Novo Basquete Brasil 2014/2015 – Rodada 7 (partida remarcada)

Depois de três derrotas seguidas em pleno “Hugo Ramos”, o Mogi das Cruzes/Helbor enfim pôde respirar aliviado. Nesta quarta-feira (14/01/2015), em duelo adiado da sétima rodada do NBB 7, os comandados do técnico Paco García superaram o Basquete Cearense, fora de casa, no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza, pelo placar de 91 a 80, e retomaram o rumo das vitórias no campeonato nacional.

Para acabar com o incômodo jejum de resultados positivos no NBB, os mogianos tiveram que segurar uma verdadeira pressão dos donos da casa, que após entrarem no último quarto com 18 pontos atrás, foram para o tudo ou nada nos momentos finais e chegaram a reduzir a diferença para quatro pontos. Mas a equipe paulista mostrou frieza para segurar a pressão e conquistar o belo êxito em solo nordestino.

Outro fator fundamental para o oitavo triunfo do Mogi em 14 partidas no NBB 7 (57,1% de aproveitamento) foi o bom e eficiente jogo coletivo. Seis jogadores da equipe atual vice-campeã sul-americana registraram dez pontos ou mais na partida: Tyrone (20), Shamell (14), Jimmy (12), Elinho (11), Thomas Gehrke (10) e Gerson (10), que ainda pegou dez rebotes e totalizou um duplo-duplo, seu quarto no campeonato.

NBB 2014/2015
Tyrone, do Mogi. Foto: LC Moreira/ Divulgação

A vitória em solo nordestino fez com que os mogianos assumissem momentaneamente a sétima posição, posto que antes pertencia ao atual vice-campeão do NBB, Paulistano/Unimed.

Apesar de ter sua sequência de duas vitórias seguidas quebrada, o Basquete Cearense continua na 13ª colocação, com campanha de quatro triunfos em 15 jogos (26,7% de aproveitamento), a mesma do Unitri/Pilhas Energizer, que perde no desempate por ter sido derrotado no confronto direto, inclusive realizado na última segunda-feira, por 80 a 62.

O grande destaque da equipe nordestina ficou por conta do ala/pivô Andrezão, que deixou a quadra com um duplo-duplo de 22 pontos e 11 rebotes (igualando sua maior marca de rebotes no NBB), além de duas bolas roubadas e expressivos 26 de eficiência. Quem também se sobressaiu foi o ala norte-americano Rashaun, figura fundamental na reação cearense no fim, autor de 12 pontos no último quarto, 15 no total.

O jogo

O primeiro quarto foi bem equilibrado, bem como era de se esperar, no entanto, bastante aberto. Apostando somente no jogo interno, sem tiros de fora, o Basquete Cearense foi melhor no início e chegou a abrir 14 a 8. Mais eclético e com belo aproveitamento nas bolas de 3 pontos, o Mogi passou à frente nos últimos minutos, mas Fernando Fischer converteu um belo arremesso triplo nos segundos finais que deixou os donos da casa em vantagem ao final da terceira etapa, por 27 a 26.

O nível da partida seguiu alto na segunda etapa. Os comandados de Alberto Bial conseguiram se segurar na ponta do placar até a metade do período (34 a 32), quando o Mogi emplacou uma corrida de 6 a 0 e recuperaram a frente no marcador (38 a 34). Aproveitando bem os contra ataques resultados por sua boa defesa, os mogianos ampliaram sua vantagem para nove pontos (48 a 39). Com 13 pontos em 13 tentados no segundo quarto, o ala/pivô Andrezão teve ótima sequência nos momentos finais e ajudou o Basquete Cearense a ir para os vestiários perdendo por apenas três pontos: 50 a 47.

Mas foi no terceiro quarto que o Mogi decretou sua vitória. Com defesa fulminante, a equipe do técnico Paco García colocou os nordestinos “na roda” no período e sua forte marcação provocou uma série de erros da equipe da casa, que pouco conseguiu fazer com o altíssimo ritmo apresentado pelos mogianos. Desta forma, o clube do Estado de São Paulo venceu o terceiro quarto por 24 a 9 e caminhou para a etapa final com 18 pontos de frente: 74 a 56.

Depois do “apagão” sofrido no terceiro quarto, o Basquete Cearense foi com tudo pra cima dos mogianos na parcial final, que teve clima de “tudo ou nada”. Sob o comando do ala norte-americano Rashaun, a equipe da Região Nordeste chegou a reduzir a diferença para quatro pontos (81 a 77), literalmente incendiando uma partida que parecia definida ao final do terceiro período.

Antes de entrar no minuto final, a vantagem do Mogi era de cinco pontos (85 a 80), mas o Basquete Cearense pecou nas bolas de 3 pontos arremessadas para reduzir a diferença, duas vezes com Andrezão, e possibilitou que os visitantes pudessem ampliar novamente sua diferença. Precisos nos lances livres, os mogianos cravaram seu importante triunfo que colocou um ponto final ao jejum de três partidas sem vitórias no NBB 7.

Depois de pôr fim ao jejum de vitórias no NBB 7, o Mogi volta à quadra já nesta sexta-feira (16/01), diante do UniCEUB/BRB/Brasília, fora de casa, no Ginásio da ASCEB, no Distrito Federal, às 19h30, com transmissão ao vivo do SporTV.

Próxima Rodada:

16/01/2015 (sexta-feira) às 19h30
Brasília x Mogi das Cruzes (partida remarcada da 8ª rodada, com transmissão ao vivo do SporTV)
Ginásio da ASCEB – Distrito Federal

Fonte: Liga Nacional de Basquete

Anúncios