🏀 Novo Basquete Brasil 2016/2017 – rodada 5 (partida remarcada)

Poucos imaginariam tanta emoção em um duelo entre o quarto colocado e o vice-lanterna. Mas quando se trata de NBB CAIXA, tudo pode acontecer. Com direito a prorrogação, o 14º colocado Macaé Basquete bateu o atual campeão sul-americano Mogi das Cruzes/Helbor, em pleno Ginásio “Hugo Ramos”, nesta quinta-feira, 19/01/2017, por 75 a 69, e começou a sonhar com playoffs.

Com a expressiva vitória no Hugão, o Macaé chegou ao seu terceiro triunfo no NBB CAIXA (21,3% de aproveitamento) e ficou a dois resultados positivos da zona de classificação aos playoffs. Por sua vez, o Mogi não só saiu do G-4 como ainda caiu para a oitava colocação, agora com campanha de sete êxitos em 13 oportunidades (53,9% de aproveitamento).

Os macaenses contaram com ótimo desempenho coletivo para sair do Hugão com o resultado positivo e teve quatro atletas pontuando em dígitos duplos: os alas Rafa Moreira, com 19, sendo 14 deles só no primeiro tempo, e Scheider, com 17 tentos, o armador norte-americano Kendall Anthony, autor de 15 pontos e inusitados dez rebotes (primeiro duplo-duplo no NBB CAIXA), e o pivô Erick Camilo, que deixou a quadra com 11 pontos.

NBB 2016/2017
Guerrinha e equipe do Mogi. Foto: Antonio Penedo/ Mogi-Helbor

“Seria muito injusto não sair com a vitória daqui, dominamos o jogo todo. O time teve a maturidade para fechar a partida, o que não vinha acontecendo. Tenho muito orgulho em liderar esse grupo de homens. Falei com eles, só tem um caminho para a gente. A defesa é o nosso carro-chefe e isso não vinha acontecendo durante a competição. Tomar 69 pontos aqui em Mogi e depois da prorrogação, temos que enaltecer o esforço”, comemorou Léo Costa.

“Não é cedo para pensar em playoffs, sempre foi o objetivo. Agora encontramos o caminho. Claro que cada jogo tem uma história. Tivemos uma reunião muito dura entre a gente antes de vir para cá. Quando está todo mundo com o mesmo propósito, todo mundo cresce junto”, completou o treinador do Macaé.

Pelo lado mogiano, o destaque ficou por conta da dupla norte-americana Shamell e Tyrone, responsável por 42 dos 69 pontos da equipe do Alto Tietê no confronto, o que representa (60,8%). Além deles, Caio Torres deixou a quadra com um duplo-duplo de 11 pontos e 11 rebotes.

“Temos potencial para jogar mais e em uma semana ninguém desaprende a jogar basquete. A derrota do Flamengo da forma que foi, o time sentiu muito. Mas por um lado é bom quando a equipe sente que não foi bem. O momento nosso não é bom. Uma derrota nos tirou dos trilhos, mas agora temos que ter humildade, capacidade, trabalhar bastante e refletir mais”, avaliou o técnico Guerrinha.

Até a semana passada o Mogi não havia perdido nenhuma partida dentro do Ginásio Hugo Ramos. Eram 18 vitórias em 18 confrontos. Mas agora, o “caldeirão” foi esfriado. Depois do duro revés para o Flamengo no início da semana, a equipe do técnico Guerrinha sofreu sua segunda derrota seguida em casa, algo inédito em 2016/2017.

“Não temos nenhum problema. O grupo é muito unido, mas a coisa quando não acontece, a expectativa de todos e nossa é muito grande. Agora não podemos levar as coisas ruins. Temos que absorver o golpe, a derrota vai ficar e atrapalhar a classificação, mas temos que reagir rapidamente, porque temos outro jogo decisivo domingo, com uma equipe com potencial maior que Macaé”, completou o comandante do Mogi.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios