Coronavírus: Governo do Estado autoriza funcionamento de lojas de materiais de construção durante quarentena

O Governo do Estado de São Paulo liberou o funcionamento das lojas de materiais de construção durante o período de quarentena estabelecido em todo território paulista como medida de prevenção para diminuir os riscos de contaminação pelo novo Coronavírus. A decisão foi publicada no Diário Oficial de sábado, 28/03/2020, por meio de uma deliberação do Comitê Administrativo Extraordinário Covid-19 que inclui as lojas de materiais de construção na relação de estabelecimentos de atividades essenciais, “considerando que estas fornecem os produtos necessários para a realização de reparos civis emergenciais, bem como para manter o funcionamento da construção civil e indústria, (…), desde que observadas normas sanitárias no contexto do Covid-19”, diz o documento.

A quarentena está em vigor desde o dia 24 em todos os 645 municípios do Estado de São Paulo. A medida, que tem validade de 15 dias e pode ser prorrogada, impõe o fechamento de estabelecimentos comerciais que não estejam entre os serviços essenciais, como alimentação, saúde, abastecimento, limpeza urbana, segurança pública e bancos.

Medidas do Governo do Estado valem para todos os municípios paulistas. Foto: Guilherme Berti/PMMC

Pelo decreto, todos os comércios que realizam atendimento presencial, incluindo bares, restaurantes, cafés e lanchonetes, deverão permanecer fechados. Estabelecimentos que servem alimentos e bebidas em mesas ou balcões só poderão atender pedidos por telefone ou por serviços de entrega.

Na área de saúde, ficam isentos da quarentena os hospitais, clínicas médicas e odontológicas e farmácias. Já no setor de abastecimento e serviços, continuam abertos os postos de combustíveis, oficinas mecânicas, transporte público, táxis, transporte por aplicativos, serviços de call center, pet shops e bancas de jornais.

Outros setores que podem continuar oferecendo serviços durante a quarentena são as empresas de segurança privada, limpeza urbana, manutenção e zeladoria, além de bancos, lotéricas e correspondentes bancários, indústrias, construção civil, agora, também as lojas de materiais de construção. Segundo o governador, obras públicas e privadas não devem parar.

Para mais informações sobre o novo coronavírus em Mogi das Cruzes, acesse mogidascruzes.sp.gov.br/coronavirus.

DECRETO DA QUARENTENA

Veja o que abre e fecha

Comércio:
Todas as lojas com atendimento presencial devem fechar. Estabelecimentos podem atender por aplicativos ou por serviços online.

Alimentação:
Bares, restaurantes, cafés e lanchonetes devem fechar, podendo atender somente por delivery. Supermercados, hipermercados, açougues e padarias podem funcionar, mas não é permitido permitir o consumo dentro do estabelecimento durante a quarentena.

Abastecimento:
Transportadoras, armazéns, transporte público, táxis, aplicativos de transporte, serviços de call center e bancas de jornais podem atuar normalmente.

Pet shops:
Podem comercializar alimentos e medicamentos veterinários, já que são essenciais para a saúde dos animais.

Serviços de saúde:
Hospitais, clínicas – inclusive as odontológicas – e farmácias podem continuar funcionando.

Indústria:
Continuam operando normalmente e devem seguir as recomendações para adequar os estabelecimentos às orientações dos órgão competentes.

Construção civil:
O setor deve continuar operando com os devidos cuidados sanitários para proteger e amparar funcionários.

Borracharias e oficinas:
Devem continuar funcionando para que veículos de transporte, como ambulância e carros de polícia tenham suporte.

Postos de combustíveis:
Funcionam normalmente e podem vender produtos elaborados ou não perecíveis, sem consumo no local.

Podem oferecer serviços durante a quarentena:
– Empresas de segurança privada
– Empresas de limpeza
– Manutenção e zeladoria
– Bancos
– Lotéricas

Igrejas e templos:
Determinação de fechamento por parte da Justiça de São Paulo.

Lojas de materiais de construção:
Podem funcionar, desde que observadas normas sanitárias no contexto do Covid-19.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Coronavírus: Fundo Social e voluntários produzirão máscaras para profissionais da área da Saúde

O Fundo Social de Mogi das Cruzes dará início nesta terça-feira, 31/03/2020, à produção de máscaras, destinadas aos profissionais da área da Saúde, que seguem trabalhando no combate à pandemia do novo coronavírus. A confecção será feita na Escola de Empreendedorismo e Inovação, a partir da mão de obra de seis voluntários.

As máscaras serão encaminhadas para funcionários de hospitais e unidades de saúde, muito embora ainda não haja relatos de falta do material. Trata-se, portanto, de uma ação preventiva e que acontecerá de acordo com a demanda.

Nesta terça-feira, 31/03, também terá início um trabalho reforçado de montagem de kits de alimentos, que serão distribuídos entre as famílias em situação de vulnerabilidade, conforme o cadastro do recém-criado Comitê de Ação Social e Econômica. Os alimentos utilizados são provenientes da merenda escolar e o objetivo é evitar o desperdício, uma vez que as unidades escolares estão fechadas e, ao mesmo tempo, ajudar a quem precisa.

Serão cerca de 50 voluntários empenhados nesse trabalho, todos seguindo os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), para combater a proliferação do vírus. Todas as medidas de higienização e segurança serão cumpridas também pelos voluntários que farão a confecção das máscaras.

Além das outras ações que já vem realizando diariamente, o Fundo Social dará início amanhã à confecção de máscaras, com a mão de obra de seis voluntários

A equipe do Fundo Social também deu continuidade nesta segunda-feira, 30/03, ao suporte a idosos da Vila Dignidade, com compras em supermercados e farmácias. O mesmo pode ser estendido a outros idosos, entidades e quem precisar desse suporte.

Outra ação que continua sendo realizada é o Drive Thru Solidário, na sede da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente. O Fundo Social pede a doação de alimentos, produtos de higiene e limpeza, além de algumas roupas e quem for doar não precisará sair do carro.

Os alimentos e produtos de higiene e limpeza serão encaminhadas às famílias mais vulneráveis, também conforme o cadastro do Comitê de Ação Social e Econômica. Já as roupas devem ser encaminhadas, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, a pessoas em situação de rua.

Quem quiser ajudar com o voluntariado pode se cadastrar, por meio do site da Prefeitura, no programa Família Solidária. Basta inserir seus dados pessoais e aptidões, que os voluntários passarão a ser acionados, conforme a identificação das demandas.

Cadastre-se

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4798-5143, Whatsapp 97407-8411 ou o e-mail fundosocial@pmmc.com.br. Vale lembrar que o atendimento presencial na sede do Fundo Social, assim como nos demais setores da Prefeitura, estão temporariamente suspensos.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Programa Tampinha Solidária continua recebendo arrecadações

O programa Tampinha Solidária, que converte tampas plásticas em ajuda para protetores independentes de cães e gatos da cidade, continua recebendo doações. A ação, que foi lançada em março do ano passado, fechou 2019 com cerca de 13 toneladas de tampas recebidas, 10,2 toneladas de tampas vendidas e 4,3 toneladas de ração compradas e distribuídas para 43 protetores de animais.

Antes de seguirem para a venda, as tampas passam por um processo manual de separação por cor, que é feito em uma sala do Pró-Hiper, por voluntários. O espaço é dotado de duas mesas coletoras e todo o material de higiene e segurança e nele as tampas são armazenadas separadamente, conforme a cor. Esse processo é fundamental pois, disposto assim, o material vale quase três vezes mais na hora da venda.

Com o recurso obtido com a venda, o Fundo Social adquire pacotes de ração para cães e gatos e distribui o alimento entre protetores cadastrados e previamente visitados pelas equipes do órgão. Assim, o projeto ajuda as pessoas que desenvolvem esse trabalho de resgate, proteção e cuidados com cachorros e gatos e, ao mesmo tempo, contribui para a preservação do meio ambiente e o aumento dos índices de reciclagem.

O Tampinha Solidária é uma campanha permanente, portanto as pessoas podem continuar separando e encaminhando ao programa tampas plásticas de produtos

Além da sala de separação, que, aliás, recebeu recentemente a visita da primeira-dama do Estado do São Paulo, o programa Tampinha Solidária também deu origem à feira de adoção, que tem como intuito combater a superlotação de alguns abrigos de cães e gatos de protetores visitados pela equipe do Fundo Social. Entre os meses de setembro e dezembro do ano passado, foram realizadas quatro feiras, sendo duas no Parque Centenário e duas no Varejão, que resultaram na adoção de 21 animais adultos.

Para ajudar o programa, basta separar as tampas plásticas de produtos que podem ser alimentos, condimentos, itens de higiene, cosméticos, canetas e afins. Hoje, há 326 pontos de coleta espalhados pelo município e as projeções para 2020 é que esse número tenha um crescimento da ordem de 30%.

A relação dos pontos é disponibilizada no site da Prefeitura, porém como o aumento é constante e parte da população, quem tiver dúvidas e precisar de orientações sobre onde levar as tampinhas pode ligar no Fundo Social, no telefone 4798-5143.

Também é possível ajudar o programa passando a integrar o grupo de voluntários que trabalha na sala de separação. Atualmente, o espaço funciona às terças, quintas e sextas, das 14h00 às 18h00 e aos sábados, das 9h00 às 13h00. Porém, havendo um aumento no número de voluntários, também será possível ampliar o expediente da sala. A orientação é também entrar em contato com o Fundo Social, para manifestar seu interesse em ajudar.

O Tampinha Solidária é um programa permanente, portanto quanto mais pessoas abraçarem a causa, mais será possível contribuir com os cuidados de cães e gatos da cidade.

Mais informações devem ser obtidas pelo mesmo telefone do Fundo Social, que é o 4798-5143.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Projeto Tampinha Solidária será lançado nesta quinta-feira, 28/03/2019

Nesta quinta-feira, 28/03/2019, às 16h00, o Fundo Social de Mogi das Cruzes, em parceria com o programa Família Solidária, fará o lançamento oficial do projeto Tampinha Solidária. Inédita na cidade, a iniciativa visa beneficiar ONGs e protetores independentes de animais como cães e gatos, a partir de uma mudança de postura ligada diretamente à questão da reciclagem.

A ideia do Fundo Social é mobilizar todos os cidadãos, para que eles passem a separar as tampinhas plásticas de produtos diversos, como refrigerante, água mineral, xampu, detergente, requeijão e até canetas ou potes de sorvete, por exemplo. Essas tampinhas serão encaminhadas para a reciclagem e a verba obtida com a venda será inteiramente revertida para as entidades e pessoas que resgatam e cuidam de animais abandonados.

Para recolher as tampinhas, haverá galões de água com a identificação visual da campanha, mas esse processo também pode ser feito com outros materiais, como, por exemplo, caixas de papelão. Para obter a identificação oficial da campanha, basta aos envolvidos buscar cartazes e filipetas do projeto na sede do Fundo Social.

Com lançamento marcado para esta quinta-feira, o projeto Tampinha Solidária visa transformar tampinhas plásticas em apoio para ONGs e protetores de animais da cidade

Após o recolhimento das tampinhas, as mesmas serão encaminhadas para o Pró-Hiper, no Mogilar, onde uma equipe de voluntários do programa Família Voluntária estará a postos, para fazer a separação do material por cores. A etapa é importante, pois impacta diretamente no valor de venda do produto, que é bem maior quando já existe a separação por cor. Na sequência, as tampinhas serão encaminhadas para a reciclagem.

Trata-se, portanto, de um projeto que mescla conscientização ambiental, sustentabilidade ecológica, combate aos maus tratos aos animais e também o estímulo à posse responsável. Paralelamente ao projeto já está sendo idealizada uma feira de doação de animais, que acontecerá uma vez ao mês no Varejão de Mogi das Cruzes, aos domingos.

A inspiração para o projeto veio do programa Tampinha Legal, desenvolvido no Rio Grande do Sul, pelo Instituto SustenPlást. Entre março de 2017 e dezembro de 2018, o projetou do Sul arrecadou 130.543,43 quilos de tampinhas plásticas , que foram direcionadas para o processo adequado de reciclagem, ajudando 78 entidades assistenciais cadastradas no projeto. Em Mogi, já há cerca de 60 protetores cadastrados, para participarem e serem beneficiados pelo projeto.

O lançamento do Tampinha Solidária acontecerá no auditório do prédio-sede da Prefeitura de Mogi das Cruzes, a partir das 16h00. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4798-5143.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Bazar Solidário 2018 será realizado nos dias 12 e 13 de dezembro

Nos dias 12 e 13 de dezembro, o Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes promove a edição 2018 do Bazar Solidário. O evento será realizado no salão social do Clube de Campo de Mogi das Cruzes e vai oferecer, ao longo de dois dias, diversas opções de produtos e presentes, com preços atrativos e design criativo.

O bazar deste ano contará com um total de 50 expositores, que estarão comercializando produtos dos segmentos de artesanato, bijuterias e acessórios, cosméticos, roupas e sapatos. O espaço também vai oferecer praça de alimentação, com opções como comida árabe, brasileira (sanduíches, crepes, salgados), japonesa (temaki), além de doces, biscoitos artesanais e bebidas.

Assim como ocorreu na última edição, neste ano o consumidor vai poder fazer a compra do produto escolhido direto no estande. A mudança facilita e agiliza o processo de compra, beneficiando tanto o expositor como o cliente. As opções de pagamento (dinheiro ou cartão) ficam a critério de cada expositor.

O Bazar Solidário 2018, do Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes, será realizado nos dias 12 e 13 de dezembro, no salão social do Clube de Campo. Foto: Ney Sarmento/PMMC

O Bazar Solidário ficará aberto nos dois dias, das 10h00 às 22h00. A entrada é franca e haverá serviço de valet. O evento contribui para a campanha Natal de Sorrisos, ação do Fundo Social que faz a arrecadação e entrega de brinquedos para crianças de regiões de vulnerabilidade da cidade, no período do Natal.

A campanha de arrecadação segue oficialmente até o dia 10 de dezembro. A meta do Fundo Social de Solidariedade é conseguir presentear todas as crianças referenciadas pelas 200 entidades cadastradas, o que gera um total aproximado de 30 mil brinquedos.

Diversos postos de coleta estão instalados em locais estratégicos, como a Prefeitura de Mogi das Cruzes, a Câmara, escolas municipais, estaduais e particulares, estabelecimentos comerciais e a Associação Comercial de Mogi das Cruzes.

Os mogianos que quiserem contribuir devem depositar brinquedos novos ou em bom estado dentro desses pontos ou, se preferirem, podem entrar em contato direto com o Fundo Social, pelo telefone 4798-5143.

O Clube de Campo de Mogi das Cruzes, onde acontecerá a edição 2018 do Bazar Solidário, fica na rua Duarte de Freitas, 133, no Parque Monte Líbano.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes