Cadastro na Tarifa Social de Energia Elétrica cresce 143% no Alto Tietê durante a pandemia

A taxa de desemprego no país segue alta – em torno de 14,7% segundo dados do IBGE, agravada pela pandemia da Covid-19. Nesse cenário, cresceu a busca por alternativas que ajudem a equilibrar as despesas familiares, como é o caso da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), que concede desconto na conta de energia e pode fazer grande diferença no final do mês. A EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, detectou nos últimos meses um aumento significativo no número de famílias cadastradas. Em comparação ao período pré-pandemia (janeiro de 2020), houve aumento de 143% na quantidade de clientes inscritos no benefício na região.

A EDP atua de forma proativa para o cadastramento de clientes com perfil a receber o benefício, entretanto se os dados do titular da conta e da pessoa inscrita no CadÚnico divergem, a inscrição automática no benefício fica impossibilitada. Na maioria dos casos, após a atualização do CadÚnico no CRAS do município, já é possível ter acesso ao desconto.

Para usufruir do benefício, é preciso estar com o Número de Identificação Social (NIS) ativo no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e se cadastrar no site da EDP, www.edp.com.br/tarifasocial. Após o cadastro no portal da EDP, a documentação é avaliada e, estando tudo correto, o benefício é aplicado a partir da fatura seguinte.  “A EDP realiza ações contínuas para ampliar sua base de beneficiários da Tarifa Social, para que as famílias consigam arcar com suas despesas de forma mais equilibrada”, afirma Roberto Miranda, gestor da EDP.

O desconto

A Tarifa Social é um desconto na conta de luz concedido para os primeiros 220 kWh consumidos mensalmente por clientes residenciais classificados como de baixa renda e varia de acordo com a faixa de consumo mensal (kWh/mês). “É importante frisar que o benefício é muito vantajoso para quem utiliza a energia de forma eficiente, pois quanto menor o consumo, maior o desconto”, explica Miranda.

O benefício é aplicado somente a uma unidade consumidora por família e é escalonado por faixa de consumo, sendo calculado de modo cumulativo, conforme a tabela abaixo:

Faixa de ConsumoDesconto
Até 30 kWh/mês65%
De 31 a 100 kWh/mês40%
De 101 a 220 kWh/mês10%
Acima de 220 kWh/mêsNão há desconto

Quem tem direito ao benefício:

  • Família inscrita no CadÚnico para Programas Sociais do Governo Federal, com renda familiar mensal per capita comprovadamente menor ou igual a meio salário mínimo nacional;
  • Idosos com 65 (sessenta e cinco) anos ou mais e pessoas com deficiência que recebam o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC;
  • Família inscrita no CadÚnico com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos, que tenha portador de doença ou patologia cujo tratamento ou procedimento médico requeira uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que dependam do consumo de energia elétrica;
  • Famílias indígenas ou quilombolas com inscrição no CadÚnico;

Se o morador se enquadrar em um dos critérios acima e não for o titular da conta de energia não é necessário fazer a alteração de titularidade. Basta informar o nº da instalação de onde reside (que consta na fatura de energia). Será criado um registro como inquilino (não é necessário apresentar contrato de locação). A conta de energia continuará sendo emitida em nome do titular/responsável pela unidade consumidora.

Documentos necessários para realizar o cadastramento na EDP:

  • Número de Identificação Social (NIS) – obtido na prefeitura municipal por meio do CRAS;
  • Conta de energia;
  • CPF (Cadastro de Pessoa Física) e Carteira de Identidade (ou outro documento de identificação social com foto) ou apenas Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI);
  • Informar se a família é indígena ou quilombola, ou se há integrante na família que receba o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC). Nesse caso, é preciso informar o Número do Benefício (NB);
  • Para o caso família inscrita no Cadastro Único com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos, que tenha portador de doença ou deficiência cujo tratamento, procedimento médico ou terapêutico requeira o uso continuado de equipamentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica, é necessário apresentar o relatório e atestado subscrito por profissional médico;

Mais informações

  • Cada família tem direito a somente uma instalação com o benefício da Tarifa Social;
  • Caso haja mudança de endereço é importante atualizar seu cadastro junto ao CRAS e informe à EDP o nº de instalação da nova residência.
  • A atualização do CadÚnico garante ao consumidor a manutenção do desconto na conta de luz, e deve ser feita nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) do município. O cadastro tem validade de dois anos e deve ser sempre atualizado. 
  • Por conta da pandemia da Covid-19, a Resolução Normativa 928/2021, da Agência Nacional de Energia Elétrica, que seguirá em vigor até 30 de setembro de 2021, proíbe o descadastramento da tarifa social de clientes com dados desatualizados, porém, é importante mantê-los em dia.

Em caso de dúvidas, a EDP orienta a entrar em contato pelos canais de atendimento: 

–  Site EDP: www.edp.com.br/tarifasocial

– WhatsApp EDP: 11 93465-2888

– Central de Atendimento ao Cliente: 0800 721 0123 (ligação gratuita, 24 horas/sete dias por semana)

🚿 Início do Inverno: Cuidados para o chuveiro elétrico não se tornar o vilão da conta de luz

Com a chegada do inverno e dias mais frios, o chuveiro elétrico pode representar um aumento significativo na conta de luz no final do mês. A EDP, distribuidora de energia elétrica de Guarulhos, Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, alerta que o uso de um chuveiro com 5.500w de potência por 30 minutos todos os dias, na posição ‘inverno’ pode representar mais de R$ 50 na conta de luz no fim do mês.

Para auxiliar o consumidor a usar o chuveiro de forma mais eficiente, a EDP reuniu algumas dicas. As orientações começam na compra de um novo equipamento, já que a potência do aparelho está diretamente relacionada ao investimento nas instalações elétricas da residência, uma vez que, quanto maior a potência do chuveiro, mais elevado será o consumo de energia e, consequentemente, maior deverá ser a capacidade dos fios e do disjuntor do circuito.

A EDP reuniu algumas dicas para economia de energia na hora do banho

Geralmente, os produtos de menor potência esquentam menos a água e consomem menos energia, mas outro fator fundamental para a economia é a mudança de hábito. Por exemplo, ao reduzir o jato do chuveiro, o equipamento de menor potência consegue aquecer o suficiente, diminuindo o gasto de energia e de água, contribuindo também para o meio ambiente”, ressalta Roberto Miranda, gestor da EDP.  Lembrando que se a família tiver um tempo de utilização diária de uma hora de chuveiro elétrico durante todo o mês, isso representará um valor na conta de energia de mais de R$ 100.

Cuidar da segurança nas instalações também é sempre muito importante e com o chuveiro é essencial. “Fugas de corrente elétrica podem causar acidentes. Por isso, as conexões do chuveiro devem ser bem-feitas e isoladas para que não ocorra aquecimento da fiação e devem ser realizadas por um profissional. Acima de tudo, para um banho seguro, jamais toque na ducha com o aparelho ligado. A chave inverno/verão deve ser acionada com o chuveiro sempre desligado”, acrescenta Miranda.

O gestor da EDP orienta, ainda, que se na hora do banho for identificado algum cheiro de queimado, isso pode indicar aquecimento em uma conexão malfeita, “desligue o chuveiro imediatamente e chame um eletricista para promover os reparos”, alerta.

Confira algumas dicas para economia de energia na hora de utilizar o chuveiro elétrico:

  • Evite banhos longos, o ideal é que o tempo seja de 5 a 8 minutos. O uso do chuveiro representa despesas de água e energia, por isso, o consumidor deve limitar seu tempo debaixo do banho de água quente ao mínimo indispensável;
  • Não faça a barba, escove os dentes ou se depile debaixo do chuveiro;
  • Ao ensaboar-se ou lavar os cabelos, desligue o chuveiro.
  • Siga as instruções de instalação do equipamento conforme o manual e dicas do fabricante. Uma fiação antiga ou mal instalada pode significar desperdício de energia elétrica;
  • Nunca reaproveite uma resistência queimada, pois ela aumenta o consumo e põe em risco a sua segurança;
  • Limpe periodicamente os furos de saída de água do chuveiro, evitando a queima da resistência;
  • Sempre que possível, mantenha o chuveiro na chave ‘verão’. O consumo de energia é cerca de 30% menor que na posição inverno;

Para obter mais dicas de consumo consciente de energia elétrica, acesse: https://www.edp.com.br/seliganoconsumo

Você sabia?

Quando, no meio do banho quente, o chuveiro desliga porque caiu o disjuntor ou porque foi ligado no mesmo momento o micro-ondas ou forno elétrico, por exemplo, significa que o circuito elétrico não está corretamente dimensionado para um consumo tão grande de energia ao mesmo tempo. Neste caso, a dica é não colocar a segurança em risco e recorrer a um profissional capacitado para fazer avaliação da fiação elétrica da sua residência.

EDP esclarece 10 mitos e verdades sobre consumo de energia e equipamentos

Hoje, 29 de maio, comemora-se o Dia Mundial da Energia, data criada com o objetivo de ampliar a conscientização da população sobre a importância do uso consciente e responsável da eletricidade. Para contribuir com mais conhecimento sobre o tema, a EDP, distribuidora de energia de Guarulhos, Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, elencou alguns mitos e verdades. Confira:

  1. As instalações internas malfeitas e mal dimensionadas podem ser perigosas e aumentar o consumo de energia?

Verdade. Manter as instalações elétricas da sua casa bem conservadas é uma questão de segurança e de economia. A má instalação dos fios pode gerar prejuízos como desperdício de energia resultante do superaquecimento da fiação. Isso faz com que a energia seja utilizada para aquecer os próprios condutores (fios) ou conexões entre eles, em vez de ser transformada em eletricidade útil para iluminar ou ligar um eletrodoméstico, aumentando assim o consumo de energia elétrica.

  1. Aparelhos com tensão 220v gastam menos energia do que os de 110v?

Mito. O nível de tensão da rede elétrica não altera o valor da sua conta de luz. Observe que o cálculo feito pelas empresas é baseado em kW/h: portanto, o que determina quanto um aparelho eletrônico irá consumir de energia é a sua potência e o tempo de uso. A principal vantagem da tensão de 220 Volts é o custo da instalação da rede elétrica. Esse tipo de circuito possui um fluxo menor de corrente elétrica, o que permite a utilização de fios mais finos, mais baratos. Portanto, não vai fazer diferença nas tarifas mensais de luz.

É importante frisar que o consumo de energia depende da potência do aparelho e do tempo de sua utilização, e não da tensão.

  1. Tomada quente é um perigo?

Verdade. Uma tomada quente merece atenção especial, já que além de desperdício de energia elétrica, também indica a possibilidade de incêndio.

Concessionária elencou as dúvidas mais comuns dos consumidores e esclarece pontos para ajudar na eficiência energética das residências. Foto por Artem Podrez em Pexels.com
  1. Guardar alimentos ainda quentes na geladeira aumenta o consumo?

Verdade. O consumo de energia elétrica da geladeira está diretamente ligado ao tempo que o seu motor estiver funcionando. O motor funciona mais quando precisa resfriar o conteúdo da geladeira. Portanto, o consumo será maior já que o alimento quente exigirá maior tempo de funcionamento do motor.

Ao contrário de outros aparelhos eletrônicos que podem ser ligados apenas no momento de uso, a geladeira precisa ficar na tomada o tempo todo. Portanto, na hora de comprar um novo modelo, é importante escolher opções que tenham boa nota no selo da Procel.

  1. Deixar equipamentos em modo stand by aumento o consumo de energia?

Verdade. O modo stand by de um equipamento (TV, console, cafeteira, micro-ondas, entre outros) indica que ele está consumindo o mínimo possível de energia para mantê-lo em condições de acionamento rápido. Os equipamentos ligados em modo de espera podem representar até 20% do seu gasto mensal com energia elétrica.

  1. Limpar regularmente lâmpadas e luminárias reduz o consumo de energia?

Mito. O consumo de energia está ligado diretamente à corrente que circula pela lâmpada. A limpeza da lâmpada não interfere no seu consumo. A limpeza da lâmpada pode interferir na melhora da luminosidade.

  1. Deixar uma garrafa pet com água em cima do medidor ajuda a economizar energia?

Mito. Colocar a garrafa de água em cima da caixa de medição não exerce nenhuma influência sobre o consumo de energia elétrica. Vale ressaltar que os hábitos da família, quais equipamentos elétricos são usados e o seu tempo de utilização, são os pontos que resultam no consumo mensal. Por isso, é muito importante usar a energia de forma racional e segura.  

  1. Vários equipamentos ligados em uma mesma tomada (como “benjamim” ou “T”) aumentam o consumo?

Mito. O consumo de energia nem aumenta e nem diminui pelo fato de ter equipamentos ligados no chamado “benjamim”. Porém, a segurança das instalações pode ser comprometida. Cada tomada é projetada para uma determinada corrente. O acúmulo de equipamentos na mesma tomada pode resultar em sobrecarga e provocar até mesmo um incêndio.

  1. Secar roupas e panos na parte traseira da geladeira aumenta o consumo?

Verdade. O hábito de secar roupas na parte traseira da geladeira sobrecarrega o aparelho e aumenta o consumo. O ideal é manter a área livre para circulação de ar.

  1. Ferro de passar não consome muita energia?

Mito. O ferro de passar é o segundo produto que mais consome energia elétrica, perdendo apenas para o chuveiro. Além destes, há ainda outros vilões do consumo de energia, sendo eles: geladeira, ar condicionado, máquina de lavar e iluminação.

O aquecimento constante do ferro é o que mais consome energia. Por isso, ao invés de passar poucas peças em dias alternados, o indicado é acumular uma quantidade maior de roupas e passar tudo de uma vez.

Para saber dicas sobre o uso eficiente da energia acesse: https://www.edp.com.br/seliganoconsumo

Projeto Agentes da Boa Energia, da EDP, já substituiu quase 100 mil lâmpadas em SP de janeiro a setembro

A renda do trabalhador brasileiro caiu, em média 20% durante a pandemia, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em tempos de orçamento mais apertado, tentar reduzir custos faz diferença ao final do mês, especialmente entre as famílias com menor orçamento. A EDP, distribuidora de energia elétrica de Guarulhos, Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, vem levando orientações a seus clientes por meio dos Agentes da Boa Energia. Até aqui, apenas em 2020, a iniciativa orientou mais de 19 mil famílias sobre o uso racional e seguro da energia, e substituiu quase 100 mil lâmpadas de maior consumo por LED, de suas residências.

No Alto Tietê, os municípios de Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano foram contemplados com o projeto. Entre janeiro e setembro, 11.634 famílias foram orientadas pelos Agentes da Boa Energia e tiveram 57.436 lâmpadas de maior consumo por LED substituídas em suas residências.

Ação acontece em regiões de complexidade social na área de concessão da distribuidora de energia. Photo by Federico Bottos on Unsplash

A iluminação, dependendo dos hábitos da família, pode representar até 20% do consumo mensal de energia na residência e a substituição de lâmpadas incandescentes e fluorescentes por LED, que são até oito vezes mais econômicas, além de mais duráveis e sustentáveis, podem ajudar a reduzir o valor da conta de luz. No projeto da EDP, cada família pode substituir até sete lâmpadas. Além deste trabalho, os consumidores recebem orientações sobre consumo eficiente, sobre a Tarifa Social de Energia Elétrica, que concede desconto de até 65% na fatura de energia, e podem realizar, em caso de necessidade, negociação de possíveis débitos em aberto com a Concessionária, com condições diferenciadas.

Os Agentes vão até às residências para o trabalho junto ao morador. Porém, tendo em vista o cenário de pandemia do coronavírus, a ação dos técnicos foi adaptada para garantir o mínimo contato pessoal e aglomeração de pessoas. Por isso, as famílias são contatadas via telefone para as orientações e agendam a substituição de lâmpadas, no formato delivery. A entrega é realizada na data e horário marcados, seguindo todas as recomendações de saúde para garantir a segurança dos colaboradores e famílias beneficiadas.

Sabemos da dificuldade de muitas famílias em honrar seus compromissos devido aos impactos da crise econômica decorrente da pandemia. Por isso, o projeto Agentes da Boa Energia cumpre um papel importante, levando orientação e informação de qualidade, além de contribuir na prática com a diminuição do consumo de energia a partir da substituição de lâmpadas”, destaca Giuliano Vieira, gestor da EDP.

Comparação entre as lâmpadas

A ação faz parte do programa Boa Energia na Comunidade, que já beneficiou mais de 400 mil famílias na área de concessão, visando contribuir com a economia doméstica da população de baixo poder aquisitivo por meio da utilização eficiente da energia elétrica. Os locais são mapeados a partir de critérios socioeconômicos. A iniciativa faz parte do Programa de Eficiência Energética – PEE da Distribuidora, regulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Com o objetivo de preservar os recursos naturais e promover educação para o uso inteligente da energia elétrica, evitando, assim, o desperdício, o PEE da EDP realiza projetos na área de concessão que buscam a conscientização, fazendo com que a energia seja utilizada com responsabilidade.

Projeto Eficiência Solidária, da EDP, substituirá 24 mil lâmpadas de maior consumo por LED

A partir de segunda-feira, 16/09/2019,  Mogi das Cruzes contará com o  posto de troca “Led Truck” da quarta edição do projeto Eficiência Solidária da EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, que fará a substituição de lâmpadas de maior consumo (incandescentes, halógenas ou fluorescentes compactas) por LED, dos clientes residenciais da cidade. Serão 24 mil lâmpadas disponíveis até dia 28 de setembro ou até terminarem os estoques. O posto de troca ficará estacionado na Praça Largo do Rosário (Praça da Marisa).

A ação tem como objetivo incentivar a utilização correta e segura da energia elétrica, beneficiando os moradores da área de concessão. Nesta edição do projeto serão disponibilizadas 60 mil lâmpadas em quatro município: Guaratinguetá, Taubaté, São Sebastião e Mogi das Cruzes. Além das lâmpadas, serão entregues informes educativos sobre o uso seguro e eficiente da energia e, ao final do programa, 250 lâmpadas LED tubular serão doadas a instituições sociais da região.

Desde o início do projeto, 144 mil lâmpadas foram substituídas dos moradores de 15 cidades e 30 instituições sociais beneficiadas. A economia de energia gerada foi de 5.642 megawatts-hora/ano (MWh/ano), o que corresponde ao abastecimento anual de aproximadamente 2.350 residências. Todas as lâmpadas entregues pelos clientes no momento da substituição foram destinadas ao descarte ecologicamente correto.

O projeto Eficiência Solidária traz uma economia real para os clientes com a substituição das lâmpadas, já que a iluminação pode representar cerca de 15% da conta de luz dependendo do hábito de consumo da família. Além disso, o programa cumpre um papel social importante, de reforçar a conscientização sobre o uso racional e seguro da energia elétrica e dos recursos naturais”, ressalta gestor executivo da EDP, Luciano Cavalcante.

O posto de troca das lâmpadas também foi pensado para estimular a consciência ambiental. O “Led Truck” é autossustentável, funciona com 100% de energia solar, a iluminação é toda com LED e o design foi realizado pelo artista mineiro Baba Jung, conhecido por suas pinturas em vagões de trens e peças do universo ferroviário.

Comparação entre as lâmpadas

Como participar do projeto Eficiência Solidária

Para participar do programa, é necessário ser cliente residencial da EDP de Mogi das Cruzes e dirigir-se até o posto de troca, munido da última fatura de energia, do documento de identidade, além de estar com as contas de luz em dia. Caso o cliente não seja o titular da instalação, deve levar um comprovante (cópia ou foto) do documento do titular.

No local, o consumidor entrega até cinco lâmpadas incandescentes, halógenas ou fluorescentes compactas (de maior consumo), que estejam em funcionamento, e recebe a mesma quantidade de LED. Clientes beneficiados por outros projetos de eficiência energética da EDP, que já tenham recebido lâmpadas LED, não estão aptos a participar do Eficiência Solidária.

Caso esteja inscrito para receber a fatura de energia por e-mail ou realizar o cadastro no ato da troca, o consumidor ganhará uma lâmpada Bônus. A fatura por e-mail da EDP é um serviço que une sustentabilidade e praticidade. A adesão elimina a emissão de papel e o cliente recebe em até dois endereços de e-mail sua conta com maior antecedência e segurança.

O projeto Eficiência Solidária faz parte do Programa de Eficiência Energética – PEE da EDP, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Com o objetivo de preservar os recursos naturais e promover educação para o uso inteligente da energia elétrica, evitando, assim, o desperdício, o PEE da EDP realiza projetos na área de concessão que buscam a conscientização, fazendo com que a energia seja utilizada com responsabilidade.

Conheça mais sobre o Eficiência Solidária, acesse o site edpsp.eficienciasolidaria.com.br.