Novo Basquete Brasil 2015/2016 – Rodada 8 (partida remarcada)

O UniCEUB/Cartão BRB/Brasília está mais firme do que nunca no G-4 da temporada 2015/2016 do NBB. Nesta sexta-feira (22/01/2016), em partida remarcada válida pela 8ª rodada da competição, a equipe da capital do país fez um primeiro tempo arrasador, segurou a reação do Mogi das Cruzes/Helbor no terceiro quarto e venceu o confronto direto contra o Mogi das Cruzes/Helbor, no cheio Ginásio da ASCEB, em Brasília (DF), por 91 a 79.

Mais uma vez os brasilienses usaram da inspiração do experiente Giovannoni e do jovem Deryk para vencer no NBB. Desta vez, o ala/pivô de 35 anos foi o cestinha da partida, com 24 pontos, 15 deles no primeiro tempo, além de ter pegado sete rebotes e totalizado 30 de eficiência. Com isso, Guilherme acumulou sua oitava exibição com 20 ou mais pontos desta edição da competição. Já o jovem e promissor atleta registrou 20 ou mais pontos pela quarta vez consecutiva neste NBB e deixou a quadra com exatos 20 tentos, sendo 16 deles no segundo tempo.

Com mais este belo triunfo, o Brasília manteve sua invencibilidade em 2016 e agora soma seis vitórias nas seis partidas que fez desde o fim das festas. No total, os comandados do técnico Bruno Savignani têm dez triunfos em 15 partidas (66,6% de aproveitamento) e se firmou dentro do G-4, na quarta colocação. Já o Mogi caiu uma posição com a derrota e agora está em sexto, com oito êxitos em 14 oportunidades (57,1% de aproveitamento).

O time da casa iniciou a partida com tudo e abrindo logo 8 a 0. Com muita intensidade na defesa, os candangos sofreram sua primeira cesta apenas com cinco minutos de bola em jogo. Depois, a diferença chegou a ser de 13 pontos (16 a 3) e o primeiro quarto terminou com placar de 21 a 10 para o esquadrão do Planalto Central.

Danilo Padovani e equipe do Mogi. Foto: Brito Júnior/ UniCEUB
Danilo Padovani e equipe do Mogi. Foto: Brito Júnior/ UniCEUB

No segundo período, o Brasília seguiu com o ritmo lá em cima e não parou de ampliar sua vantagem, que chegou a ser de 22 pontos (42 a 20). Depois de boa reação nos momentos finais da parcial, o Mogi conseguiu uma ligeira melhora no cenário e foi para o vestiário com 17 pontos atrás, placar de 47 a 30.

Pelo lado do agora sexto colocado Mogi, cinco atletas deixaram a quadra com dígitos duplos na pontuação. São eles: Shamell (16), Tyrone (13), Filipin (11), Lucas Mariano (10) e Larry (11), que ainda pegou cinco rebotes, deu seis assistências, roubou duas bolas e foi o jogador mais eficiente do time do Alto Tietê, com 17 de valorização.

A nossa equipe tem média de 76 pontos sofridos por partida, então tomar 91 de Brasília é mérito do ataque deles, que tiveram um aproveitamento muito bom. A nossa defesa também não fez o que está acostumada a fazer, ser mais agressiva e pressionar mais a bola. O Brasília tão podia ter ficado tão à vontade como ficou no começo do jogo”, comentou o técnico do Mogi, Danilo Padovani.

O primeiro quarto foi horrível. Acho que aí foi o resultado do jogo. Os outros quartos foram equilibrados. Nosso time tem muita qualidade e não mostrou isso. A defesa não estava encaixada e isso pesou muito. Foi um erro nosso e temos que assumir isso. O jogo agora acabou, então vamos pensar no próximo”, declarou o capitão e ala do Mogi, Guilherme Filipin.

Agora com seis vitórias seguidas na conta, o time da capital do Brasil não terá muito tempo de comemorar, pois já neste domingo, 24/01, enfrentará o São José Basketball, novamente no Ginásio da ASCEB, em Brasília, às 17h00. Por sua vez, o Mogi entrará em quadra na próxima quarta-feira, 27/01, diante do Banrisul/Caxias do Sul Basquete, fora de casa, no Ginásio Vasco da Gama, na serra gaúcha, às 20h05.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios