Coronavírus: Hospital de Campanha será desativado no final de agosto

O Hospital de Campanha será desativado no próximo dia 31 de agosto. A decisão foi tomada pelo Comitê Gestor do Coronavírus de Mogi das Cruzes com base na queda do número de óbitos e internações por Covid-19 registrada nas últimas semanas e em toda a estrutura já montada para garantir os atendimentos necessários.

A partir desta sexta-feira, 21/08/2020, a unidade deixa de receber novos pacientes, cuidando apenas dos que já estão em tratamento no local. Os pacientes que precisarem de internação – enfermaria ou UTI – continuam contando com o Hospital Municipal de Mogi das Cruzes, em Braz Cubas, onde desde março está instalado o Centro de Referência do Coronavírus.

O Hospital de Campanha foi instalado na avenida Cívica, no Mogilar, e entrou em operação no dia 24 de maio. Até o dia 20 de agosto, registrou 494 admissões de pacientes, dos quais 432 tiveram alta, 41 foram transferidos e 21 permaneciam internados.

Hospital de Campanha está em funcionamento desde o dia 24 de maio como retaguarda para todos os hospitais da cidade no tratamento contra o coronavírus. Foto: Ney Sarmento/PMMC

Embora tenha sido projetado com capacidade para 200 leitos, o Hospital de Campanha nunca teve mais de 50 leitos ocupados simultaneamente. “Nós fizemos o planejamento em quatro partes de 50 e assim os contratos foram feitos também, como está no Portal de Transparência, para que os custos fossem proporcionais. O que passasse de 50 seria por acréscimo de 15 leitos, mas em nenhum momento nós precisamos passar”, explicou o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel.

Entre os motivos citados pelo secretário para o fechamento do Campanha está a redução no número de casos confirmados e óbitos provocados pela Covid-19. Desde o final de maio, a média móvel de óbitos tem registrado uma queda consistente. “Acende um sinal de alerta quando passamos de cinco [por dia]. Três vezes nós passamos. Mas, desde a semana 28, e a gente está na 34, que a gente está na descendente. São seis, indo para sete semanas, com queda no número de óbitos”, explicou.

Em uma reunião de trabalho aberta à imprensa, o secretário explicou ainda que, caso o Hospital de Campanha fosse fechado nesta sexta-feira (21), a média de ocupação de leitos públicos de enfermaria da cidade seria de 72% e de UTI de 61%, mantendo o município nas mesmas condições exigidas para a manutenção da fase atual.

Historicamente, os leitos UTI Covid não têm se alterado, com média de ocupação em torno de 60%”, informou. O Hospital Municipal conta com 79 leitos, dos quais 54 estão equipados para terapia intensiva e 25 para enfermaria. Se houver a necessidade de um alargamento, os leitos são móveis. Tanto no Hospital Municipal quanto no Hospital Luzia de Pinho Melo, a gente consegue confortavelmente ajustar conforme a demanda, mantendo esses pacientes muito bem instalados e bem cuidados”, completou.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Coronavírus: EDP realiza, de forma voluntária, obra elétrica do Hospital de Campanha em Mogi

A EDP, distribuidora de energia elétrica do Vale do Paraíba, Alto Tietê e Litoral Norte de São Paulo, realizou de forma voluntária a obra elétrica de implantação dos hospitais de campanha de Guarulhos, Mogi das Cruzes e ampliação do hospital municipal de São José dos Campos. A Companhia arcou com 100% dos custos da instalação elétrica que vai assegurar o fornecimento de energia a estes locais, que receberão pacientes infectados pelo coronavírus. O trabalho foi desenvolvido em parceria com as prefeituras municipais.

Os projetos contaram com a implantação de postes e outros equipamentos do sistema elétrico, além da substituição da rede existente por cabeamentos mais robustos, para fornecer energia de forma segura a estes centros de saúde no menor tempo possível. É importante destacar que EDP atua com a priorização do atendimento emergencial a todos os hospitais, centros médicos e postos de saúde, o que permite uma rápida resposta por parte da Distribuidora.

Elaboramos um plano de ação específico para as unidades hospitalares de toda a área de concessão, que também contempla o reforço na inspeção do sistema elétrico que atende estas localidades, realizando manutenções preventivas e melhorias para o fornecimento de energia, sempre que necessário. Estamos atuando com força total para garantir a melhor energia, principalmente para quem mais necessita neste momento”, ressalta Marney Antunes, diretor da EDP.

Serviços incluíram implantação de postes e equipamentos, além de modernização da rede existente para abastecimento dos centros de saúde. Foto: Ney Sarmento/PMMC

Estas ações da EDP se somam às doações realizadas pela EDP em todo o Brasil para o combate ao coronavírus, que já somam R$ 8,3 milhões. No início de abril, a EDP lançou o edital EDP Solidária – Covid 19, com o aporte de R$ 1 milhão para priorizar iniciativas de apoio a públicos vulneráveis, com prioridade para comunidades de baixa renda/carentes, idosos e comunidades indígenas ou suporte ao combate, detecção e prevenção da pandemia.

Em março, a EDP anunciou a doação de outros R$ 6 milhões para a compra de respiradores para as UTIs dos hospitais públicos do Estado de São Paulo, o mais afetado pela pandemia. A doação foi realizada por meio da organização social Comunitas, que arrecadou, no total, R$ 23,4 milhões, com 150 empresas. Dois hospitais de Guarulhos estão contemplados nesta ação.

Distribuidora realiza plano de ação com operação técnica diferenciada para hospitais.

No Espírito Santo, a empresa doou R$ 1 milhão ao Estado. Os recursos foram repassados à Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim para a compra de insumos de proteção individual, equipamentos e medicamentos para o atendimento a pacientes da Covid-19. No Ceará, a companhia fez a doação de R$ 130 mil em equipamentos médicos de proteção individual (EPIs) para a Secretaria de Saúde do Estado. Já no Maranhão, outros R$ 140 mil vão ser utilizados pelo Governo estadual para a compra de respiradores.

Comitê interno

A EDP possui um Comitê de Gestão de Crise para o coronavírus e desenhou um plano de contingência, antes mesmo da confirmação do primeiro caso no Brasil. Desde fevereiro, o comitê tem se reunido remotamente todos os dias, inclusive aos fins de semana, se necessário. Dentre as iniciativas já realizadas pela Companhia estão: antecipação da vacinação contra a gripe H1N1 e doação de máscaras para colaboradores, implantação de regime total de trabalho home office nos escritórios, escalonamento e descentralização das equipes de campo e reforço das campanhas internas de informação.

Sobre a EDP no Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia, e possui seis unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,5 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo, além de ser a principal acionista da Celesc, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 14 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Coronavírus: Pronto Atendimento Infantil do Hospital Municipal será fechado temporariamente

O Comitê Gestor do Coronavírus em Mogi das Cruzes, formado por diretores técnicos de hospitais públicos e privados da cidade, decidiram pelo fechamento temporário do Pronto Atendimento Infantil 24 horas do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes, em Braz Cubas. A partir de segunda-feira, 20/04/2020, todo atendimento pediátrico de urgência e emergência ficará concentrado no Pró-Criança, nas UPAs – Unidades de Pronto Atendimento do Oropó e Rodeio ou nos Pronto Atendimentos 24 horas do Jardim Universo e Jundiapeba.

Além de concentrar atendimento exclusivo aos pacientes suspeitos de coronavírus, o fechamento é uma medida necessária para garantir segurança às crianças com outras doenças e seus familiares. Desde a segunda quinzena de março, o Hospital Municipal funciona como Centro de Referência para Coronavírus, com entrada independente pelo Bloco B, que fica na rua Capitão Francisco de Almeida, nº 466.

Embora os fluxos tenham sido elaborados estrategicamente para evitar contato entre equipes e pacientes dos serviços distintos, todo esforço da Secretaria Municipal de Saúde está concentrado em centralizar os atendimentos do novo coronavírus no Hospital Municipal e no Hospital de Campanha, que deverá entrar em operação no final deste mês.

Pró-Criança será alternativa de atendimento ao público infantil a partir da próxima segunda-feira, dia 20

Desde o início da pandemia, a unidade hospitalar de Braz Cubas está sendo totalmente estruturada para atender os casos mais graves, com instalação de respiradores mecânicos e outros equipamentos para tratamento de terapia intensiva, enquanto o Hospital de Campanha está sendo preparado para garantir retaguarda para pacientes leves, como os que tiverem alta da UTI, mas ainda precisam de acompanhamento médico.

As mudanças estão totalmente pautadas na realidade atual. Tanto o Pronto Atendimento Infantil do Hospital como o Pró-Criança registraram quedas significativas no movimento, o que nos permitiu tomar essa decisão”, explica o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, que elaborou o estudo em conjunto com outros membros do Comitê Gestor do Coronavírus: Eder Donizetti Peres de Oliveira, diretor técnico do Hospital Ipiranga; José Alferio Di Giaimo, diretor técnico do Hospital Santana; Luiz Carlos Viana Barbosa, diretor técnico do Hospital Luzia de Pinho Melo; Michel Fukusato, diretor técnico do Hospital Mogi Mater; Ricardo Bastos, diretor técnico da Santa Casa; e Sidnei Shoji Mori, diretor técnico do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes.

O grupo decidiu, ainda, que o suporte para eventuais internações pediátricas será garantido pelo Hospital Luzia de Pinho Melo, que possui ala especializada e é o único equipamento público regional com disponibilidade de leitos de UTI pediátrica, sendo referência para o Alto Tietê. No Hospital Municipal, o Pronto Atendimento Infantil 24 horas teve uma redução de 77% desde o início da pandemia e o Pró-Criança, uma queda de 82%, no mesmo período.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Coronavírus: Prefeitura de Mogi inicia montagem do Hospital de Campanha nesta quarta, 01/04/2020

A Prefeitura de Mogi das Cruzes deve iniciar nesta quarta-feira, 01/04/2020, a montagem do Hospital de Campanha na Avenida Cívica, ao lado do Ginásio Municipal, no bairro do Mogilar. A unidade servirá de retaguarda para o Centro de Referência para Coronavírus instalado no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes no último dia 18 de março e demais hospitais do município, conforme definido no Comitê Gestor do Coronavírus.

O prefeito Marcus Melo explicou que, depois de vários estudos, a localização do futuro Hospital de Campanha foi definida estrategicamente para aproveitar toda infraestrutura existente no Ginásio Municipal, como banheiros, vestiários, espaços para armazenamento de medicamentos, insumos e equipamentos, rede wi-fi, estacionamento e facilidade de acesso, entre outros.

Ginásio Municipal de Esportes, no Mogilar, dará suporte para o novo Hospital de Campanha

Tínhamos várias propostas em análise e planejamento, mas a montagem na Avenida Cívica irá permitir mais espaço para acomodação dos leitos, sem abrirmos mão de todos os recursos já existentes no Ginásio Municipal. Sem dúvida, será um importante equipamento para garantirmos os atendimentos necessários”, afirmou.

O futuro Hospital de Campanha terá capacidade para 200 leitos de retaguarda com atendimento para casos leves e moderados de Covid-19 que serão encaminhados pelo Centro de Referência do Coronavírus do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes e outras unidades referenciadas pela Secretaria Municipal de Saúde, públicos e privados, conforme definido no Comitê Gestor do Coronavírus.

Até 17h00 desta segunda-feira, 30/03, Mogi das Cruzes registrou 252 casos suspeitos de Covid-19, dos quais 20 foram confirmados positivos, 146 foram descartados (69 negativos e 77 sem coleta) e 86 aguardam resultados de exames.

Centro de Referência

Em funcionamento desde 18 de março, o Centro de Referência do Coronavírus no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes tem entrada exclusiva pelo Bloco “B”, que fica na rua Capitão Francisco de Almeida, nº 466, no distrito de Braz Cubas, e está disponível para pacientes com idade a partir dos 13 anos. Para menores, o atendimento continua sendo realizado no PA 24 horas Infantil da mesma unidade.

O espaço foi especialmente preparado para realizar acolhimento e atendimento aos pacientes com toda segurança e sem contato com outros setores. Com a suspensão das cirurgias eletivas, exames e consultas ambulatoriais na unidade, os espaços e leitos estão disponibilizados para as internações necessárias, inclusive Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Para atender à nova demanda, o Hospital Municipal já tomou providências como montagem de tenda externa, aquisição de insumos, materiais e equipamentos (termômetros de infravermelho e oxímetros). A Prefeitura de Mogi das Cruzes também efetuou a compra de 30 ventiladores cardíacos, dos quais sete chegaram na última sexta-feira, 27/03.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes