Prefeito apresenta ‘Plano de Contingência de Água’ e anuncia medidas para a crise hídrica

O prefeito Marco Bertaiolli apresentou nesta sexta-feira (06/02/2015), no gabinete, o Plano de Contingência de Água, nomeou um Gabinete de Crise e anunciou um conjunto de medidas, com investimento total de R$ 21,7 milhões, para que Mogi das Cruzes enfrente a crise hídrica. Ao lado do diretor-geral do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae), Marcus Melo, o prefeito foi claro ao afirmar que a situação do abastecimento de água tende a se agravar com o passar deste ano, mas salientou que a Prefeitura e o Semae tomarão todas as medidas necessárias para que a cidade não altere sua rotina de trabalho e desenvolvimento. A meta de Mogi das Cruzes é reduzir o consumo de água em 30% no mês de fevereiro.

Veja aqui o Plano de Contingência

A crise hídrica é resultado de uma somatória de fatores, todos eles alheios ao controle do município. O Semae não é responsável pela preservação de água, ele faz apenas a captação e o tratamento para o consumo da população. Temos um órgão federal, a Agência Nacional de Águas (ANA), e outro estadual, o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), que são responsáveis pela gestão das águas. Há alguns anos existem indícios de que o abastecimento de água apresentava problemas e agora, quando a situação se agrava, caberá às cidades responderem a uma demanda que não foi criada por elas. Mas nós não vamos cruzar os braços, pelo contrário, estamos adotando uma série de medidas para enfrentar a crise e precisamos do apoio de toda a sociedade”, disse Bertaiolli, ao lado do vice-prefeito José Antonio Cuco Pereira e do presidente da Câmara, Antonio Lino, que também participaram do evento.

plano-economia-de-agua
A autarquia intensificará a campanha de conscientização da população para que economize 30% de água em fevereiro. Foto: Ney Sarmento/ PMMC

O decreto municipal nº 14.779/2015, assinado pelo prefeito, nomeia o Gabinete de Crise, sob a presidência do diretor-geral do Semae, Marcus Melo, com a incumbência de mapear, aglutinar dados, avaliar, organizar e propor medidas que visem economizar e usar racionalmente a água. Integram o grupo ainda o diretor-adjunto do Semae, Dirceu Lorena de Meira; o diretor técnico Paulo Beono Jr.; a diretora de Operações do Sistema de Água, Milena Forte; o diretor de Operações do Sistema de Esgoto, Odokar Douglas Magalhães; o diretor administrativo Robson dos Santos; o diretor Comercial, José Luiz Furtado, e o chefe da Divisão de Projetos, Gelindo Roque.

O Gabinete de Crise elaborou o Plano de Contingência, com ações voltadas ao uso racional e à redução das consequências da crise de fornecimento de água para a população de Mogi das Cruzes. O plano estabelece uma série de medidas que já estão sendo colocadas em prática e, de acordo com Bertaiolli, serão aplicadas em fevereiro – podendo ser ajustadas a partir de março, conforme o andamento da situação do abastecimento de água.

Plano de Contingência em detalhes

A primeira medida será dobrar a frota de carros-pipa do Semae, que passarão se 7 para 14. As equipes de rua também serão aumentadas. Além disso, será adotada uma nova política de abastecimento industrial, pela qual as empresas da cidade poderão utilizar gratuitamente água de reuso produzida pelo Semae, na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Cezar de Souza, desde que comprovem a redução do uso de água tratada. A terceira medida é o incentivo ao uso de cisternas pela população, como caixas de água e reservatórios nos quintais.

O Semae cadastrou 127 poços particulares na cidade, sendo 66 empresas e indústrias, 15 em entidades públicas ou privadas, 29 em comércios e outros 17 em condomínios, loteamentos e particulares. Na apresentação, o prefeito informou que os proprietários serão informados que, em caso de agravamento da crise, a Administração Municipal poderá requisitar os poços para abastecimento de emergência – conectando a água dos poços na rede ou em sistemas alternativos de abastecimento.

A autarquia possui atualmente sete poços artesianos em funcionamento, que estão em operação no Parque São Martinho, Jardim Nove de Julho, dois no bairro do Boa Vista (Biritiba Ussu), um no Barroso, um em Biritiba Ussu e outro em Varinhas. O Semae vai perfurar mais 10 poços artesianos para ampliar este sistema – sendo dois em Jundiapeba, dois em Braz Cubas, dois na região Central, um na Vila Natal, um no Mogilar, um no Botujuru e um em Cezar de Souza. Além disso, a autarquia também incentivará condomínios e empreendimentos habitacionais a perfurarem poços – um exemplo são os edifícios Azaléia e Orquídea, na Vila Pomar, que contam com um poço artesiano profundo e uma bomba para a retirada da água.

Paralelamente, a autarquia intensificará a campanha de conscientização da população para que economize 30% de água em fevereiro. Para isso, um jornal específico sobre o tema será distribuído a todas as 129 ligações da cidade, com dicas e orientações aos cidadãos. Um jogo educativo será distribuído em toda a rede municipal de ensino, para que as crianças tenham desde cedo um aprendizado sobre o tema.

Bertaiolli lembrou que a crise hídrica pode se agravar, mas as medidas previstas no Plano de Contingência são capazes de garantir o abastecimento aos mogianos caso a situação torne-se mais difícil: “Mogi das Cruzes não vai parar por causa dessa crise hídrica. Estamos trabalhando e vamos acompanhar o andamento da situação, estudando e adotando novas medidas caso seja necessário”, finalizou. A Prefeitura criou ainda um Comitê Gestor do Plano de Contingência, formado pelos secretários municipais Eli Nepomuceno (Segurança), Maria Aparecida Cervan Vidal (Educação), Marcello Cusatis (Saúde) e André Saraiva (Verde e Meio Ambiente), responsável por acompanhar as ações e desdobramentos do plano.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Anúncios