada: Embalado, o Mogi das Cruzes/Helbor terá como próximo adversário o líder invicto Flamengo, na terça-feira, 30/10, na Arena Carioca 1, às 20h00, com transmissão ao vivo da ESPN. No dia seguinte, quarta-feira, 31/10, o Universo/CAIXA/Brasília medirá forças com o Sendi/Bauru Basket, em casa, no Ginásio da ASCEB, ao vivo no Twitter do NBB (@NBB).

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios

🏀 Novo Basquete Brasil 2018/2019 – rodada 3

O Mogi das Cruzes/Helbor voltou a vencer pelo NBB CAIXA 2018/2019. Em partida decidida no terceiro quarto, o Mogi bateu o Basquete Cearense, no Ginásio Prof. Hugo Ramos, por 100 a 72, e alcançou seu segundo triunfo na competição.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios de INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL e Açúcar Guarani.

Após a ausência na última partida devido ao falecimento de seu irmão, Guerrinha retornou ao comando técnico da equipe do Mogi no triunfo sobre o Basquete Cearense.

Pelo Mogi/Helbor, o protagonismo ficou por conta do experiente pivô JP Batista, que anotou um duplo-duplo (24 pontos e 14 rebotes) e figurou como o jogador com o maior índice de eficiência na partida (30). Além dele, o ala Shamell, com 20 pontos, e o ala/pivô Gruber, com 10 pontos, também chamaram a atenção pelo jogo apresentado.

Arthur Pecos, do Mogi, e Dontrell Brite, do Basquete Cearense. Foto: LNB

Com o triunfo, o Mogi agora detém campanha de 66,7% de aproveitamento, com duas vitórias em três jogos. Já o Basquete Cearense, que conheceu sua terceira derrota, segue sem vencer na competição.

Durante toda a temporada o nosso treinador vem nos cobrando o lado defensivo. Ofensivamente conseguimos ir bem, mas com a defesa como um ponto fraco. Na partida de hoje fizemos um trabalho defensivamente sólido e com isso conseguimos dar um gás no ataque. A vitória fala por si só”, disse o pivô JP Batista, do Mogi.

Pelo lado do Basquete Cearense, quatro jogadores se destacaram: o ala/pivô Alex (14 pontos), os armadores Farad Cobb (15 pontos) e Dontrell Brite (12 pontos), e o Pivô Feliciano (12 pontos). Ao todo, o quarteto anotou 73,6% dos pontos do time no jogo.

Viemos com um plantel muito enxuto e limitado nas rotações. Pegamos uma equipe muito bem estruturada, já embalada do Campeonato Paulista e com muitos bons nomes no elenco. Foi um jogo muito difícil para nós, principalmente defensivamente”, afirmou o pivô Kurtz, do Cearense.

A partida começou quente, com duas bolas de três, uma do ala/pivô Alex, do Cearense, e uma do ala Shamell, do Mogi. O panorama não mudou e o jogo continuou parelho, mas com o Mogi à frente no placar durante boa parte da primeira parcial. Nos segundos finais, o ala Shamell mostrou mais uma vez do que é capaz e, com uma linda bola de três, abriu a maior vantagem do Mogi no período e deu números finais ao primeiro quarto (25 a 21).

O cenário não mudou no início do segundo quarto. O time mogiano conseguiu manter a postura ofensiva e, mesmo com o alto aproveitamento nas bolas de 3 do Basquete Cearense (60% de aproveitamento no período), foi para o intervalo com a vantagem no resultado (50 a 44).

Na volta dos vestiários, o Basquete Cearense tentou esboçar uma reação, mas após sentir o cansaço oriundo do primeiro tempo, não conseguiu segurar a blitz mogiana e foi para os últimos dez minutos do jogo atrás no placar (70 a 58). Já no quarto período, o Mogi conseguiu manter o mesmo ritmo, segurou as ações ofensivas do Cearense, abriu grande vantagem e alcançou sua segunda vitória na competição.

Próxima parada: Após alcançar o segundo triunfo no NBB CAIXA, o Mogi agora medirá forças com o Universo/CAIXA/Brasília na próxima sexta-feira, 26/10, no Ginásio Prof. Hugo Ramos, às 21h10, com transmissão ao vivo do FoxSports. Já o Basquete Cearense, após a derrota, enfrentará o Paulistano/Corpore, nesta segunda feira, 22/10, no Ginásio Antônio Prado Jr, às 20h00, com transmissão ao vivo no Facebook.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Novo Basquete Brasil 2018/2019 – rodada 2

O EC Pinheiros venceu a terceira partida seguida pelo NBB CAIXA 2018/2019. Em um jogo de muito equilíbrio e alternância no placar, o time comandado por César Guidetti bateu o Mogi das Cruzes/Helbor, no Ginásio Prof. Hugo Ramos, por 83 a 77, e manteve os 100% de aproveitamento na competição.

O NBBCAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios de INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL e Açúcar Guarani.

No duelo contra o Pinheiros, o Mogi sofreu com uma ausência importante. Guerrinha, treinador mogiano, não esteve à frente do comando técnico do time, devido ao falecimento de seu irmão. Quem assumiu foi Danilo Padovani, assistente técnico da equipe.

Pelo Pinheiros, um dos destaques foi o ala/armador Corderro Bennett, que anotou 21 pontos, pegou seis rebotes e distribuiu quatro assistências. Além dele, o ala Isaac, com 15 pontos, o armador Ruivo, com dez pontos,e o pivô Renato, com oito pontos e oito rebotes, protagonizaram uma bela partida.

Gui Deodato e Gruber, do Mogi, e Bennett e Toledo, do Pinheiros. Foto: LNB

Com o triunfo, o Pinheiros conseguiu sua terceira vitória seguida e manteve os 100% de aproveitamento na competição. Já o Mogi, após vencer o Paulistano no jogo de estreia, conheceu sua primeira derrota no campeonato.

O Mogi é uma excelente equipe e vai brigar lá em cima. Fizemos uma grande partida contra eles e agora vamos continuar com o pensamento do jogo a jogo, que assim os resultados positivos continuarão. Vamos manter o pé no chão, com a consciência de que isso é só o começo”, disse o pivô do Pinheiros.

Já pelo Mogi, quem se destacou foi o ala/pivô Gruber (23 pontos) e o pivô JP Batista (22 pontos e nove rebotes), com o maior índice de eficiência no jogo (32). Ao todo, os dois marcaram 54,2% dos pontos da equipe mogiana na partida.

Perdemos o jogo na primeira parte, quando deixamos eles muito livres para arremessar, principalmente para bolas de 3. No segundo tempo equilibramos, mas infelizmente não conseguimos tirar a vantagem do placar e perdemos por essa diferença de seis pontos”, afirmou o ala/pivô do Mogi.

A partida começou com muito equilíbrio dos dois lados. O Mogi tomou à frente e comandou o jogo por boa parte do primeiro quarto. No final da parcial inicial, o Pinheiros se portou bem na defesa, conseguiu encostar no placar e venceu o primeiro período por 21 a 20. O segundo quarto continuou equilibrado, mas com o Mogi no comando as ações ofensivas. Nos segundos finais, o ala Isaac, do Pinheiros, acertou uma bela bola de três, empatou o placar e deixou tudo igual na ida para o intervalo (44 a 44).

Na volta dos vestiários o panorama da partida mudou. A equipe comandada por César Guidetti mudou a postura e demonstrou muita versatilidade ofensiva, com infiltrações, bolas de 3 e bandejas. Nos segundos finais do terceiro período, o Pinheiros foi ao ataque e viu o pivô Ware tomar um lindo toco do pivô mogiano João Pedro. Na sequência da jogada, o time da capital paulista acertou um belo arremesso de 3 pontos, com o armador Dawkins, alcançou dez pontos de vantagem no placar e foi para o último período na liderança (71 a 61).

No último período o Mogi voltou com tudo, diminuiu a vantagem construída no terceiro quarto e encostou no placar. Com muita consistência defensiva, o Pinheiros conseguiu segurar a blitz mogiana, administrou bem a vantagem consolidada na penúltima parcial e saiu de quadra com mais uma vitória no NBB CAIXA 2018/2019 (83 a 77).

Próxima parada: O Mogi agora medirá forças com o Basquete Cearense, neste sábado, 20/10, no Ginásio Profº Hugo Ramos, às 19h00, com transmissão ao vivo no Facebook. Já o Pinheiros, enfrentará o Basquete Joinville, nesta segunda-feira, 22/10, no Centreeventos Cau Hansen, às 19h00.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

🏀 Campeonato Paulista de Basquete 2018 – rodada 16

Com dois lances livres acertados pelo americano Kenny Dawkins, quando faltavam dois segundos para o fim do jogo, a equipe do EC Pinheiros derrotou o líder Sendi/Bauru, por 90 a 89 (56 a 38 no primeiro tempo). Com a vitória, o time da Capital passa ter 12 vitórias, quatro derrotas e 28 pontos ganhos. Apesar da derrota, Bauru segue na liderança, agora com 29 pontos ganhos, 13 vitórias e três derrotas.

Ainda na rodada deste sábado, 15/09/2018, em Mogi das Cruzes, a equipe do Mogi/Helbor derrotou o Basquete Osasco, por 91 a 78 (44 a 43 no primeiro tempo). Com o resultado, o time de Mogi das Cruzes subiu para a quarta colocação, agora com 27 pontos, com 11 vitórias e cinco derrotas. Já o time de Osasco segue na última colocação, com 15 derrotas e apenas uma vitória.

Arthur Pecos, do Mogi, enfrenta a marcação de Vitor, de Osasco, em jogo disputado neste sábado, 15, em Mogi das Cruzes. Foto: Antonio Penedo/Mogi

No outro jogo da rodada, em Sorocaba, a equipe da Liga Sorocabana derrotou o América/Unirp/Smel, por 85 a 75, depois de perder o primeiro tempo por 44 a 41. Com o resultado, o time da LSB chega a quinta vitória (tem 11 derrotas) e fica um resultado positivo para ficar igual ao Corinthians e São José, empatados em sexto (seis vitórias e nove derrotas), porém com um jogo a menos.

O time de Mogi contou com uma ótima atuação do pivô JP Batista, com 21 pontos, seis rebotes e duas assistências, seguido por Luís Gruber, com 18 pontos, um rebote e uma assistência e Shamell, com 14 pontos, quatro assistências e três rebotes e também Gui Deodato (14 pontos, seis rebotes e seis assistências). No total, Mogi pegou 29 rebotes, sendo 11 de ataque.

Pelo lado do time de Osasco, Kleiton Torres, com 17 pontos, mais dois rebotes e uma assistência e Leonardo Oliveira, com 16 pontos, dois rebotes e uma assistência e César Araújo (13 pontos, dois rebotes e uma assistência), foram os principais destaques da equipe que foi melhor nos rebotes: pegou 35, sendo sete de ataque.

Fonte: Federação Paulista de Basketball

🏀 Campeonato Paulista de Basquete 2018 – rodada 13

A equipe do Paulisano/Corpore, atual campeã paulista, derrotou o Mogi/Helbor nesta quinta-feira, 06/09/2018, por 77 a 66 (34 a 33 no primeiro tempo) e volta à liderança do Campeonato Paulista de Basquete 2018. Agora, o time da Capital tem 25 pontos ganhos, sendo 11 vitórias e três derrotas. O time de Mogi continua em quinto lugar, agora com 21 pontos ganhos, oito vitórias e cinco derrotas.

Para chegar a importante vitória em Mogi das Cruzes, o time do Paulistano jogou com muita personalidade, do começo ao fim da partida. Teve em Guilherme Hubner o cestinha da equipe, com 16 pontos, além de sete rebotes e também Léo Meindl, com 12 pontos, sete rebotes e duas assistências. No total, o atual campeão pegou 39 rebotes, sendo nove ofensivos.

Pelo lado do Mogi/Helbor, JP Batista, com 17 pontos, nove rebotes, três bolas recuperadas e uma assistência, além da boa participação de Gui Deodato, que marcou também 17 pontos, deu cinco assistências e pegou quatro rebotes. No total, Mogi pegou 33 rebotes, sendo 12 de ataque.

Yago Matheus, marcando Arthur Pecos, foi um dos destaques do Paulistano: 10 pontos, seis assistências e um rebote. Foto: Antonio Penedo/Mogi

A equipe que joga com torcida, como nós jogamos em casa, tem que marcar território. Nós deixamos o jogo sem dono e não mostramos a nossa cara. O Paulistano colocou a diferença no terceiro quarto. Em casa, tem que produzir mais no ataque. Jogadores com a categoria, com tempo de quadra e espaço no time têm que pontuar, afinal estão em quadra e criaram condições. Perder em casa não pode. Tem que ter mais intensidade, independente se está dando certo ou não. Mas isso faz parte de um trabalho e vamos continuar treinando”, ponderou o técnico Guerrinha.

Para o técnico Régis Marrelli, que é natural de Mogi das Cruzes, o setor defensivo do Paulistano foi o ponto alto na defesa. “Conseguimos diminuir bem o número de arremessos deles e com uma defesa fechada, obrigamos o erro deles”, afirmou.

Fonte: Federação Paulista de Basketball