Programa Tampinha Solidária continua recebendo arrecadações

O programa Tampinha Solidária, que converte tampas plásticas em ajuda para protetores independentes de cães e gatos da cidade, continua recebendo doações. A ação, que foi lançada em março do ano passado, fechou 2019 com cerca de 13 toneladas de tampas recebidas, 10,2 toneladas de tampas vendidas e 4,3 toneladas de ração compradas e distribuídas para 43 protetores de animais.

Antes de seguirem para a venda, as tampas passam por um processo manual de separação por cor, que é feito em uma sala do Pró-Hiper, por voluntários. O espaço é dotado de duas mesas coletoras e todo o material de higiene e segurança e nele as tampas são armazenadas separadamente, conforme a cor. Esse processo é fundamental pois, disposto assim, o material vale quase três vezes mais na hora da venda.

Com o recurso obtido com a venda, o Fundo Social adquire pacotes de ração para cães e gatos e distribui o alimento entre protetores cadastrados e previamente visitados pelas equipes do órgão. Assim, o projeto ajuda as pessoas que desenvolvem esse trabalho de resgate, proteção e cuidados com cachorros e gatos e, ao mesmo tempo, contribui para a preservação do meio ambiente e o aumento dos índices de reciclagem.

O Tampinha Solidária é uma campanha permanente, portanto as pessoas podem continuar separando e encaminhando ao programa tampas plásticas de produtos

Além da sala de separação, que, aliás, recebeu recentemente a visita da primeira-dama do Estado do São Paulo, o programa Tampinha Solidária também deu origem à feira de adoção, que tem como intuito combater a superlotação de alguns abrigos de cães e gatos de protetores visitados pela equipe do Fundo Social. Entre os meses de setembro e dezembro do ano passado, foram realizadas quatro feiras, sendo duas no Parque Centenário e duas no Varejão, que resultaram na adoção de 21 animais adultos.

Para ajudar o programa, basta separar as tampas plásticas de produtos que podem ser alimentos, condimentos, itens de higiene, cosméticos, canetas e afins. Hoje, há 326 pontos de coleta espalhados pelo município e as projeções para 2020 é que esse número tenha um crescimento da ordem de 30%.

A relação dos pontos é disponibilizada no site da Prefeitura, porém como o aumento é constante e parte da população, quem tiver dúvidas e precisar de orientações sobre onde levar as tampinhas pode ligar no Fundo Social, no telefone 4798-5143.

Também é possível ajudar o programa passando a integrar o grupo de voluntários que trabalha na sala de separação. Atualmente, o espaço funciona às terças, quintas e sextas, das 14h00 às 18h00 e aos sábados, das 9h00 às 13h00. Porém, havendo um aumento no número de voluntários, também será possível ampliar o expediente da sala. A orientação é também entrar em contato com o Fundo Social, para manifestar seu interesse em ajudar.

O Tampinha Solidária é um programa permanente, portanto quanto mais pessoas abraçarem a causa, mais será possível contribuir com os cuidados de cães e gatos da cidade.

Mais informações devem ser obtidas pelo mesmo telefone do Fundo Social, que é o 4798-5143.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Mogi adota medidas de bloqueio para conter o avanço do sarampo

A Secretaria Municipal de Saúde está trabalhando para conter o avanço do sarampo em Mogi das Cruzes. Em todos os casos suspeitos, as equipes realizam o bloqueio vacinal, que é a busca das pessoas que tiveram contato com o paciente, em casa, escola ou trabalho, para indicar ou realizar o reforço da vacinação. Até o momento, o município recebeu 37 notificações suspeitas, das quais sete casos foram confirmados, três foram descartados e 27 aguardam resultados de exames.

Em todas as unidades de saúde, é possível realizar a vacinação de rotina para atualização de cadernetas de vacinação, conforme orientações do Ministério da Saúde. “Estamos em contato permanente com o Governo Estadual e também com o Ministério da Saúde solicitando reforço no nosso abastecimento de vacinas para que possamos garantir a proteção necessária aos nossos munícipes”, informa o secretário municipal de Saúde, Francisco Bezerra.

Mogi das Cruzes adota medidas para conter o avanço do sarampo na cidade. Foto: Arquivo/PMMC

A vacina indicada é a tríplice viral, que está prevista no Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, e é aplicada aos 12 meses de idade, com reforço aos 15 meses. A dose garante imunização contra sarampo, rubéola e caxumba. Crianças, adolescentes e jovens adultos com idade entre 1 e 29 anos devem ter duas doses da vacina. Quem tem entre 30 e 59 anos precisa ter, pelo menos, uma dose comprovada.

O sarampo é uma doença infecciosa, transmissível e extremamente contagiosa, podendo se tornar grave especialmente em crianças e adultos jovens. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por meio de secreções respiratórias, e os principais sintomas são febre alta (acima de 38,5º) e manchas vermelhas pelo corpo (com início na face e atrás das orelhas), acompanhadas de tosse, coriza ou conjuntivite.

A forma mais eficaz de prevenir o sarampo é a vacina, mas é importante lembrar que a dose é contraindicada para gestantes e imunodeprimidos, como pessoas submetidas a tratamento de leucemia e pacientes oncológicos. Em caso de dúvida, procure uma unidade de saúde ou entre em contato com a Vigilância Epidemiológica pelo telefone 4798-6768.

Projeto Tampinha Solidária será lançado nesta quinta-feira, 28/03/2019

Nesta quinta-feira, 28/03/2019, às 16h00, o Fundo Social de Mogi das Cruzes, em parceria com o programa Família Solidária, fará o lançamento oficial do projeto Tampinha Solidária. Inédita na cidade, a iniciativa visa beneficiar ONGs e protetores independentes de animais como cães e gatos, a partir de uma mudança de postura ligada diretamente à questão da reciclagem.

A ideia do Fundo Social é mobilizar todos os cidadãos, para que eles passem a separar as tampinhas plásticas de produtos diversos, como refrigerante, água mineral, xampu, detergente, requeijão e até canetas ou potes de sorvete, por exemplo. Essas tampinhas serão encaminhadas para a reciclagem e a verba obtida com a venda será inteiramente revertida para as entidades e pessoas que resgatam e cuidam de animais abandonados.

Para recolher as tampinhas, haverá galões de água com a identificação visual da campanha, mas esse processo também pode ser feito com outros materiais, como, por exemplo, caixas de papelão. Para obter a identificação oficial da campanha, basta aos envolvidos buscar cartazes e filipetas do projeto na sede do Fundo Social.

Com lançamento marcado para esta quinta-feira, o projeto Tampinha Solidária visa transformar tampinhas plásticas em apoio para ONGs e protetores de animais da cidade

Após o recolhimento das tampinhas, as mesmas serão encaminhadas para o Pró-Hiper, no Mogilar, onde uma equipe de voluntários do programa Família Voluntária estará a postos, para fazer a separação do material por cores. A etapa é importante, pois impacta diretamente no valor de venda do produto, que é bem maior quando já existe a separação por cor. Na sequência, as tampinhas serão encaminhadas para a reciclagem.

Trata-se, portanto, de um projeto que mescla conscientização ambiental, sustentabilidade ecológica, combate aos maus tratos aos animais e também o estímulo à posse responsável. Paralelamente ao projeto já está sendo idealizada uma feira de doação de animais, que acontecerá uma vez ao mês no Varejão de Mogi das Cruzes, aos domingos.

A inspiração para o projeto veio do programa Tampinha Legal, desenvolvido no Rio Grande do Sul, pelo Instituto SustenPlást. Entre março de 2017 e dezembro de 2018, o projetou do Sul arrecadou 130.543,43 quilos de tampinhas plásticas , que foram direcionadas para o processo adequado de reciclagem, ajudando 78 entidades assistenciais cadastradas no projeto. Em Mogi, já há cerca de 60 protetores cadastrados, para participarem e serem beneficiados pelo projeto.

O lançamento do Tampinha Solidária acontecerá no auditório do prédio-sede da Prefeitura de Mogi das Cruzes, a partir das 16h00. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4798-5143.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Dia D de Combate ao Aedes aegypti será realizado nesta sexta-feira, 30/11/2018

A Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio do Núcleo de Controle e Prevenção das Arboviroses, promove nesta semana uma série de vistorias de prevenção e orientação dentro da Semana Nacional de Combate ao Aedes aegypti. O Dia D está marcado para sexta-feira, 30/11/2018, com uma ação de mobilização e distribuição de material informativo no Largo do Rosário, das 9h00 às 16h00. Também será realizada a vacinação contra febre amarela.

Desde o início do mês, as equipes do Núcleo de Controle e Prevenção das Arboviroses estão percorrendo escolas, creches, unidades de saúde, hospitais e instituições para vistoriar e reforçar as orientações sobre como prevenir a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Nos prédios públicos, o trabalho conta com apoio dos grupos de brigadistas. Nesta sexta-feira, o trabalho será concentrado nos bairros quem registraram maiores índices de infestação, conforme a última Avaliação de Densidade Larvária (ADL).

As unidades costumam manter os cuidados necessários para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mas é importante ressaltarmos sempre as informações, principalmente em função da presença do mosquito em toda a cidade“, explica o coordenador do Núcleo de Controle e Prevenção das Arboviroses, Jefferson Renan de Araújo Leite. “Nos bairros, o cuidado precisa ser constante“, acrescentou.

Como o mosquito está presente em todo o território mogiano, os trabalhos de prevenção não podem parar. A principal orientação aos munícipes é eliminar todo e qualquer recipiente ou situação que possa facilitar o acúmulo de água e, consequentemente, a proliferação do Aedes aegypti.

Outra grande preocupação neste período do ano é a febre amarela. A principal orientação é a vacinação. “A vacina é indicada para todos, principalmente para quem pretende viajar para o Litoral neste final de ano. Quem ainda não tomou a vacina contra a febre amarela deve procurar uma unidade de saúde mais próxima e garantir a proteção”, explica a médica da Vigilância Epidemiológica Municipal, Tereza Nihei.

A dose é única e válida pela vida toda, mas é contraindicada para bebês menores de 9 meses de vida, gestantes, mães que amamentam bebês menores de seis meses e pessoas que apresentam algum tipo de imunossupressão por uso de medicamentos ou portadores de doenças imunossupressoras. Pessoas portadoras de doenças crônicas importantes devem consultar o médico.

Confira algumas dicas de prevenção:

  • Não acumule materiais desnecessários e sem uso. Se forem destinados à reciclagem, guarde-os em local coberto e abrigado da chuva.
  • Trate a piscina com cloro. Se ela não estiver em uso, esvazie-a completamente. Mantenha lagos, cascatas ou espelhos sempre limpos ou crie peixes que se alimentem de larvas.
  • Entregue pneus velhos para reciclagem ou guarde-os, sem água, em locais cobertos.
  • Verifique se os ralos da casa não estão entupidos. Limpe-os pelo menos uma vez por semana e, se não os estiver usando, deixe-os fechados.
  • Guarde as garrafas, baldes ou latas vazias de cabeça para baixo.
  • Lave com escova e sabão as vasilhas de água e comida de seus animais.
  • Retire a água da bandeja externa da geladeira e lave a bandeja com sabão.
  • Não deixe acumular água na parte debaixo das torneiras de bebedouros e filtros.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Campanha de Vacinação Antirrábica 2018 prossegue até o dia 12/09

A Campanha de Vacinação Antirrábica 2018 de Mogi das Cruzes prossegue até o dia 12 de setembro. Neste período, os agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) irão visitar 153 pontos da cidade para garantir a imunização de cães e gatos. A expectativa é vacinar cerca de 50 mil animais.

Veja todos as datas e locais de vacinação

A vacina contra a raiva é indicada para cães e gatos a partir dos três meses de vida. Para a vacinação, não é obrigatório que o animal tenha algum documento e a principal orientação é para que os cães e gatos sejam transportados de maneira segura, tanto para os profissionais, como para a população em geral.

Os cães devem ser levados em guias e coleiras e os gatos devem ser transportados em caixas especiais, caixotes de papelão ou qualquer outro recurso que garanta a segurança do animal e dos profissionais.

A imunização prossegue até o dia 12/09. Foto: PMMC

A raiva é transmitida por meio de vírus que, quando acomete os animais, é quase sempre fatal. A doença atinge também os humanos que têm contato com a saliva com o bicho infectado. “A vacinação antirrábica é muito importante e os proprietários precisam estar atentos para garantir a proteção anual necessária”, explica o secretário municipal de Saúde, Téo Cusatis.

A dose estará disponível também no Centro de Controle de Zoonoses, de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 17h00. O endereço é Estrada de Santa Catarina, 2.540, em Cezar de Souza.

Informações pelo telefone 4792-8585.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes