Semae intensifica utilização de água de reuso

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) vem intensificando, nos últimos três meses, a utilização da água de reuso produzida na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Cezar de Souza. Dos 120 litros de esgoto por segundo tratados diariamente na unidade, cerca de 110 litros por segundo se revertem em água de reuso – que não é potável, mas pode ser utilizada de diversas formas, como em obras públicas, irrigação e limpeza urbana. A iniciativa tem duas vantagens: proporciona economia para a autarquia, priorizando o uso de água potável para o consumo, e respeito à natureza, pois reduz o impacto ambiental do processo de tratamento.

Estamos trabalhando para que o Semae seja uma empresa cada vez mais moderna, economicamente saudável e ambientalmente responsável. E ações como a utilização da água de reuso caminham neste sentido. Temos uma Estação de Tratamento de Esgoto moderna e que proporciona este tipo de trabalho. Com uma gestão eficiente, é possível utilizá-la para garantir economia ao Semae e também adotar processos produtivos que assegurem respeito à natureza”, observa o diretor-geral do Semae, Marcus Melo.

Na prática, o esgoto enviado e tratado pela ETE se transforma, em sua maioria, em água não potável. Parte é devolvida ao Tietê – o que não acarreta qualquer tipo de poluição ao rio – e outra parcela é utilizada pela Prefeitura e por empresas que prestam serviços públicos para uma série de ações na cidade, principalmente nos bairros. A água de reuso não possui detritos e pode ser destinada a qualquer finalidade, menos ao consumo, já que não possui flúor e outros elementos que asseguram sua pureza.

Diariamente, caminhões-pipa da Secretaria de Serviços Urbanos realizam o abastecimento na ETE e usam a água na limpeza urbana, irrigação paisagística, desobstrução de galerias pluviais e perfurações do solo. O próprio Semae utiliza a água de reuso para desobstrução de redes de esgoto, enquanto empresas privadas – principalmente empreiteiras que prestam serviços para a Prefeitura – compram esta água para ações como testes em tubulação e uso geral em obras públicas.

Estas ações consomem atualmente cerca de 20% da água de reuso produzida pela ETE. O objetivo da autarquia é aumentar gradativamente este volume. O Semae possui projetos em andamento para usar esta água em sistemas de descarga de banheiros públicos e está aberto, por outro lado, para comercializar o produto com empresas da cidade e mesmo da região.

A consciência ambiental da sociedade vem evoluindo rapidamente e entendemos que este tipo de consumo também cresce de modo natural. O importante é que já estamos inseridos neste contexto e preparados para acompanhar este desenvolvimento”, frisou Melo, acrescentando que o aproveitamento da água de reuso em ações cotidianas praticamente elimina a utilização de água tratada – cuja produção é direcionada somente para o consumo da população.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes