Coronavírus: Estado de São Paulo é reclassificado para a Fase Amarela do Plano São Paulo

O Governo de São Paulo anunciou durante coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira, 30/11/2020, a reclassificação de todo o Estado de São Paulo para a Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo. O Comitê Gestor da Retomada Gradativa das Atividades Econômicas da Prefeitura de Mogi das Cruzes aguarda a publicação do Decreto Estadual, que estabelece a reclassificação e as regras para o funcionamento das mais diversas atividades econômicas.

Aguardamos a publicação do decreto, pois no momento só temos as informações divulgadas no anúncio feito pelo Governo Estadual. Mogi das Cruzes tem respeitado e cumprido as regras estabelecidas pelo Plano São Paulo, entretanto existem especificidades que foram adequadas e readequadas ao longo do tempo na fase amarela. Caso não haja a publicação do decreto nesta terça-feira, publicaremos um decreto de acordo com a interpretação das últimas regras estabelecidas para esta fase”, explicou o responsável pelo Comitê Gestor, Juliano Abe.

Novo mapa, com a 15ª atualização do Plano São Paulo e classificação geral do Estado na fase amarela

A reclassificação de todo o Estado de São Paulo para fase amarela, segundo o Governo Estadual e o Centro de Contingência da Covid-19 de São Paulo, tem como objetivo evitar aglomerações e o contágio do novo coronavírus.

O Comitê ressalta que o uso de máscaras, o fornecimento de álcool em gel por parte dos estabelecimentos comerciais, o distanciamento mínimo de 1,5 m entre cada pessoa e a observância ao protocolo sanitário de cada segmento mantêm-se obrigatórios.

A decisão da Prefeitura de Mogi das Cruzes no mês de novembro, baseada nos dados de evolução epidemiológica, na capacidade de absorção do sistema de saúde e no monitoramento das informações de países europeus e outras cidades brasileiras em manter suspensas as aulas presenciais no sistema público e privado de educação infantil, fundamental e médio, se mostrou acertada. O cenário que vivenciamos hoje, talvez, poderia ter sido evitado, caso o Estado de São Paulo tivesse tido a mesma cautela e precaução adotada pela cidade de Mogi e demais cidades do Alto Tietê.” complementou Abe.

Fase Amarela

A fase amarela do Plano São Paulo não fecha atividades econômicas, mas torna as regras de funcionamento mais rígidas. Estabelecimentos como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público.

O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a dez horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h00. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes