Um pouco da história

Mogi das Cruzes é um município do estado de São Paulo, a menos de 50 quilômetros da Capital. Possui 721 km² de extensão territorial, e está situado na região leste da Grande São Paulo, no Alto Tietê.

A população é de 419.839 habitantes (dados do Censo Demográfico 2014).

Cercado pela Serra do Itapeti e a Serra do Mar, mais de 65% do município é situado em áreas de preservação ambiental.

A fundação da cidade data de 1560, quando o Bandeirante Braz Cubas se embrenhou pelas matas do território mogiano à procura de ouro. A elevação à Vila ocorreu em 17 de Agosto de 1611, com o nome de Vila de Sant’Anna de Mogi Mirim.

A oficialização ocorreu em 1º de setembro, dia em que se comemora o aniversário da cidade.

Origem do Nome

Mogi é uma alteração de Boigy que, por sua vez, vem de M’Boigy, o que significa ‘Rio das Cobras’, denominação que os índios davam a um trecho do Tietê. Quando a Vila foi criada em 1611, devido ao costume de adotar o nome do padroeiro, passou a ser denominada ‘Sant’Anna de Mogy Mirim‘.

Na língua indígena, Mirim quer dizer pequeno. Provavelmente, uma referência ao riacho Mogi Mirim. A linguagem popular tratou de acrescentar o termo “cruzes” ao nome oficial da Vila. Era costume dos povoadores sinalizar com cruzes os marcos que indicavam os limites da Vila, de acordo com tese de Dom Duarte Leopoldo e Silva, confirmada pelo historiador e professor Jurandyr Ferraz de Campos.

Fonte: Comphap (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural, Artístico e Paisagístico de Mogi das Cruzes)