Novo Basquete Brasil 2015/2016 – Rodada 18

A história do confronto desta quarta-feira (27/01/2016) entre Banrisul/Caxias do Sul Basquete e Mogi das Cruzes/Helbor, realizado no Ginásio Vasco da Gama, na serra gaúcha, teve capítulos distintos em seu enredo, mas no final, o desfecho foi favorável aos mogianos. Após primeiro tempo de altos e baixos, o time do técnico Danilo Padovani foi superior no último quarto, bateu os caxienses, pelo placar de 89 a 81, e voltou a sonhar com o G-4 do NBB.

Depois de perder seu lugar entre os quatro primeiros colocados e ainda cair para a sexta posição, o Mogi chegou ao seu nono triunfo em 15 jogos (60% de aproveitamento) e se manteve na mesma colocação, só que agora mais próximo do quinto colocado Solar Cearense, que tem campanha de dez êxitos em 16 oportunidades (62,5% de aproveitamento). Já o Caxias segue na última colocação, com quatro vitórias em 17 jogos.

Muito da vitória mogiana se deve ao ala/pivô Lucas Mariano. Vindo do banco, o camisa 28 chamou a responsabilidade no último quarto, acertou três bolas de 3 pontos em três tentativas (100% de aproveitamento), registrou 12 pontos só na parcial final e liderou o esquadrão paulista nos últimos dez minutos, momento em que a equipe decretou seu resultado positivo em solo gaúcho. No final, Lucas terminou o duelo como cestinha do Mogi, com 18 pontos, além de sete rebotes e 20 de eficiência. Mas não é só Lucas Mariano que merece destaque no êxito mogiano. Além do jovem ala/pivô, outros três atletas registraram dígitos duplos na pontuação: o pivô Paulão Prestes, autor de 16 pontos, sendo 14 deles só no segundo quarto, o ala Filipin, também com 16, e o ala norte-americano Shamell, responsável por 13 tentos.

Começamos mal o jogo, assim como contra o Brasília, e isso não pode acontecer. No segundo quarto foi o contrário. Fizemos um período muito bom, tanto no ataque quanto na defesa. No terceiro quarto permitimos que eles voltassem para o jogo e pontuassem bastante. Mas voltamos melhor para o último quarto e conseguimos vencer, mas não podemos jogar assim. O importante foi sair com a vitória, mas temos muito que melhorar, tanto na defesa como no ataque”, disse o pivô Paulão, do Mogi.

Paulão, do Mogi, e Marcão, do Caxias. Foto: Marcus Bueno/ Caxias Basquete
Paulão, do Mogi, e Marcão, do Caxias. Foto: Marcus Bueno/ Caxias Basquete

É uma vitória importante depois da derrota para o Brasília. A gente precisa de vitórias para voltar a pensar lá em cima na tabela. Mas não foi um bom jogo, tomamos 81 pontos de um time que tem média de 66. Agora é focar e descansar para pegar o Pinheiros sexta”, declarou o técnico do Mogi, Danilo Padovani.

Início dividido: No primeiro tempo do duelo cada equipe dominou um período. O Caxias foi melhor nos dez minutos iniciais, chegou a ter 13 pontos de frente (20 a 7) e ganhou o primeiro quarto por 20 a 9. Depois, o Mogi reagiu de maneira arrasadora, ganhou a segunda etapa por 28 a 11 e não só virou como ainda abriu seis tentos de vantagem (37 a 31), com direito a 14 pontos do pivô Paulão Prestes na parcial.

Após fechar o terceiro quarto vencendo por um ponto (58 a 57), o esquadrão do Alto Tietê foi amplamente superior na etapa final. Com Lucas Mariano fervendo nas bolas de 3 pontos – foram três acertos em três tentativas – a equipe do técnico Danilo Padovani jogou a diferença para a casa dos dez pontos rapidamente, controlou o resultado até o final e saiu do Ginásio Vasco da Gama com uma importante vitória.

Após se recuperar da derrota para o UniCEUB/Cartão BRB/Brasília, o Mogi seguirá sua jornada de partidas fora de casa e medirá forças com o EC Pinheiros, nesta sexta-feira, 29/01, no Ginásio Poliesportivo Henrique Villaboim, na capital paulista, às 19h30. No mesmo dia, às 20h05, o Caxias do Sul receberá o São José Basketball, no Ginásio Vasco da Gama, na serra gaúcha.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios