Coronavírus: Governo de SP antecipa férias de 150 mil professores da rede estadual

O Governador João Doria anunciou nesta quinta-feira, 19/03/2020, a antecipação das férias e recesso escolar de 150 mil professores da rede estadual. Além das duas semanas de férias que estavam previstas para o mês de julho, terão início na próxima segunda-feira, 23, as duas semanas de recesso que aconteceriam em abril e outubro, definidas no novo calendário.

A medida ocorre em prevenção ao contágio e à transmissão do vírus e deverá ser publicada no Diário Oficial desta sexta-feira, 20.

Estamos antecipando as férias para 150 mil professores e auxiliares e para os 15 mil profissionais do Centro Paula Souza em todo o Estado. Mais informações serão repassadas aos profissionais pelos diretores de ensino”, afirmou Doria.

Recessos e férias de docentes têm início a partir de segunda-feira, 23, para prevenir o contágio pelo novo coronavírus. Foto: A2 Fotografia/José Luis da Conceição

A Secretaria da Educação já havia autorizado o trabalho remoto para servidores com 60 anos ou mais, gestantes e portadores de doenças respiratórias crônicas, cardiopatias, diabetes não controlada, hipertensão, pessoas em tratamento oncológico, lúpus e HIV que atuem nas escolas, diretorias de ensino e órgãos centrais.

Entre abril e maio, a Secretaria da Fazenda e Planejamento deve efetuar o pagamento das férias para 150 mil professores da rede estadual. Estima-se a destinação de R$ 130 milhões para efetivar o pagamento.

Confira a mudança nas datas

– Recesso escolar (1 semana): de 20 a 24 de abril mudou para 23 a 27 de março

– Recesso escolar (1 semana): de 13 a 16 de outubro mudou para 30 de março a 3 de abril

– Férias escolares (2 semanas): de 9 a 26 de julho mudou para 6 a 20 de abril

Aulas suspensas

Também como medida de segurança, as aulas na rede estadual começaram a ser suspensas gradualmente desde a última segunda-feira, 16/03. As unidades permanecem abertas até esta sexta-feira, 20.

A partir da semana que vem, 100% das aulas ficam suspensas por tempo indeterminado e não haverá atendimento ao público nesse período. Para garantir rotinas administrativas essenciais, como preservação do patrimônio, limpeza, pequenos reparos e gestão de financeira, serão mantidos funcionários e equipe gestora nas escolas.

A Secretaria da Educação estuda parcerias com empresas de tecnologia para disponibilizar conteúdos por meio de ensino a distância durante o período de suspensão. A pasta analisa a questão do fornecimento de merenda para os estudantes mais vulneráveis.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo