Programa Tampinha Solidária continua recebendo arrecadações

O programa Tampinha Solidária, que converte tampas plásticas em ajuda para protetores independentes de cães e gatos da cidade, continua recebendo doações. A ação, que foi lançada em março do ano passado, fechou 2019 com cerca de 13 toneladas de tampas recebidas, 10,2 toneladas de tampas vendidas e 4,3 toneladas de ração compradas e distribuídas para 43 protetores de animais.

Antes de seguirem para a venda, as tampas passam por um processo manual de separação por cor, que é feito em uma sala do Pró-Hiper, por voluntários. O espaço é dotado de duas mesas coletoras e todo o material de higiene e segurança e nele as tampas são armazenadas separadamente, conforme a cor. Esse processo é fundamental pois, disposto assim, o material vale quase três vezes mais na hora da venda.

Com o recurso obtido com a venda, o Fundo Social adquire pacotes de ração para cães e gatos e distribui o alimento entre protetores cadastrados e previamente visitados pelas equipes do órgão. Assim, o projeto ajuda as pessoas que desenvolvem esse trabalho de resgate, proteção e cuidados com cachorros e gatos e, ao mesmo tempo, contribui para a preservação do meio ambiente e o aumento dos índices de reciclagem.

O Tampinha Solidária é uma campanha permanente, portanto as pessoas podem continuar separando e encaminhando ao programa tampas plásticas de produtos

Além da sala de separação, que, aliás, recebeu recentemente a visita da primeira-dama do Estado do São Paulo, o programa Tampinha Solidária também deu origem à feira de adoção, que tem como intuito combater a superlotação de alguns abrigos de cães e gatos de protetores visitados pela equipe do Fundo Social. Entre os meses de setembro e dezembro do ano passado, foram realizadas quatro feiras, sendo duas no Parque Centenário e duas no Varejão, que resultaram na adoção de 21 animais adultos.

Para ajudar o programa, basta separar as tampas plásticas de produtos que podem ser alimentos, condimentos, itens de higiene, cosméticos, canetas e afins. Hoje, há 326 pontos de coleta espalhados pelo município e as projeções para 2020 é que esse número tenha um crescimento da ordem de 30%.

A relação dos pontos é disponibilizada no site da Prefeitura, porém como o aumento é constante e parte da população, quem tiver dúvidas e precisar de orientações sobre onde levar as tampinhas pode ligar no Fundo Social, no telefone 4798-5143.

Também é possível ajudar o programa passando a integrar o grupo de voluntários que trabalha na sala de separação. Atualmente, o espaço funciona às terças, quintas e sextas, das 14h00 às 18h00 e aos sábados, das 9h00 às 13h00. Porém, havendo um aumento no número de voluntários, também será possível ampliar o expediente da sala. A orientação é também entrar em contato com o Fundo Social, para manifestar seu interesse em ajudar.

O Tampinha Solidária é um programa permanente, portanto quanto mais pessoas abraçarem a causa, mais será possível contribuir com os cuidados de cães e gatos da cidade.

Mais informações devem ser obtidas pelo mesmo telefone do Fundo Social, que é o 4798-5143.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes