Alto Tietê regride para a fase laranja do Plano SP

O Governador João Doria anunciou novas restrições para conter o aumento de casos, internações e mortes em decorrência do coronavírus. A partir de segunda-feira, 25/01/2021, as regiões de Barretos, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté estarão na fase vermelha do Plano São Paulo, com fechamento de comércios e serviços não essenciais. As demais, incluindo a Grande São Paulo, ficarão na etapa laranja, mas com restrições da vermelha em dias úteis, após as 20h00, e integralmente aos finais de semana e feriados.

As medidas vão vigorar até o dia 7 de fevereiro. Até lá, nenhuma região poderá avançar às fases amarela e verde, as mais flexíveis em relação ao atendimento presencial. “Antes que milhões de brasileiros possam ser vacinados, todos nós precisamos lidar com a dura realidade que a pandemia nos impõe neste momento”, afirmou o Governador João Doria.

Uma segunda onda de coronavírus atingiu o mundo e seus efeitos também atingiram o Brasil e o estado de São Paulo. O aumento no número de casos, internações e óbitos é extremamente preocupante”, acrescentou Doria. “É a ciência, a saúde e a medicina que determinam os caminhos que temos a seguir para proteger vidas.

As medidas foram recomendadas por cientistas e médicos do Centro de Contingência do coronavírus. O grupo de especialistas orienta e aconselha as autoridades estaduais com base em índices epidemiológicos e hospitalares desde a confirmação do primeiro caso no Brasil, há quase 11 meses.

O Governo do Estado e o comitê de saúde voltaram a pedir a colaboração de toda a sociedade para reforçar o distanciamento social e evitar aglomerações ou reuniões sociais,  além de uso obrigatório de máscaras em locais de acesso público e higiene frequente das mãos. O novo mapa mostra 78% da população de São Paulo na fase laranja e 22% na etapa vermelha.

A fase mais rígida só permite o funcionamento normal em setores essenciais como farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria. Demais comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e entregas por telefone ou aplicativos.

Já na etapa laranja, academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios e parques estaduais podem funcionar por até oito horas diárias, com atendimento presencial limitado a 40% da capacidade e encerramento às 20h00. O consumo local em bares está totalmente proibido.

A venda de bebidas alcoólicas no comércio varejista só pode ocorrer entre 6h00 e 20h00. Somente a partir da fase verde, a mais branda, é que essa comercialização poderá voltar a ser feita sem as restrições atuais.

As regiões na fase laranja a partir do dia 25 são Grande São Paulo e as regiões de Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Registro, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto.

Todos os protocolos sanitários e de segurança para os setores econômicos estão disponíveis no site saopaulo.sp.gov.br/planosp e devem ser cumpridos com rigor. Prefeituras que se recusarem a seguir as normas estabelecidas pelo Governo do Estado ficam sujeitas a sanções judiciais.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Governo Estadual permitirá somente serviços essenciais no Natal e Ano Novo

O Governo do Estado anunciou nesta terça-feira, 22/12/2020, que nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1º, 2 e 3 de janeiro todo o Estado de São Paulo estará na Fase 1 – Vermelha do Plano São Paulo. Neste período somente os serviços essenciais poderão funcionar. A medida tem como objetivo evitar aglomerações e diminuir a circulação de pessoas, evitando a disseminação da Covid-19. O Comitê Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas da Prefeitura de Mogi das Cruzes editará um decreto municipal para regulamentar as restrições.

Na Fase 1 – Vermelha fica suspenso o atendimento presencial em estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, especialmente casas noturnas, shoppings centers, galerias e estabelecimentos congêneres, academias e centros de ginásticas, ressalvadas as atividades internas. O consumo local em bares, restaurantes, padarias e similares também não é permitido, mas podem ser mantidos os serviços de entrega (delivery) e drive-thru.

Novo decreto irá regulamentar as novas medidas anunciadas nesta terça-feira, 22/12, pelo Governo Estadual

Fora do período estabelecido pelo Governo do Estado, vigora a Fase 3 – Amarela, conforme a reclassificação ocorrida no dia 30 de novembro. Em Mogi das Cruzes, devem ser seguidas as regras estabelecidas no Decreto Municipal nº 19.746/2020, que estabeleceu as normas para o funcionamento das mais diversas atividades econômicas a partir do dia 7 de dezembro.

O Comitê Gestor ressalta ainda que o uso de máscaras, o fornecimento de álcool em gel por parte dos estabelecimentos comerciais, o distanciamento mínimo de 1,5 m entre cada pessoa e a observância ao protocolo sanitário de cada segmento mantêm-se obrigatórios. Mais informações pelo telefone 4798-5171 e pelo e-mail desenvolvimento@pmmc.com.br.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Coronavírus: Estado de São Paulo é reclassificado para a Fase Amarela do Plano São Paulo

O Governo de São Paulo anunciou durante coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira, 30/11/2020, a reclassificação de todo o Estado de São Paulo para a Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo. O Comitê Gestor da Retomada Gradativa das Atividades Econômicas da Prefeitura de Mogi das Cruzes aguarda a publicação do Decreto Estadual, que estabelece a reclassificação e as regras para o funcionamento das mais diversas atividades econômicas.

Aguardamos a publicação do decreto, pois no momento só temos as informações divulgadas no anúncio feito pelo Governo Estadual. Mogi das Cruzes tem respeitado e cumprido as regras estabelecidas pelo Plano São Paulo, entretanto existem especificidades que foram adequadas e readequadas ao longo do tempo na fase amarela. Caso não haja a publicação do decreto nesta terça-feira, publicaremos um decreto de acordo com a interpretação das últimas regras estabelecidas para esta fase”, explicou o responsável pelo Comitê Gestor, Juliano Abe.

Novo mapa, com a 15ª atualização do Plano São Paulo e classificação geral do Estado na fase amarela

A reclassificação de todo o Estado de São Paulo para fase amarela, segundo o Governo Estadual e o Centro de Contingência da Covid-19 de São Paulo, tem como objetivo evitar aglomerações e o contágio do novo coronavírus.

O Comitê ressalta que o uso de máscaras, o fornecimento de álcool em gel por parte dos estabelecimentos comerciais, o distanciamento mínimo de 1,5 m entre cada pessoa e a observância ao protocolo sanitário de cada segmento mantêm-se obrigatórios.

A decisão da Prefeitura de Mogi das Cruzes no mês de novembro, baseada nos dados de evolução epidemiológica, na capacidade de absorção do sistema de saúde e no monitoramento das informações de países europeus e outras cidades brasileiras em manter suspensas as aulas presenciais no sistema público e privado de educação infantil, fundamental e médio, se mostrou acertada. O cenário que vivenciamos hoje, talvez, poderia ter sido evitado, caso o Estado de São Paulo tivesse tido a mesma cautela e precaução adotada pela cidade de Mogi e demais cidades do Alto Tietê.” complementou Abe.

Fase Amarela

A fase amarela do Plano São Paulo não fecha atividades econômicas, mas torna as regras de funcionamento mais rígidas. Estabelecimentos como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público.

O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a dez horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h00. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Coronavírus: Com todas as regiões na fase amarela, Plano SP passa a ter atualização mensal

O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira, 11/09/2020, a atualização do Plano São Paulo de enfrentamento ao coronavírus e retomada econômica com todas as regiões do estado na fase amarela, que permite atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, academias, shoppings, comércios de rua, escritórios em geral e concessionárias. A reclassificação para progressões de fase passa a ser mensal, com nova revisão no dia 9 de outubro.

No estado de São Paulo como um todo, a pandemia regride de maneira sólida e, agora, todas as regiões estão na fase amarela”, afirmou o Governador. “Devido à regressão vigorosa dos indicadores no estado, entramos em uma nova fase de monitoramento da pandemia. Por questão de segurança, as requalificações do Plano São Paulo passam a ser mensais, ao invés de quinzenais”, declarou Doria.

Com a estabilidade do avanço da pandemia em todas as regiões do estado, o Centro de Contingência do Coronavírus recomendou que o monitoramento seja estendido para um período mínimo de 28 dias. O acompanhamento dos indicadores nas próximas quatro semanas vai garantir mais segurança na possível migração de regiões para a fase verde a partir do início de outubro.

Há uma semana, 95% da população paulista já estava em regiões contempladas na terceira de cinco etapas do Plano São Paulo. Franca e Ribeirão Preto estavam na fase laranja, mais restritiva, mas tiveram queda acentuada em número de mortes e internações provocadas pelo coronavírus, além de melhoria nas taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Média estadual

Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus, São Paulo registra declínio de mortes por COVID-19 há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.

Na atualização desta semana, a variação de novos casos na média estadual foi 31% menor em relação à medição anterior. As novas internações caíram 10% em comparação à semana passada, e o número de óbitos foi 20% menor. A taxa estadual de internações por cem mil habitantes é de 43,7, além de média de seis mortes por coronavírus a cada cem mil habitantes.

A capacidade de atendimento hospitalar a pacientes graves com COVID-19 também é considerada confortável – a média atual de ocupação de leitos de UTI é de 52,5. Atualmente, o estado de São Paulo dispõe de 20,5 vagas hospitalares para casos graves da doença a cada cem mil habitantes.

Apesar da alteração no período de medição do Plano São Paulo, o Governo do Estado poderá decretar regressão para a fase vermelha de qualquer região, a qualquer momento, em caso de piora significativa das taxas de contaminação por coronavírus ou redução acentuada da capacidade hospitalar.

Não haverá retorno para a fase laranja, o que aumenta a responsabilidade de Prefeitos, Secretários municipais de saúde e da própria população. Afinal, a população precisa se resguardar e se proteger, obrigatoriamente usar máscara ao sair de casa, seguir o distanciamento social de 1,5 metro, lavar as mãos e usar álcool em gel”, destacou o Governador.

O que pode

A fase amarela permite o funcionamento, com restrições, do comércio de rua, shoppings centers, escritórios, bares e restaurantes, academias, salões de beleza e barbearias. Estabelecimentos de alimentação poderão funcionar até as 22h00 para consumo local somente em regiões que estejam há pelo menos 14 dias consecutivos fora das fases vermelha e laranja do Plano São Paulo.

Essa opção de atendimento continua permitida apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. Não será permitido que os clientes fiquem em pé. A orientação é que os estabelecimentos atendam os clientes conforme horário agendado previamente, para evitar aglomerações.

A 13ª classificação do Plano São Paulo, com os índices atualizados de evolução da pandemia e capacidade hospitalar em cada região, está disponível em https://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/09/14-balanco-plano-sp-11092020.pdf.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Coronavírus: Estado autoriza abertura de estabelecimentos por 8 horas na fase amarela do Plano SP

O Vice-Governador e Secretário de Governo, Rodrigo Garcia, anunciou nesta quarta-feira, 19/08/2020, autorização para que todas as atividades permitidas na fase amarela do Plano São Paulo possam funcionar por oito horas diárias em estabelecimentos comerciais e de serviço. Até então, eram permitidas seis horas diárias.

Este aperfeiçoamento foi aprovado pelo Centro de Contingência. Mesmo com essa autorização feita através de decreto do Governo de São Paulo, os prefeitos têm autonomia para aplicar a medida e decidir se a mudança será adotada e em que momento deve ser adotada em suas cidades”, disse Garcia.

Ampliação de funcionamento vale a partir de sexta-feira (21); restaurantes poderão oferecer consumo local até as 22h00 na fase verde

A medida passa a valer a partir de sexta-feira, 21, e é válida para todos os setores, como shoppings, comércio, serviço, salões de beleza e barbearia, restaurantes e similares, academias, convenções e atividades culturais. Os empresários poderão escolher se adotam uma jornada contínua ou fracionada, respeitando o limite de oito horas diárias.

O consumo local nos restaurantes e similares continua permitido apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. Não será permitido que os clientes fiquem em pé, para evitar aglomerações.

A ocupação máxima deve ser de 40% da capacidade dos assentos e o fechamento precisa ocorrer até as 22h00, com adoção dos protocolos geral e específicos para o setor. Funcionários e clientes devem usar máscara em todos os ambientes, tirando apenas no momento da refeição.

Outra atualização do Plano São Paulo definiu um novo horário para atendimento presencial em restaurantes e similares na fase verde. Assim como na fase amarela (após 14 dias de permanência da região), os estabelecimentos poderão oferecer consumo local até as 22h00 também na fase quatro.

Venda de ingressos nas bilheterias

Fica permitida, a partir de agora, a venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas, desde que respeitados os protocolos sanitários e de distanciamento social. As atividades culturais só estão permitidas a funcionar após 28 dias consecutivos da região na fase amarela. Com o público em pé, só serão permitidas após 28 dias consecutivos da região na fase verde.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo