Mogi inicia vacinação cautelar contra a febre amarela em bairros próximos à serra

Mogi das Cruzes não tem casos de febre amarela, em macacos ou humanos, mas a Prefeitura já está promovendo uma vacinação cautelar. Inicialmente, a vacina está destinada para moradores de 29 locais: Chácara Guanabara, Taboão, Monterey Ville, Jardim Piatã, Novo Horizonte, Jardim Margarida, Aruã Ecopark/Lagos, Aruã, Aruã Brisas, Pedreira Embu, Capelinha, Jardim Aracy, Residencial Itapety, Ponte Grande, Vila Industrial, Mogilar, Rodeio, Condomínio Bella Citá, Vila Suíssa, Condomínio Veredas, Botujuru, Sabaúna, Volta Fria, Condomínio Real Park Tietê, Vila Estação, Jardim Juliana, Jardim São Pedro, Vila Nova Aparecida e Conjunto Jéfferson da Silva. Num segundo momento, outros bairros serão atendidos.

Estas e outras informações sobre a imunização cautelar foram detalhadas nesta manhã de sexta-feira, 24/11/2017, durante a apresentação do Plano Municipal de Contingência para Arboviroses Urbanas e Febre Amarela, realizada no auditório da Prefeitura de Mogi das Cruzes. A medida segue orientações da Secretaria de Estado da Saúde, responsável pelo mapeamento das áreas prioritárias para a imunização e também pelo envio das doses necessárias para o município. “O mais importante é ressaltar que essa medida é preventiva. Mogi das Cruzes não possui casos de febre amarela e nem registros de macacos mortos e a vacinação é uma forma de prevenção“, afirmou o prefeito Marcus Melo.

A situação da febre amarela em todo o Brasil foi mostrada pela coordenadora do Núcleo de Prevenção das Arboviroses, Débora Murakami. Foto: Guilherme Berti/PMMC

A fase inicial, que deve durar até o final deste ano, prevê a imunização de 213 mil pessoas que residem ou trabalham na região que compreende a Serra do Itapeti. O município recebeu nesta semana o lote inicial com 75 mil doses da vacina contra febre amarela e novas remessas devem acontecer semanalmente. “Estamos trabalhando de forma planejada para que o público-alvo seja imunizado com tranquilidade”, explicou o secretário municipal de Saúde, Téo Cusatis. Ele falou no evento após as apresentações da coordenadora do Núcleo de Controle e Prevenção das Arboviroses, Débora Murakami, da chefe de Vigilância Epidemiológica, Lilian Peres Mendes, e do publicitário da Coordenadoria de Comunicação Social, Renato Castrezana. Eles explicaram, respectivamente, a situação do município, estratégia de vacinação e plano para divulgação das ações.

Nesta etapa, 12 unidades de saúde localizadas em áreas estratégicas estão aplicando a vacina. São cinco unidades do Programa Saúde da Família (PSF): Taboão, Chácara Guanabara, Jardim Piatã, Novo Horizonte e Jardim Margarida e sete Unidades Básicas: Jardim Maricá, Ponte Grande, Mineração, Botujuru, Sabaúna, Nova Aparecida e Vila Suíssa. A dose continua disponível também para viajantes de áreas endêmicas ou para quem tem passeio programado para trilhas em matas e serras. Nestes casos, a imunização deve ser feita com pelo menos 10 dias de antecedência. Nesta semana, mais de 3 mil pessoas já foram imunizadas.

A vacina contra a febre amarela é aplicada em dose única, apenas uma vez na vida, mas não pode ser ministrada em crianças menores de 9 meses; pacientes com imunodepressão; pacientes com câncer; pacientes infectados com HIV; pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores) e gestantes.

A febre amarela é uma doença infecciosa aguda causada por picada de mosquitos infectados com o vírus. A febre amarela não é contagiosa e não pode ser transmitida de pessoa para pessoa e nem de macaco para seres humanos. Na prática, o vírus da febre amarela possui dois ciclos básicos: urbano e silvestre. No silvestre, a transmissão envolve principalmente os macacos e algumas espécies de mosquitos transmissores. Em área urbana, as principais medidas de prevenção para humanos recomendadas pelo Ministério da Saúde incluem a vacinação de pessoas que vivem ou pretendem viajar para áreas de risco e o controle da proliferação dos mosquitos vetores, como o Aedes aegypti.

Desde o início do mês, o Núcleo de Prevenção e Controle de Arboviroses já realiza uma ação de orientação aos moradores que vivem no limite do município com Santa Isabel e Arujá. O trabalho começou com a distribuição de panfletos alertando sobre a importância de acionar uma equipe técnica caso sejam encontrados macacos mortos ou doentes naquela região. Os macacos também são vítimas da febre amarela, não transmitindo a doença para os seres humanos, mas servindo como alerta para a presença do vírus.

Em qualquer parte da cidade, a orientação é a mesma: ao encontrar um macaco morto ou doente, o cidadão deve acionar imediatamente uma equipe técnica. De segunda a sexta-feira, das 8h00 às 17h00, basta ligar para o Núcleo de Prevenção e Controle de Arboviroses no telefone 4794-4343 e, após as 17h00 e nos finais de semana e feriados, o número é 153.

Postos da Vacinação Cautelar:

5 PSFs: Taboão, Chácara Guanabara, Jardim Piatã, Novo Horizonte e Jd. Margarida
7 UBSs: Jd. Maricá, Ponte Grande, Mineração, Botujuru, Sabaúna, Nova Aparecida e Vila Suíssa

Postos de Vacinação para Viajantes:

2ª feira: Ponte Grande
3ª feira: UBS Jardim Camila
4ª feira: PA Jundiapeba
5ª feira: UBS Alto Ipiranga
6ª feira: Vila Suíssa

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Anúncios

escrever comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s