Novo Basquete Brasil 2015/2016 – Rodada 28

O Mogi das Cruzes/Helbor está cada vez mais perto do G-4 da temporada 2015/2016 do NBB CAIXA. Nesta quarta-feira (23/03/2016), no Ginásio Hugo Ramos, a equipe do técnico Danilo Padovani levou a melhor sobre o Macaé Basquete, pelo placar de 88 a 79, e subiu da sexta para a quinta posição na tabela de classificação, o que o deixou ainda mais próximo do grupo dos quatro primeiros.

Para sair de quadra com mais um resultado positivo no NBB CAIXA, o Mogi contou com grandes atuações de seus pivôs Lucas Mariano e Gerson. O primeiro foi o cestinha da partida, com 18 pontos, e ainda pegou seis rebotes e totalizou 21 de eficiência. Já o segundo saiu do banco de reservas para anotar um duplo-duplo de 15 pontos e 11 rebotes e deixar a quadra com 21 de valorização.

Com o resultado, o time mogiano chegou ao seu 17º triunfo em 25 partidas (68% de aproveitamento) e subiu da sexta para a quinta colocação. Isso aconteceu devido à vitória do EC Pinheiros sobre o então quarto colocado Solar Cearense, que com o resultado perdeu seu lugar no G-4 para o UniCEUB/Cartão BRB/Brasília e caiu para o sexto lugar. Já o Macaé segue na última posição, com cinco vitórias em 26 jogos, e saiu definitivamente da briga pelos playoffs.

O objetivo primeiro era ganhar o jogo, mas a gente foi controlando e viu que dava para dar oportunidade para o banco crescer e ter uma confiança maior, até porque teremos um jogo duríssimo contra o Flamengo. O nosso outro objetivo era explorar bem dentro do garrafão, por mais que tenhamos errado, acredito que conseguimos uma pontuação grande dentro”, disse o técnico do Mogi, Danilo Padovani.

NBB 2015/2016
Larry, do Mogi, e Pedrinho, do Macaé. Foto: Antonio Penedo/ Mogi-Helbor

Pelo lado do Macaé, o destaque ficou por conta de seu quinteto “titular”. Tirando o ala Eddy, que desta vez iniciou a partida no banco e marcou 12 pontos, outros três titulares ultrapassaram os dígitos duplos na pontuação: Márcio (15), André Góes (11) e Mosso (11). Já o armador Pedrinho Rava deixou a quadra com oito assistências e nove pontos, mesma marca do garoto Diego.

Números comprovam: O jogo de garrafão certamente fez a diferença para o Mogi. Com uma maior rotatividade em seu banco de reservas em relação ao adversário, o time da casa acertou 28 bolas de 2 pontos na partida, enquanto que o Macaé fez apenas 14. Nos rebotes, os mogianos apanharam 37, sendo 12 ofensivos, contra 32 dos visitantes.  Intenso na defesa, os comandados do técnico Danilo Padovani roubaram seis bolas a mais que o Macaé (14 contra 8), e forçaram o adversário a cometer 17 desperdícios de bola, enquanto cometeu apenas nove.

A gente tentou explorar bastante dentro do garrafão, com o Lucão, Paulão, Tyrone quando entrava e o Wagnão. Deu certo. As bolas caíram. Foi bom para a galera que veio assistir, colocamos intensidade no jogo e conseguimos dar show de vez em quando. Foi bacana para quem veio com essa chuva”, comentou Gerson, do Mogi.

Depois de bater o Macaé e se recuperar do revés sofrido para o Paulistano/Corpore na última rodada, o Mogi das Cruzes terá como próximo adversário ninguém menos que o líder Flamengo, nesta sexta-feira, 25/03, novamente no Hugão, às 11h00, com transmissão ao vivo dos canais SporTV. No mesmo dia, às 18h00, os macaenses duelarão contra o São José Basketball, no Ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos, com transmissão ao vivo do #NBBnaWeb.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios