Novo Basquete Brasil 2015/2016 – Rodada 12

Depois de ver sua invencibilidade acabar com a derrota para o São José Basketball, o Paulistano/Corpore não deixou a peteca cair e retomou o rumo das vitórias no NBB. Nesta quinta-feira (17/12/2015), ao lado de sua torcida no Ginásio Antonio Prado Jr, o time do técnico Gustavo De Conti levou a melhor sobre o Mogi das Cruzes/Helbor, por 84 a 75, e voltou a sorrir no maior campeonato do basquete nacional.

A força do plantel alvirrubro foi mostrada com a forte rotação promovida pelo técnico Gustavo De Conti, o que ajudou a equipe da casa a manter o ritmo forte durante todo o confronto. Ao todo, o banco de reservas do Paulistano fez 28 pontos, o dobro do que fizeram os suplentes do Mogi.

Vínhamos de um jogo muito ruim contra o São José, uma derrota que ficou engasgada em um dia em que jogamos muito mal. Conversamos sobre isso e combinamos que hoje precisávamos mostrar tudo que não mostramos naquele jogo, que era o esforço físico, defesa forte, contra ataques, e conseguimos. Jogamos com inteligência, corremos bem e soubemos explorar os pontos fracos da defesa do Mogi”, analisou Valtinho.

Fizeram falta: O Mogi entrou em quadra desfalcado de duas importantes peças: o pivô Paulão Prestes, que se recupera de uma lesão no joelho, e o armador Elinho, que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito e está de fora do restante da temporada.

Dawkins, do Paulistano, e Larry, do Mogi. Foto: delima/ dubem
Dawkins, do Paulistano, e Larry, do Mogi. Foto: delima/ dubem

Pelo lado do Mogi, quem ditou o ritmo foram os gringos. Os norte-americanos Tyrone e Shamell combinaram para 41 pontos, com respectivos 21 e 20 pontos. Somados ao armador Larry Taylor, estadunidense naturalizado brasileiro, autor de 13 pontos, os estrangeiros do elenco mogiano totalizaram 54 pontos – 72% da pontuação do time.

Tomamos muitos pontos. No segundo quarto tomamos 24, isso não pode. A defesa até foi boa no terceiro quarto, mas não conseguimos manter. Tentamos marcar com mais agressividade, mas estouramos as faltas muito rápido no último quarto e eles (Paulistano) estavam chutando lances livres com sete minutos, assim fica difícil”, lamentou Shamell.

Mas eu gostei da postura da equipe. Era um jogo difícil contra um time muito bom. Agora temos dois jogos fora de casa pra fechar o ano de 2015 e vamos nos unir ainda mais para conseguir essas duas vitórias”, completou o camisa 24 mogiano.

Depois de vencer o Mogi, o Paulistano terá como próximo adversário ninguém menos que o líder Paschoalotto/Bauru, neste sábado, 19/12, novamente no Ginásio Antonio Prado Jr, em São Paulo, às 17h30, com transmissão ao vivo da RedeTV!. No dia seguinte, 20/12, o Mogi vai ao Estado do Rio de Janeiro enfrentar o Macaé Basquete, no Ginásio Juquinha, às 19h00.

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios