Quase 60 mil pessoas prestigiaram a Virada Cultural 2011 em Mogi

[tweetmeme]

A noite de sábado e início da madrugada de domingo atraíram um grande público para os palcos da Virada Cultural Paulista 2011 de Mogi das Cruzes. Um dos pontos altos do evento foi a apresentação da banda americana Superchunk, que começou a tocar pontualmente à meia-noite na Avenida Cívica. Cerca de 6 mil pessoas compareceram ao show, e se entusiasmaram com hits da banda, como a música “Crossed Wires”.

Os membros do grupo de indie rock demonstraram grande interação com o público, ao falar, em português, que estavam muito felizes por estar em Mogi. Também falaram “boa noite” e “tudo bem?” ao público, que vibrou do começo ao fim. A apresentação foi uma das mais longas da noite – durou uma hora e meia, e atraiu pessoas não só de Mogi, como de toda a região.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Antes disso, contudo, a platéia se divertiu com o show da Banda Del Rey, que tocou os grandes sucessos de Roberto Carlos e Erasmo Carlos numa versão repaginada, batida mais rock e voz de China, conhecido hoje também pelo trabalho como apresentador da MTV. A banda Bangs, que entrou no palco da Avenida Cívica pouco depois também cativou a platéia ao executar canções próprias e um cover da música “A Minha Menina”, dos Mutantes.

Outro show que embalou o público foi o da cantora e compositora Luisa Maita, que ocorreu às 22h30 no Theatro Vasques. Faltando uma hora para o início da apresentação, um grande público já fazia fila para retirar os ingressos, e o resultado foi casa cheia. Nos 45 minutos em que ficou em cima do palco, Luisa, que é um dos grandes nomes da MPB atual, demonstrou todo o seu talento e afinação com faixas como “Lero-Lero”.

Às 02h30 o Largo do Carmo ainda concentrava um grande número de pessoas, que cantavam clássicos do rock com as bandas cover que se apresentavam no local. E foi neste horário também que o Theatro Vasques voltou a lotar para a apresentação do comediante Marcelo Mansfield, muito conhecido pelo trabalho que faz em “Terças Insanas”.

Espontâneo e com bom humor impecável, Mansfield interagiu com o público durante toda a apresentação, e arrancou muitas risadas da platéia. Ele destacou, no início do show, que esta é sua quarta participação na Virada Cultural de Mogi, e, ao final, deixou o recado de que quer estar presente em muitas outras.

As atrações de encerramento da Virada Cultural Paulista levaram um público eclético à Avenida Cívica entre o final da tarde e o início da noite de domingo (15/05/2011). Dono de uma voz forte e imponente, Agnaldo Timóteo atraiu a atenção de senhoras e senhores da terceira idade, mas também de pessoas de outras faixas etárias, curiosas por conferir de perto o trabalho do cantor que ficou conhecido nacionalmente como “Cauby mineiro”.

Agnaldo Timóteo emocionou os presentes cantando clássicos de compositores famosos como Erasmo e Roberto Carlos, como “Nossa Senhora” e “Sexo Frágil”. Também demonstrou simpatia pela cidade ao comentar com o público o convite recebido pelos organizadores da Festa do Divino Espírito Santo 2011. “Vou tentar encontrar uma brecha na agenda para voltar a Mogi das Cruzes no próximo mês. Será uma honra”, prometeu.

Às 17h00, a Avenida Cívica já estava totalmente tomada pelo público à espera do Ultraje a Rigor. A banda paulista comandada por Roger garantiu muita diversão com clássicos dos anos 80 como “Inútil”, “Independente Futebol Clube”, “Nós Vamos Invadir sua Praia” e “Sexo”, entre outros. O estudante Luiz Guilherme Oliveira, 22 anos, elogiou o desempenho do grupo que está na estrada há quase 30 anos. “Os caras são profissionais. O som é muito bom mesmo”, comentou.

Balanço

Segundo a Secretaria de Estado da Cultura, as 70 atrações que se apresentaram nos sete palcos montados para esta edição da Virada Cultural Paulista em Mogi das Cruzes atraíram um público de 59 mil pessoas.

O secretário municipal de Segurança Pública, Eli Nepomuceno, fez uma avaliação positiva das 24 horas de atrações culturais na cidade. Segundo ele, nenhuma ocorrência de maior relevância foi registrada, o que pode ser atribuído à proibição da venda de bebidas destiladas, mesmo procedimento adotado nos festejos de Carnaval. “Os próprios ambulantes já sabem e a população também está se acostumando com este procedimento. O resultado é uma festa sem excessos, sem brigas ou confusões”, avalia.

Fonte: Prefeitura de Mogi das Cruzes

Anúncios