🏀 Novo Basquete Brasil 2017/2018 – semifinal – jogo 4

Sábado, 12/05/2018, um dia que ficará marcado na história da cidade de Mogi das Cruzes (SP). Diante de um Hugo Ramos completamente lotado, o Mogi/Helbor venceu o Flamengo, por 89 a 72, fechou a série semifinal em 3 a 1 e conquistou a inédita vaga para a Final do NBB CAIXA.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

O dono da festa certamente foi Shamell. Depois de fazer apenas seis pontos na derrota no Jogo 3, o camisa 24 do Mogi estava literalmente impossível e registrou inacreditáveis 40 pontos, com 6/9 nas bolas de 3 pontos (66,7% de aproveitamento), o recorde de sua carreira no NBB CAIXA, de toda a atual temporada e da história das semifinais do NBB CAIXA.

“Hoje vim com uma energia diferente. Antes do jogo falei com os meus ‘neguinhos’ (os filhos Shamell Jr. e Jordan), eles falaram para mim ‘papai, você vai ganhar, acreditamos nisso’. Aí vim com uma energia diferente. Tive energia durante o jogo inteiro, chamando a torcida o tempo inteiro e acho que isso fez a diferença”, disse Shamell.

Shamell, do Mogi e Ramon, do Flamengo. Foto: Luiz Pires/LNB

Xô, fantasma: Foram três participações do Mogi na semifinal do NBB CAIXA, nenhuma com êxito. Ainda por cima, por duas vezes a equipe viveu situação idêntica à atual, em que foi para o Jogo 4 em casa podendo fechar a série para ir à final – uma delas contra o Flamengo, em 2015/2016. De quebra, no Campeonato Paulista 2017, os mogianos tiveram duas chances de fechar a semifinal contra o Paulistano no Hugão, mas falhou em ambas e acabou eliminado. Agora, o “fantasma do Jogo 4” foi devidamente exorcizado.

Classificado às Finais, o Mogi agora aguardará a definição da série semifinal entre Paulistano/Corpore e Sendi/Bauru Basket, empatados em 2 a 2. para conhecer seu adversário. O Jogo 5 entre essas duas equipes será nesta segunda-feira, 14/05, às 19h30, com transmissão ao vivo dos canais SporTV. A série melhor de cinco da decisão começará no sábado, 19/05, às 14h00, ao vivo na Band e no SporTV.

“Não temos que ficar comparando com coisas que aconteceram antes, a não ser se fosse o mesmo time, mesmo técnico. Mas se eu pudesse resumir esse time em uma palavra só eu diria ‘comprometimento’. Todos os jogadores, diretoria, patrocinadores, comissão, todos são muito comprometidos com o time e com certeza isso fez total diferença para irmos à final”, declarou o técnico Guerrinha.

Mesmo diante da atuação antológica de Shamell, o Mogi contou com grandes contribuições do armador Larry Taylor, autor de 12 pontos, oito rebotes, seis assistências e quatro roubos de bola (22 de eficiência). Também com 12 pontos (5/7 nos arremessos de quadra), o “cachorro louco” mogiano Jimmy também foi peça importante, assim como o ala/pivô Fabrício, que saiu do banco e totalizou 11 pontos (3/5 nas bolas de 3).

“Era isso que a gente queria. Desde que cheguei ao Brasil, há seis anos, eu quero isso. Shamell também queria, Larry também, Jimmy, Caio foi o único campeão aqui. Tínhamos uma meta de ganhar a Liga das Américas e o NBB. Fomos vice da Liga das Américas, agora temos chances de ganhar o NBB. Vamos fazer de tudo para dar esse título para essa cidade. Essa cidade tem muito amor pelo basquete, não só nós, mas essa cidade merece muito esse título”, declarou Tyrone.

O adeus de Marcelinho: Com a eliminação do Flamengo, o ídolo Marcelinho Machado fez sua última partida como jogador profissional. O jogador havia anunciado que se aposentaria ao final da temporada e teve sua carreira encerrada na tarde deste sábado, 12/05. Marcelinho se despediu do basquete aos 43 anos com cinco títulos do NBB CAIXA, uma da Liga das Américas e um da Copa Intercontinental.

Com a eliminação nas semifinais, o Flamengo fechou a décima edição do NBB CAIXA na terceira colocação e está garantido na próxima Liga Sul-Americana.

“Foi um jogo muito trabalhado e a diferença não reflete o que foi o jogo. Soubemos no terceiro quarto em diante ir encaminhando a vitória. Com o Fabrício em quadra o time ficou mais leve e isso nos deu vantagem mais uma vez. As coisas foram acontecendo e fomos construindo o placar. O Flamengo foi um adversário duro na série, apesar das diferenças de alguns jogos, não reflete o que foi o jogo em si. Os dois lados brigaram muito para ir à final”, disse o técnico Guerrinha.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios