Agenda Cultural: 24 a 26 de Outubro/2014

Confira a Agenda Cultural deste fim de semana em Mogi das Cruzes:

24/10 – SEXTA-FEIRA

Das 10h00 às 16h00 (Praça Oswaldo Cruz)
Evento: Feira de Artesanato ‘Mogi feita à Mão’
GRATUITO 🙂
Recomendação: Livre
Além de atrações musicais do projeto Arte na Praça, cerca de 60 artesãos expõem seus trabalhos em madeira, tecido, fibras, contas e miçangas, biscuit, arames, papel, cosméticos, linhas e lãs, bambu, PVC, EVA, cabaça, entre outros materiais.

20h00 (Theatro Vasques)
Evento: Espetáculo de Dança Contemporânea ‘Cicatriz’ (Magesto Cia. de Dança)
Ingressos: GRATUITO 🙂
Recomendação: Livre
Duração: Não Informada
Sem o acolhimento da nossa casa e sem as memórias da qual ela é a primeira fonte, seríamos seres desenraizados; seres sem imaginação porque sem história, e sem história porque sem memória.
Utilizando-se do que não está presente, mas subentendido em suas memórias, as intérpretes provocam uma fissura na frágil realidade em que se encontram e o que era um ambiente familiar e aconchegante acaba tornando-se um “território-surpresa”, de dupla face, onde se estabelece um jogo entre o comum e o estranho, a rotina prosaica e a inesperada ruptura das convenções, tornando-se um mundo sonâmbulo, sem diferenças nítidas entre vida e morte, vigília e sono, realidade e fantasia.
A trilha composta por versões de grandes nomes da música internacional combina uma gama de efeitos, timbres, cadências, ruídos e samplers na construção de uma intrigante babel sonora, que vai do blues tradicional ao rock pesado embalando essa narrativa atemporal através de nossa memória musical ao âmago de uma história repleta de imagens dúbias e cenas que vão e voltam.
As polaridades vistas na cena geram tensões em relação ao espaço apresentado, a casa se transforma no centro de referência de suas habitantes, ela se personifica, ganha vida e define as ações das personagens capturando suas melancolias, seus tormentos e paixões, permitindo um mergulho fundo nos labirintos sombrios presentes na alma humana.

25/10 – SÁBADO

Das 10h00 às 16h00 (Praça Oswaldo Cruz)
Espetáculo: Feira de Artesanato ‘Mogi feita à Mão’
GRATUITO 🙂
Recomendação: Livre
Além de atrações musicais do projeto Arte na Praça, cerca de 60 artesãos expõem seus trabalhos em madeira, tecido, fibras, contas e miçangas, biscuit, arames, papel, cosméticos, linhas e lãs, bambu, PVC, EVA, cabaça, entre outros materiais.

20h00 (Theatro Vasques)
Evento: Espetáculo de Dança Contemporânea ‘Cicatriz’ (Magesto Cia. de Dança)
Ingressos: GRATUITO 🙂
Recomendação: Livre
Duração: Não Informada
Sem o acolhimento da nossa casa e sem as memórias da qual ela é a primeira fonte, seríamos seres desenraizados; seres sem imaginação porque sem história, e sem história porque sem memória.
Utilizando-se do que não está presente, mas subentendido em suas memórias, as intérpretes provocam uma fissura na frágil realidade em que se encontram e o que era um ambiente familiar e aconchegante acaba tornando-se um “território-surpresa”, de dupla face, onde se estabelece um jogo entre o comum e o estranho, a rotina prosaica e a inesperada ruptura das convenções, tornando-se um mundo sonâmbulo, sem diferenças nítidas entre vida e morte, vigília e sono, realidade e fantasia.
A trilha composta por versões de grandes nomes da música internacional combina uma gama de efeitos, timbres, cadências, ruídos e samplers na construção de uma intrigante babel sonora, que vai do blues tradicional ao rock pesado embalando essa narrativa atemporal através de nossa memória musical ao âmago de uma história repleta de imagens dúbias e cenas que vão e voltam.
As polaridades vistas na cena geram tensões em relação ao espaço apresentado, a casa se transforma no centro de referência de suas habitantes, ela se personifica, ganha vida e define as ações das personagens capturando suas melancolias, seus tormentos e paixões, permitindo um mergulho fundo nos labirintos sombrios presentes na alma humana.

26/10 – DOMINGO

Das 9h00 às 17h00 (Casarão do Chá)
Evento: Feira de Artesanato
GRATUITO 🙂
Recomendação: Livre
Artesanatos, comidas (lanche de pernil, pernil de porco assado no rolete, espetinhos de carne e de frango, comida árabe, galinhada, paella, entre outros) e produtos típicos.

Casarão do Chá. Foto: Guilherme Berti
Casarão do Chá. Foto: Guilherme Berti

10h00 (Parque Centenário)
Evento: City Tour ‘Mogi para os Mogianos’
Ingressos: R$ 5 (a primeira pessoa) e R$ 2,50 (as demais até 3 acompanhantes)
Com o objetivo de estimular os mogianos a conhecerem a própria cidade, a Prefeitura de Mogi criou o city tour “Mogi para os Mogianos”. Composto por quatro roteiros – Turismo Rural, Turismo Religioso, Turismo Cultural e Ecoturismo, as saídas são sempre aos domingos, às 10h00, do Parque Centenário, que por si só já merece uma visita.
O City Tour conta com ônibus preparado para receber o turista com todo o conforto e guias devidamente treinados para levar toda a família aos principais pontos turísticos da cidade.
Roteiro: Rural – Visita ao Casarão do Chá e Sítio Nakarara.
Reservas: devem ser antecipadas e feitas no CIT – Centro de Informações Turísticas, no Parque Centenário
Informações: (11) 4726-9920

20h00 (Sesi Mogi das Cruzes)
Espetáculo: ‘Belle Époque’
Ingressos: GRATUITO 🙂 (os ingressos serão distribuídos com 30 minutos de antecedência)
Recomendação: 16 anos (Nudez e insinuação de sexo)
Duração: 65 minutos
A fria e cinzenta paisagem urbana com seu excessivo concreto, lacrimeja nossa visão impedindo-nos de enxergar adiante. Há quanto tempo não nos reconhecemos, há quanto tempo não olhamos para o outro sem o humano desejo de julgá-lo inferior a nós?
Belle Époque é a fascinante história de um cabaré que traz em seu interior as mais excêntricas personagens: os seres humanos. Mas por que seriam fascinantes? Pelo simples fato de Sermos direcionados a dizer que são do submundo, a escória que deve ser varrida e escondida debaixo do tapete, muito embora muitos de nós já recorremos a seus serviços para satisfazer nossos desejos. Não esqueçamo-nos de que lá há pessoas, compostas não somente de um mero corpo, mas de uma alma.
Devido à frieza com que desviamos nosso olhar, esta história nos apresenta a nós mesmos, dando-nos a chance de relembrar que todos possuem problemas, mesmo aqueles que ortodoxamente tornam-se invisíveis. É pelas portas deste cabaré que relembraremos que o amor, ainda está acima de tudo.
Atreva-se a adentrar seu universo. Encante-se por Belle Époque. Seja bem-vindo.

Anúncios