Coronavírus: Com todas as regiões na fase amarela, Plano SP passa a ter atualização mensal

O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira, 11/09/2020, a atualização do Plano São Paulo de enfrentamento ao coronavírus e retomada econômica com todas as regiões do estado na fase amarela, que permite atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, academias, shoppings, comércios de rua, escritórios em geral e concessionárias. A reclassificação para progressões de fase passa a ser mensal, com nova revisão no dia 9 de outubro.

No estado de São Paulo como um todo, a pandemia regride de maneira sólida e, agora, todas as regiões estão na fase amarela”, afirmou o Governador. “Devido à regressão vigorosa dos indicadores no estado, entramos em uma nova fase de monitoramento da pandemia. Por questão de segurança, as requalificações do Plano São Paulo passam a ser mensais, ao invés de quinzenais”, declarou Doria.

Com a estabilidade do avanço da pandemia em todas as regiões do estado, o Centro de Contingência do Coronavírus recomendou que o monitoramento seja estendido para um período mínimo de 28 dias. O acompanhamento dos indicadores nas próximas quatro semanas vai garantir mais segurança na possível migração de regiões para a fase verde a partir do início de outubro.

Há uma semana, 95% da população paulista já estava em regiões contempladas na terceira de cinco etapas do Plano São Paulo. Franca e Ribeirão Preto estavam na fase laranja, mais restritiva, mas tiveram queda acentuada em número de mortes e internações provocadas pelo coronavírus, além de melhoria nas taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Média estadual

Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus, São Paulo registra declínio de mortes por COVID-19 há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.

Na atualização desta semana, a variação de novos casos na média estadual foi 31% menor em relação à medição anterior. As novas internações caíram 10% em comparação à semana passada, e o número de óbitos foi 20% menor. A taxa estadual de internações por cem mil habitantes é de 43,7, além de média de seis mortes por coronavírus a cada cem mil habitantes.

A capacidade de atendimento hospitalar a pacientes graves com COVID-19 também é considerada confortável – a média atual de ocupação de leitos de UTI é de 52,5. Atualmente, o estado de São Paulo dispõe de 20,5 vagas hospitalares para casos graves da doença a cada cem mil habitantes.

Apesar da alteração no período de medição do Plano São Paulo, o Governo do Estado poderá decretar regressão para a fase vermelha de qualquer região, a qualquer momento, em caso de piora significativa das taxas de contaminação por coronavírus ou redução acentuada da capacidade hospitalar.

Não haverá retorno para a fase laranja, o que aumenta a responsabilidade de Prefeitos, Secretários municipais de saúde e da própria população. Afinal, a população precisa se resguardar e se proteger, obrigatoriamente usar máscara ao sair de casa, seguir o distanciamento social de 1,5 metro, lavar as mãos e usar álcool em gel”, destacou o Governador.

O que pode

A fase amarela permite o funcionamento, com restrições, do comércio de rua, shoppings centers, escritórios, bares e restaurantes, academias, salões de beleza e barbearias. Estabelecimentos de alimentação poderão funcionar até as 22h00 para consumo local somente em regiões que estejam há pelo menos 14 dias consecutivos fora das fases vermelha e laranja do Plano São Paulo.

Essa opção de atendimento continua permitida apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. Não será permitido que os clientes fiquem em pé. A orientação é que os estabelecimentos atendam os clientes conforme horário agendado previamente, para evitar aglomerações.

A 13ª classificação do Plano São Paulo, com os índices atualizados de evolução da pandemia e capacidade hospitalar em cada região, está disponível em https://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/09/14-balanco-plano-sp-11092020.pdf.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Coronavírus: Estado autoriza abertura de estabelecimentos por 8 horas na fase amarela do Plano SP

O Vice-Governador e Secretário de Governo, Rodrigo Garcia, anunciou nesta quarta-feira, 19/08/2020, autorização para que todas as atividades permitidas na fase amarela do Plano São Paulo possam funcionar por oito horas diárias em estabelecimentos comerciais e de serviço. Até então, eram permitidas seis horas diárias.

Este aperfeiçoamento foi aprovado pelo Centro de Contingência. Mesmo com essa autorização feita através de decreto do Governo de São Paulo, os prefeitos têm autonomia para aplicar a medida e decidir se a mudança será adotada e em que momento deve ser adotada em suas cidades”, disse Garcia.

Ampliação de funcionamento vale a partir de sexta-feira (21); restaurantes poderão oferecer consumo local até as 22h00 na fase verde

A medida passa a valer a partir de sexta-feira, 21, e é válida para todos os setores, como shoppings, comércio, serviço, salões de beleza e barbearia, restaurantes e similares, academias, convenções e atividades culturais. Os empresários poderão escolher se adotam uma jornada contínua ou fracionada, respeitando o limite de oito horas diárias.

O consumo local nos restaurantes e similares continua permitido apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. Não será permitido que os clientes fiquem em pé, para evitar aglomerações.

A ocupação máxima deve ser de 40% da capacidade dos assentos e o fechamento precisa ocorrer até as 22h00, com adoção dos protocolos geral e específicos para o setor. Funcionários e clientes devem usar máscara em todos os ambientes, tirando apenas no momento da refeição.

Outra atualização do Plano São Paulo definiu um novo horário para atendimento presencial em restaurantes e similares na fase verde. Assim como na fase amarela (após 14 dias de permanência da região), os estabelecimentos poderão oferecer consumo local até as 22h00 também na fase quatro.

Venda de ingressos nas bilheterias

Fica permitida, a partir de agora, a venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas, desde que respeitados os protocolos sanitários e de distanciamento social. As atividades culturais só estão permitidas a funcionar após 28 dias consecutivos da região na fase amarela. Com o público em pé, só serão permitidas após 28 dias consecutivos da região na fase verde.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

Coronavírus: Decreto retira exigência de uma só pessoa por família em super e hipermercados de Mogi

O decreto nº 19.450, de 12 agosto de 2020, publicado pela Prefeitura de Mogi das Cruzes esta semana, retira a exigência de que somente uma pessoa por família possa entrar em estabelecimentos comerciais como supermercados e hipermercados. A medida foi adotada durante a pandemia (decreto 19.230, de 6 de maio de 2020) para evitar aglomerações e prevenir a contaminação pelo novo coronavírus. Já a nova decisão reverte esta medida e leva em conta o mais recente balanço semanal do Plano São Paulo, que atualizou a classificação e manteve Mogi das Cruzes na Fase 3 – Amarela, pelo período ininterrupto de 28 dias.

Medida foi adotada durante a pandemia

O decreto nº 19.450, de 12 agosto de 2020, determina que as pessoas poderão entrar nos estabelecimentos comerciais, desde que utilizem equipamento de proteção individual (máscara facial com cobertura de boca e nariz), e respeitado o distanciamento seguro entre os demais frequentadores, de acordo com as dimensões estruturais do local.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Sesc apresenta projeto de instalação da unidade provisória em Mogi

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo, participou nesta quinta-feira, 13/08/2020, de uma reunião online com o diretor do Sesc SP, Danilo Miranda, para a apresentação do projeto de instalação da unidade provisória do Sesc em Mogi das Cruzes. Apesar da pandemia, os trabalhos para viabilizar a implantação da unidade do Sesc em Mogi das Cruzes prosseguiram com vigor e a expectativa é que as atividades tenham início a partir do primeiro semestre de 2021.

Todos estamos com uma grande expectativa em torno da instalação da unidade do Sesc na cidade e é muito bom ver que o projeto já está em estágio avançado. Isso é resultado de uma ampla articulação, que iniciamos em 2017 e contou com a participação de toda a população. É uma grande conquista para a cidade”, pontuou o prefeito, Marcus Melo.

Durante o encontro, Miranda apresentou o projeto arquitetônico da unidade provisória, com projeções de como deve ficar cada espaço. Na primeira etapa, a ideia do Sesc é aproveitar as estruturas que já existem no Centro Esportivo do Socorro, como alguns prédios, campo de futebol, quadras e piscina e reformá-las, adequando-as às atividades do Sesc.

Essa ocupação inicial não amplia nenhuma área construída. Vamos fazer acomodações, com arruamento, refazimento de instalações elétricas, execução de rede lógica e adequações nas instalações da piscina. É uma adaptação daquilo que já está lá, com a implantação de espaços leves e provisórios para podermos iniciar nossas operações”, explicou o diretor do Sesc SP.

A entrada principal para o Sesc de Mogi das Cruzes continuará sendo pela rua Rogério Tacola e, no acesso das pessoas, o Sesc projetou a instalação de uma escadaria. Os espaços esportivos serão em uma sua maioria mantidos, para a mesma destinação.

Nas edificações ao lado da piscina, o Sesc planeja implantar um galpão multiuso e um espaço de convivência, de leitura, bem como uma loja Sesc. Já nos prédios à esquerda da entrada principal, a ideia é instalar um espaço de tecnologia e artes, uma oficina de artes, uma central de relacionamento e também uma área administrativa.

Nos espaços abertos, o projeto prevê a implantação de um bosque central, de um quiosque com oficinas de educação ambiental e de espaços de brincar. Também está previsto um espaço fechado para as crianças desenvolverem suas habilidades e imaginação.

A primeira fase do projeto prevê ainda pista de caminhada, sala de ginástica, vestiários, praça de eventos, praça recreativa, salas multifuncionais, além de espaços destinados à administração e apoio operacional. Já na segunda fase, também prevista para 2021, o Sesc projeta algumas instalações complementares, como um espaço para café, uma carreta odontológica e também um campo de grama sintética.

A unidade provisória já deve trazer à população do município e de toda a região uma ampla gama de atividades e programações do Sesc, nas áreas cultural, esportiva, educacional, de lazer, recreação e cidadania.  “Estamos trabalhando com muito empenho e já temos um encaminhamento muito sólido e definido do que deve acontecer. Esta primeira etapa já traz consigo um propósito comunitário, portanto será aberto a toda a comunidade”, destacou Danilo Miranda.

A entrega das chaves do Centro Esportivo do Socorro aconteceu no dia 1º de julho, porém a doação já havia sido oficializada em 11 de março deste ano, durante reunião entre o prefeito Marcus Melo e o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Abram Szajman, mais o diretor regional do Sesc em São Paulo, Danilo Miranda, na sede da Federação, na capital paulista.

Desde então, a equipe técnica do Sesc já se mobilizou em torno de medições, estudos e levantamentos, o que garantiu a condição avançada do projeto de instalação da unidade de Mogi das Cruzes. A Prefeitura de Mogi, por sua vez, cuidou da transferência de todas as atividades que lá aconteciam para outros espaços municipais.

Segundo a lei que autoriza a doação da área, a partir da entrega do imóvel, o Sesc tem 18 meses para o início das atividades de ocupação, mais três anos para a apresentação do projeto arquitetônico referente à instalação da unidade permanente e cinco anos após aprovação do projeto pela Prefeitura para sua edificação.

Apresentação do Projeto Sesc Mogi das Cruzes

Estudos feitos pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo apontam que a vinda de um Sesc para Mogi das Cruzes fará com que o número de pessoas atendidas na área do Centro Esportivo do Socorro salte de 1.200/mês para 30 mil/mês, com mais de 700 atividades disponibilizadas não só para pessoas ligadas ao ramo do comércio, como a população de uma forma geral.

Além disso, a unidade tem o potencial de gerar cerca de 500 empregos diretos e indiretos, movimentando a economia da cidade e da região. O investimento para a instalação da unidade parte inteiramente do Sesc, não havendo emprego de verba pública no projeto.

A reunião online contou com a participação de quase 60 pessoas, entre elas o secretário chefe de Gabinete da Prefeitura, Romildo Campello, o secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori, a coordenadora da assessoria jurídica do Sesc, Carla Bertucci Barbieri, o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, o presidente da Câmara Municipal, Sadao Sakai e também o vereador José Antonio Cuco Pereira. A imprensa também participou do encontro e pôde fazer questionamentos ao final.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Prefeitura retoma feiras noturnas a partir desta quinta, 09/07/2020

A Prefeitura de Mogi das Cruzes retoma o funcionamento das feiras noturnas a partir desta quinta-feira, 09/07/2020, quando serão realizadas as feiras da rua Braz Cubas e do Largo da Mesquita. Na sexta, 10, retorna a feira do Mogilar. O horário de funcionamento será das 17h00 às 21h00. A medida integra o processo gradual de retomada econômica e de flexibilização, também gradativa, da quarentena imposta para enfrentamento da pandemia de Covid-19.

As feiras noturnas haviam sido suspensas em março, no início da quarentena. O retorno será mediante uma série de restrições e adoção de normas de higienização e distanciamento para diminuir a possibilidade de contágio pelo novo Coronavírus – a Secretaria Municipal de Agricultura encaminhou aos feirantes um Termo de Responsabilidade contendo 25 determinações que devem ser seguidas para participar das feiras.

Retomada das feiras noturnas integra processo gradual de retomada econômica e de flexibilização da quarentena. Foto: Ney Sarmento/PMMC

Entre as normas, está a proibição da participação de feirantes que estejam no grupo de risco, como idosos com mais de 60 anos, ou que possuam doenças crônicas como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, insuficiência renal crônica, doença respiratória crônica. Esse feirantes deverão permanecer em casa, assim como os que apresentarem qualquer sintoma como febre, tosse ou dificuldades para respirar. A mesma regra vale para aqueles que tiverem contato direto com pessoas que estão no grupo de risco ou com os sintomas.

As barracas deverão ter distanciamento mínimo de um metro. Em caso de filas, o chão deverá estar devidamente demarcado com distanciamento mínimo de um metro entre as pessoas. Também será obrigatório o uso de máscaras.

Os feirantes deverão disponibilizar aos clientes desinfetantes do tipo álcool 70% em todos os acessos, assim como em todas as barracas.

As regras incluem ainda a higienização, antes da montagem, das barracas, bancas, bancadas, balanças e utensílios, com álcool 70% ou com solução de água sanitária; disponibilização de um funcionário exclusivo para efetuar as cobranças e a manipular o dinheiro, com uso de luvas descartáveis de proteção e higienização das mãos antes e após o uso das luvas.

Limpeza das máquinas de cartão para pagamento antes do início do trabalho, após cada utilização e no término das atividades.

As barracas deverão ser reduzidas para melhor distribuição e espaçamento entre elas. Estão proibidos o consumo e a degustação de alimentos na feira – todos os produtos deverão ser comercializados somente para retirada no local e em embalagens fechadas. Também não será permitida a comercialização de bebidas alcoólicas (nem para retirada).

As apresentações musicais e o entretenimento para o público infantil, que são uma tradição das feiras noturnas, continuarão suspensos.

Mais informações na Secretaria Municipal de Agricultura, pelo telefone 4798-5136, Whatsapp 4798-5025, ou pelo e-mail agricultura@pmmc.com.br.

Retomada

A Prefeitura vem adotando uma série de medidas para possibilitar o retorno dos diversos setores da economia de uma forma que não comprometa as ações de combate à pandemia. Para isso, criou o Comitê Gestor de Retomada Gradativa de Atividades Econômicas, que une profissionais de saúde e de desenvolvimento econômico para discutir o restabelecimento seguro das atividades, pautados nos princípios e orientações da área de saúde.

Feiras noturnas:

Quinta-feira, das 17h00 às 21h00
Centro (Rua Braz Cubas, 470)
Largo da Mesquita (Praça Antônio Ferri, Alto do Ipiranga)

Sexta-feira, das 17h00 às 21h00
Mogilar (Avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes, 550)

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes